Show ou notícia ?



Originalmente eu tinha escrito esse texto há vários anos para a revista "Caros Amigos" mas sei lá porque cargas d'água não o apresentei ao editor Serjão de Souza. Depois pensei em enviá-lo para o "Jornal de Debates" que hoje é internético . Mas também foi passando e não mandei... sucede que como o assunto continua atualíssimo e o SHOWNALISMO segue firme então aí vai...


Quem gosta de televisão vai se lembrar logo do repórter Silio Boccanera que durante muitos anos foi correspondente internacional da rede Globo e hoje faz algumas entrevistas e reportagens para a Globo News. Faz algum tempo ele lançou um livro chamado “Jogo Duplo” contando as aventuras de um correspondente em Beirute, capital do Líbano. No livro ele cria um personagem , o Alex, que deve ser baseado nele próprio. E o enredo não fica apenas nas aventuras e perigos de Beirute mas questiona onde começa a fantasia e termina a realidade no jornalismo da televisão brasileira e mundial.
Os telespectadores já devem estar acostumados a ver nos telejornais atores fazendo reconstituições de acontecimentos e homens públicos interpretando personagens de novelas , exemplos típicos de como a fantasia invade a realidade todos os dias. Também é comum vermos gente flagrantemente despreparada como a “ronaldinha” Suzana Werner, a jaggeriana Luciana Gimenez ou Olivier Anquier, o padeiro francês bonitão, fazendo “reportagens” e conduzindo entrevistas. Ou até o patético quadro “Repórter por um dia” encenado dentro do não menos patético “Fantástico”. Ser célebre de alguma forma virou uma maneira de ser jornalista. A celebridade guinda qualquer um à condição de repórter por um ou mais dias como se o mundo segundo a ótica de um ex- Big Brother tivesse alguma relevância. Mais uma entre as muitas confusões entre o que é show e o que é notícia.
A tv aberta brasileira está correndo atrás da audiência perdida para as tvs por assinatura e outras mídias apelando para toda espécie de baixaria como a gente já sabe. Brigas de casais e de vizinhos , crianças com tumores, gente morta estendida nas ruas, helicópteros sobrevoando a tudo e todos, câmeras ocultas, partners de galãs com olhos roxos e outras aberrações. Persegue-se cada vez mais a audiência buscando-se fórmulas de telejornalismo que cada vez mais confundem show com notícia . Exemplo mais notório é o já citado “Fantástico”.
Lógico que a Tv Globo não é a única vilã dessa história . Mas a lógica precursora da emissora líder faz com que toda a concorrência das tvs comerciais mergulhe na cópia, na clonagem mais barata disseminando equívocos . Fato é que muitos estudantes de jornalismo entram na faculdade com a pretensão única de virarem artistas de tv e não jornalistas .Ou podemos chamar de jornalismo o manancial de interjeições e adjetivos que desfila a “repórter “ Glória Maria em suas viagens planeta afora ? Pratica o que poderíamos chamar,quando muito, “jornalismo sensorial “. Glória e a intelectual Xuxa


