CAPITÃO MOURO OBRIGATÓRIO


Existem livros que são misteriosamente glorificados e são dispensáveis. E existem livros que não são dispensáveis mas não são glorificados. "Capitão Mouro" de Georges Bourdoukan me parece um desses livros que deveria ser obrigatório em qualquer curso de história brasileira que se preze. Além de boa história é boa ficção. Um livro onde se narra " a saga do muçulmano Saifudin, construtor das fortificações do Quilombo dos Palmares, e de seu amigo, o judeu Ben Suleiman; do senhor de engenho Epaminondas Conde e de seu amor pelo escravo Gaspar; de Zumbi e de uma de suas mulheres, a branca Maria Paim, tendo como cenário a Capitania de Pernambuco, a Inquisição , a revolta dos escravos e a epidemia do mal-de-bicho. Transcrevem-se diários de bordo dos navios negreiros ; explica-se o significado da letra F e da cruz, gravadas com ferro em brasa na testa e no peito dos escravos; cita-se a semelhança entre o cruzado Pedro Eremita e o bandeirante Domingos Jorge Velho e a predileção de ambos por carne humana".
O que está entre aspas no parágrafo é uma sinopse de "Capitão Mouro" e está na capa do próprio livro publicado pela Casa Amarela editora. Talvez tenha sido escrita pelo próprio Bourdoukan . Fato é que vende muito bem o conteúdo desse livro imperdível. Bourdoukan, um tipo simpático e entusiasmado por suas idéias vive com a família em um sítio nas cercanias de São Roque -Sp onde o visitei há uns dois anos pra fazer um dos programas da série "Mundo da Literatura" programa exibido pela Tv Sesc e TVE do Rio. O autor de "Capitão Mouro" ainda escreve para a revista "Caros Amigos" e mantem um blog onde discute principalmente assuntos ligados ao Oriente Médio. Para os que se interessam o endereço é http://blogdobourdoukan.blogspot.com/

Comentários

bourdoukan disse…
Meu caro Ricardo
Agradeço imensamente a lembrança. Seu programa foi um dos que alavancaram o sucesso do livro.
Um grande abraço e informo que postei o seu precioso comentário em meu blog.
Georges Bourdoukan
Blogildo disse…
É história narrada como romance?
É a primeira vez que ouço falar do livro.
Ricardo Soares disse…
Bourdoukan ...que honra tê-lo em minhas páginas...acho de fato o seu "Capitão Mouro" um primor... vida longa a vc e que venham muitos outros... obrigado por colocar esse meu post no seu blog... grande abraço e apareça sempre...

Blogildo... o livro do Bourdoukan é história narrada como romance e com muitas licenças poéticas...que bom que tenha ouvido falar desse livro pela primeira vez por esse blog...corra atrás do livro, vai por mim...abs
Anônimo disse…
Desculpa a minha intromissão, o livro do Georges é um dos melhores livros que li. O Ferréz que me falou desse maravilhoso livro!

Abraços Ricardo
Axé Georges

Robson Canto.
Eva disse…
Caríssimo Bourdoukan,
é uma honra saber que existem pessoas preocupadas em narrar os fatos históricos, muitas vezes não citados na nossa vida estudantil.
Pesquiso a história de Pernambuco há algum tempo, e muito lamento em não ver a citação do mulçumano Saifudin, nos livros que tratam do tema, ao qual percebo que a maioria dos autores não acham tal fato importante que mereça destaque.
Estais de parabéns pela iniciativa e com certeza irei buscar seu trabalho, que tanto auxiliará na minha vida acadêmica, quanto nas minhas pesquisas, pois gosto muito de ler romances históricos.
Att.: Eva Torres
Suelen disse…
O livro é excepcional, um belo enfoque a respeito da História do Brasil, adorei ter lido e recomendo a todos que gostariam de conhecer um pouco mais o nosso país...Parabéns ao autor pelo excelente trabalho!
Paulo Moraes disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Oto Sales disse…
Hoje mesmo, me indicaram este livro, que eu desconhecia,com bastante entusiasmo. Buscando pela internet descobri este blog, com as informações que precisava. Pretendo obtê-lo e ler o quanto antes. E então, deixar um post em meu blog "A Panacéia Essencial".

Forte abraço e parabéns pelo blog.
Anônimo disse…
o que eu estava procurando, obrigado
Andréa Magnoni disse…
reitero as falas do Ricardo: Capitão Mouro é obrigatório!
Poucas vezes chorei lendo um livro... e isso aconteceu com o Capitão Mouro. Tem-se tão pouco interesse pela real história e grandiosidade dos negros em nosso país, tem-se tão pouca intensão em dar ênfase a pessoas que auxiliaram os negros que é compreensível que o nome de Saifudin seja desconhecido, agradeço imensamente à sincronicidade que levou o primeiro livro "sem querer" às mãos de Bourdoukan e por este ter ouvido o chamado e emprestado seu talento para materializar essa obra prima.
Ricardo disse…
Li o capitão mouro e fiquei assustado em ver como as pessoas ‘’lutam’’por poder,mesmo pisando cabeças.O que a inquisição fez naquela época.O sofrimento do negro,do índio...o ferro em forma de cruz...e um padre ‘’feliz’’por achar que estavam salvando almas.
Ah!vou fazer um comentário sobre este livro para alunos da escola que trabalho.
Parabéns Bourdoukan .Ricardo galvão
Anônimo disse…
vou citar na minha dissertação de mestrado. estou escrevendo sobre o Islã no RJ, com uma breve introdução sobre o islã no Brasil.

Postagens mais visitadas