pronomes de tratamento

Ter presenciado a noite passada um estudante ter se enrolado com pronomes de tratamento quando questionava num debate uma intelectual renomada me fez lembrar um episódio recente na mesma linha. Há pouco tempo tomei um puxão de orelhas de um veterano jornalista(guindado recentemente a cargo importante)que ao supervisionar um trabalho para tv que eu finalizava não gostou do tratamento informal que eu dava a um renomado advogado e ex-ministro da justiça. Sem intenção de ofender a autoridade entrevistada( que,aliás, não me pareceu ofendida) eu o tratei por você enquanto o veterano jornalista achava que eu deveria trata-lo por "senhor". Particularmente nunca dei maior importância a esses pronomes de tratamento pois poucos homens a quem eu teria espontaneamente a vontade de chamar de "senhor" dispensam a "honraria". Exemplo ? Ariano Suassuna ... outro exemplo ??? José Saramago... ambos me repreenderam quando em entrevistas os chamei de "senhor". De mais a mais qualquer Renan da vida é chamado de "senhor". De mais a mais o único "senhor" que existe está no céu ???respostas para esta redação...

Comentários

disse…
Aqui no sul temos um problema a mais: o uso do "tu". Muitos acham que tratar alguém pela segunda pessoa do singular é quase uma falta de respeito. Mas esse é o nosso costume, apesar de falarmos errado (e feio): tu fez, tu vai...
Concordo com o senhor, ops, contigo: chamar o Renan de senhor e o João que levanta às 5 da matina pra pegar no pesado de você é quase uma heresia! abraço
Helena disse…
ola, sou Helena do "Rasgos de Cor", primeiro quero agradecer o comentario que me deixou e realmente concordo consigo quando diz "viva a internet, que proporciona encontros com estes". Estava eu longe de pensar que Alguem do outro lado do oceano ia visitar o meu blog e gostar da minha arte. Obrigada!
Já espreitei o seu blog, mas tenho que lhe dedicar mais algum tempo porque está muito interessante e tem de ser visto com calma.
Mais uma vez obrigada e agradeço que divulgue o meu blog que eu farei o mesmo com o seu.
Até Breve!
Aline disse…
Concordo, Ricardo. Os reais "senhores" sempre dispensam o tratamento formal - inclusive o lá de cima.

Renans da vida, pra mim, tinham que ter um tratamento bem peculiar, mas impublicável...

Beijoca.
Essa é uma questão bem interessante.
E me remonta a qdo era pequena, minha avó me chamava e eu dizia: "o que é?", logo era repreendida com um "é senhora, menina!". Sempre tive questionamentos sobre aquela pequena celeuma.
Hoje cresci e concordo em gênero e número com você.
Mas tenho uma teoria, que em princípio pode parecer simplista, e talvez seja mesmo, mas na qual eu acredito.
Creio que essa questão toda de pronome de tratamento tem a ver, de um lado, com a intenção de quem fala e do outro, com a arrogância ou não de quem o exige.
Assim, você pode chamar alguém de "você" e ainda manter um nível de respeito elevado, e, como nos nossos bordéis legislativos, usar Vossa Excelência para iniciar um caloroso xingamento ou uma clara acusação. Tudo deveras relativo.
E ainda, ser obrigado a chamar um juiz corrupto ou um jornalista de meia tigela de Meritíssimo, Senhor ou Vossa Senhoria quando com toda a arrogância que lhes é peculiar, rosnam: "Você sabe com quem está falando?"
Daí cheguei à conclusão que a intenção é, definitivamente, o que importa, e que o mal do arrogante é quase sempre não saber nem a metade do que acha que sabe.
Desculpe o ensaio. :o)
Bjo.
Mara* disse…
Não gosto quando me chamam de senhora, pesa. Gosto de ser você, você é jovial. Vossa Excelência...até com um pronome eles conseguiram avacalhar. Abraço.
Alexandre Core disse…
Renan e seus 40 são tratados por Vossas Excelências. Isso é que é o pior da história. Deveriam ser chamados de "Psiu", "Ei", "Coisinha" etc
Cinthya Rachel disse…
concordo com vc. durante 3 anos apresentei o Turma da Cultura, na tv Cultura, ao vivo, e por vezes a palavra senhor era usada em respeito ao entrevistado, mas muita vezes ela me saia forçada da boca. tem gente que não dá pra lascar um Senhor nao.
Mariana disse…
Também sou do sul, e encontro o mesmo problema com o "tu". O meu pai acha uma tremenda falta de respeito usar o pronome com alguém mais velho do que quem fala.

Mas tudo tem seu lado positivo e o negativo. Como já foi dito, acredito que não é isto que demonstra o respeito tido pela pessoa com quem se conversa, e além do mais, de nada adianta forçar e ser da boca pra fora...
Mas o mínimo que podemos fazer é respeitar, seja quem for, até quem julgamos não merecer.

Postagens mais visitadas