Não se sabe sequer se esse é o estilo Glória ou se um jeito criado por recomendação superior já que seus outros colegas de Fantástico praticam o mesmo gênero ainda indefinível e talvez inaugurado no Brasil por Glória mesmo e por Francisco José , uma espécie de Indiana Jones do agreste.Esse gênero reza que o importante é o repórter e não a matéria o que subverte todos os manuais de bom senso.
Fato é que personagens como esses dão autógrafos , comparecem a festas com modelitos especialmente desenhados para eles , aparecem nas revistas e programas de fofoca e comportam-se como celebridades. São famosos por serem famosos dispensando qualquer conteúdo que recheie o que eles chamam de reportagens. Dão autógrafos com a mesma naturalidade com que pedem autógrafos. Emitem gritinhos ao se depararem com seus ídolos assim como provocam gritinhos quando vistos em público. Presenteiam seus entrevistados com mimos assim como são presenteados.
Tudo isso somado ao fato que o texto televisivo de muitos deles é eivado de pieguice digna de J.G. de Araújo Jorge ( o poeta das normalistas, alguém lembra ?)provoca confusão em quem senta nas cadeiras das faculdades de jornalismo e muitas vezes não recebe de seus professores o esclarecimento necessário para discernir que jornalismo é uma coisa e show é outra. E nem precisa ir longe para saber qual é a diferença. A mesma emissora que nos empurra as “lições” de Glória Maria, Zeca Camargo, Renata Ceribelli é a que nos brinda com as reportagens de Marcos Uchoa, William Waack e Sonia Bridi . Pra resumir está aí o que é show e o que é jornalismo .
Para esclarecer melhor vou para citar um exemplo definitivo que me foi dado certa vez por um veterano apresentador da própria Globo :
“ Quando entrei na casa há muitos anos me disseram uma coisa : O errado é fazer como o Francisco José que só vai à noticia quando não pode mostrar mais sua própria imagem. O certo é fazer como o Lucas Mendes que só mostra a própria imagem quando esgotou a noticia” . Precisa dizer mais?

Comentários

Anônimo disse…
Hoje em dia as pessoas querem estar em evidencia a qualquer custo, na verdade penso que e mais que necessidade, virou doenca. A televisao parece transportar algumas pessoas a um reino magico onde elas nao adoecem, nao ficam sem maquiagem, nao vao ao banheiro e nao tem problemas...sera?
eremita disse…
Vim responder à questão que deixou. O "Jardim da Cordoaria" fica na cidade do Porto, no centro, junto à Faculdade de Ciências e á Torre dos Clérigos.
Apesar do título de seu posty indicar ser sobre questões de seu país li-o e me ri.
Apesar das distãncias, em tudo o que tem um sinal negativo, vemos como a globalização é real.
Por cá também vão buscar umas caras larocas, ex-modelos, ex-concorrentes de reality shows que têm a ambição (mas não a preparação)de ser actores, actrizes, ter um talk-show, ser actores...Por aí.
E claro que opinam sempre.
O que importa é continuar a aparecer.
Quem não aparece não existe, não é o lema?
Uns lá se vão "safando" mancando mais ou menos, outros caem mesmo.

Sobre o tipo de jornalismo
de que fala um caso bem recente, o caso do desaparecimento de Maddie(4 anos)há 4 meses e..(?)do quarto da casa onde passava férias com os pais e irmãos (gémeos de menos de 2 anos, creio, e cujos pais saíram para jantar deixando as crianças sós, é bem claro. Rodeados dos assessores do antigo e do actual 1º ministro britânico criaram um circo mediático impressionante e manipulativo. Até foram recebidos poelo Papa em cerca de um mês, mas o que importa é o jornalismo feito por alguns jornais ingleses inventando pistas, lançando muito poeira para o ar de forma sensacionalista, envolvenso as polícias de vários países europeus no seguimento de pistas falsas e denegrindo constantemente, com faslidades, a actuação da polícia portuguesa.
Um tipo de jornalismo que não informa, não sabe o que é ética e para além do jornalismo serve o interesse político neste caso reveertido em apoio com mentiras ao circo criado.
Depois de os primeiros resultados feitos ao sangue encontrado terem chegado de Inglaterra os pais foram constituídos arguidos.
Passaram 4 meses a afirmar alto e bom som que não saíriam de cá sem a filha. Em menos de 48 horas regressaram a Inglaterra.
Em Inglaterra só um jornal continua a dar notícias com seriedade. Coisas de um certo modo de (não) fazer jornalismo.
Fraterno abraço
Cinthya Rachel disse…
é fantástico! hehe. ai qto dinheiro gasto na faculdade de jornalismo.... ai que podia ter dado entrada num ap.... rsrs "teje linkado"
Marrie disse…
REalmente........ a pobreza de espírito do ser humano é camuflado diariamente na tela de uma tv q ao contrário de desmacarar a realidade nos faz perder o restinho de dignidade ao nos fazer sentar diante dela e nada perguntar! Apenas, aceitar os fatos mostrados sem nenhuma reflexão acerca do ideal, do correto, do necessário p/sentirmos-nos menos hipócritas e mais sinceros.
bjs sinceros deste lado da telinha!!! rs
Sergio Martins disse…
Tempos atrás, aquelas moçoilas seminuas em baile de carnaval sempre diziam que eram "modelos e atrizes". Atualmente, além de modelo e atriz, elas também são cantoras e jornalistas. Sinceramente, nossa profissão virou do avesso.
Tuka disse…
Ricardo, a máxima do pão e circo funciona muitíssimo bem num país como o nosso. Aqui, celebridade notória é o mau-caráter que ganha um reality show. As mulheres que inspiram nossas meninas são as dançarinas de axé e modelos fúteis que viram apresentadores após testes do sofá. Atletas símbolo são aqueles que estão a cada dia com uma mulher e que não tem a menor noção do que vem a ser uma família de verdade. Como é que o jornalismo seria diferente? Como é que poderia ser possível que ao invés de reportagens medíocres (e nem estou generalizando) existissem a prestação de serviço ao qual teóricamente o jornalismo se propõee? Pra quê? Pra quem?

