ÁGUIA E PÃO COM OVO


Na primeira semana de 2001 eu estava feliz por ter acabado de largar de fumar. Vinha do Vale do Matutu e de Airuoca, em Minas, onde acabara de passar meu fim de ano. Passei por Maromba e Visconde de Mauá no Rio. E escrevi minha primeira crônica do ano publicada no JORNAL DA TARDE por aqueles dias. Mais uma vez a amiga e incentivadora mineira Ana Paula Siqueira ( rimou! )resgatou essa crônica do limbo a que estava destinada e me fez ver que talvez ela continue atual. Será ???



Águia e pão com ovo


   Três de janeiro de 2001. Estou sentado em uma tosca cadeira de leitura na entrada de um modesto restaurante em Maromba, Rio de Janeiro, pertinho de Visconde de Mauá. Venho de um fim de ano no alto de uma serra em Nogueira, no vale do Matutu, perto de Aiuruoca, Minas Gerais. Respiro com tranqüilidade, meus olhos apesar de míopes enxergam bem e me vejo tomado de uma imensa ternura pela humanidade quando acabo de comer um sanduíche de pão com ovo.
   Abro um jornal do Rio de Janeiro. O primeiro que leio no milênio. Na última página do segundo caderno uma crônica de Affonso Romano de Sant'Anna intitulada "O vôo da águia". Súbito, eu que vi na serra gaviões à espreita da caça, sou levado pela águia do Affonso. A águia dele pousou no meu pão com ovo.
   Conta o cronista que recebeu um cartão de fim de ano de Rose Saldiva, da Saldiva Propaganda. Nele um texto parabólico, elíptico que diz ser a águia a única ave que chega a viver 70 anos. Mas que para isso aconteça ela precisa tomar uma séria e difícil decisão por volta dos 40. Aí Affonso nos conta qual é o dolorido e doloroso processo pelo qual passa a águia durante cinco meses. Ganha novo bico e novas penas às custas de um certo sofrimento e só então, altiva e altaneira, pode sair para um vôo de renovação e viver mais 30 anos.
   Eu acabei de passar dos 40, deixei de fumar na virada do ano mas não estou de bico e nem com as penas novas. Teria esperanças em alçar novos vôos pelos próximos 30 anos mesmo sem me expôr a imensos sofrimentos físicos? Eu, que acabei de comer um dos melhores pães com ovo de minha vida, que chacoalhei durante dias dentro de um jipe para afastar das minhas retinas as lembranças dos congestionamentos de São Paulo, eu, que ainda deploro a mesquinhez de certas pessoas mas também sou mesquinho, poderia crer no que disse Jung e lembrou o Affonso que "em torno dos 40, alguma coisa subterrânea começa a ocorrer com a gente e os seres humanos sentem que estão no auge de sua força criativa. É quando podem (ou não) entrar em contato com forças profundas de sua personalidade".
  As forças profundas de minha personalidade me garantem que estou feliz por não almejar o vôo da águia, mas o modesto e elegante planar dos urubus.Tenho consciência de que Rose Saldiva não me manda cartões de Natal nem Luiz Schwarcz me manda bolo de nozes ou charutos. Não ganho agendas de presente nem sou citado nas colunas sociais.Nesse mundo da mídia algumas pessoas só se lembram da gente quando querem que lembremos delas. Já fui melhor cotado nessas bolsas de valores flutuantes.
  Assim,como a águia involuntariamente lembra poder e o grande império americano, agradeço a lembrança do Affonso Romano de Sant'Anna e sorrio quando penso que estou mais para o pão com ovo que devoro aqui na divisa entre o Rio de Janeiro e Minas Gerais. Os gaviões espreitam por perto e as águias voam entre o concreto afiando seus bicos para as rasantes que pretendem dar em nossas direções. Garnizé ciscador, também fico aqui espreitando o momento de dar minhas bicadas.

Comentários

beto borges disse…
Taí, gostei!
Pão-com-ovo, Maromba e um tipo de ternura bem brasileira.
E finalizar com "garnizé ciscador" é muito bom!!!
Parabéns, Riquinho!

PS: Tenho um amigo, o grande fotógrafo Maurício Bacellar, que tem uma frase elogiosa sensacional: "Melhor que isso, só mesmo pão com ovo!".
Fica aí a citação...
Ricardo Soares disse…
Taí Betão!! também adorei o comentário... Maromba e pão com ovo é ternura brazuca na veia!!! continuo garnizé ciscador mas já não canto de galo...hehe
Quanto à frase do seu amigo Maurício Bacellar eu endosso total! pão com ovo está entre as boas coisas da vida numa leitura bem simples como faria o mestre Rubem Braga... abs/ricardo
Renata Aranha disse…
Ricardo,
Olá!
Passeando pelo seu blog vi este texto sobre reflexões que se desenrolam devido ao tabaco.
Tenho alguns escritos sobre Tabaco.
No blog:www.renataaranha.blogspot.com/
Gostaria de saber sua opinião
Renata
Pão com Ovo disse…
Parabéns Ricardo!! Muito bom o teu texto. Ficamos felizes que dentro desse emaranhado de informaçõesn tu tenhas encontrado nosso blog. Um grande abraço.

Postagens mais visitadas