Eu já perdi quase todas as minhas ilusões - rs...

E respondendo à sua pergunta sobre se compensará me linkar em seu blog: creio que não - rs...

Beijos!
Jana disse…
Vc pediu que eu passasse aqui nem que fosse pra te esculachar...

e vou fazê-lo.

Como assim vc escreve pra Caros Amigos e pra ROLLING STONES.

Te admiro tanto quanto me corrou de inveja.

Um Beijo
Bella disse…
cara, fantástico é um pain msm, não tenho menor saco...
e simm, as pessoas fazem td pela fama hj em dia, né? o importante é ser celebridade msm q não se saiba exatatamente pq...
bjs
Ricardo Soares disse…
pois então... o tema rende!

1. anônimo ... os quinze minutos de fama aos quais andy warhol se referia parecem ter virado obsessão... e vale tudo pra aparecer!

2. eremita... adorei saber que o jardim da cordoaria fica no Porto...eu, ignorante, estive na sua cidade por 3 vezes na vida e não conheci o lugar... e tanto aí quanto aqui a praga das celebridades corre solto... não é a toa que as telenovelas brasileiras fazem tanto sucesso por aí né mesmo??? abraço fraterno...e apareça sempre!...o exemplo da criancinha inglesa que sumiu no hotel do algarve ilustra bem esses tristes tempos de circo midiático...

3. cinthia...e o pior é que vc podia ter dado entrado num apartamento mesmo... jornalismo cada vez menos se aprende na escola e tb na vida... andam ensinando tudo errado... nunca adote como modelo a glória maria!!!hehe...

4.marrie... seu lado da telinha tb é o meu ... trabalho com e vivo de televisão mas o veículo me dá uma gastura imensa às vezes...bjo

5.sérgio... vamos marcar almoço então... de uma olhada no seu blog e vi esparsas impressões sobre a colômbia... vamos trocar figurinhas... nossa profissão anda de mal a pior... abs

6.tuka... é circo e mais circo com pão amanhecido que são as velhas receitas do lixo cultural...e ainda tem gente de pedigree dando aval a tanta asneira...como vc diz : o modelo de sucesso pras meninas mais pobres é ser dançarina de axé ou "modelo e manequim " como diz o sérgio martins...besos

7.jana... era um garota que como eu escrevia na caros amigos e na rolling stone ??? tô parodiando a letra da música pra lhe dizer o seguinte : já escrevi bastante pra "caros amigos"... hj só pra rolling stone e pra algumas outras vez ou outra como a revista "raiz" que tô editando...passe aqui sempre pra me esculachar... bjo

8.bella....as pessoas querem ser celebridades para aparecer mais ou aparecer mais para ser celebridade?que equação mais triste né???

gratos a todos vosmecês por terem feito o assunto bombar!!! volto a ele , pode deixar...

Postagens mais visitadas