PAULO AUTRAN E O POKER


Acabo de assistir a uma reprise do programa "Roda Viva" da Tv Cultura com o recentemente falecido Paulo Autran. Não assisti ao programa em setembro de 2002 quando ele foi ao ar originalmente e , com o perdão do lugar comum, fiquei mais uma vez surpreso com a serenidade, segurança e classe que tinha esse grande ator brasileiro. Autran que desempenhava bem qualquer papel era senhor do seu ofício e sua postura no palco ou diante de entrevistadores era de uma altivez nada pernóstica. Se aqui fosse a Inglaterra esse ator teria merecido há muito o extemporâneo título de "sir" que lhe cairia muito bem não pelo esnobismo que implica mas pela já falada altivez . Assisti a algumas peças em que esse gigante interpretava e não serei eu do alto de minha pequenez que vou aqui derramar elogios desnecessários a ele. Só quero contar um curioso episódio de um dos poucos encontros que tive com Autran em vida. Escalado para entrevistá-lo para o Metrópolis no fim dos anos 80 uma noite nossa equipe se dirigiu ao seu apartamento que ficava ali no final da avenida nove de julho. Chegamos na hora e o próprio Paulo, afoito, abriu a porta . Cigarro numa mão, xícara de café na outra, nos mostrou a garrafa térmica e pediu que nos servíssemos e o esperássemos enquanto ele terminava um importante compromisso com amigos reunidos ao redor de uma mesa coberta com uma enorme flanela verde. Sentamos e resignados esperamos que Paulo Autran terminasse de interpretar um dos seus papéis preferidos na vida real : a do inveterado jogador de poker.

Comentários

Guilherme Odri disse…
porra, acabei de comentar no outro!
Verônica Lima disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Verônica Lima disse…
pra você ver o tanto que ando desatualizada da vida e morte de gente bacana (e de quase tudo o mais que acontece no mundo de hoje), eu não sabia que o Paulo Autran tinha morrido.
eu nunca o vi no teatro. uma pena...
mas lembro dele na televisão, minha babá. ainda bem que ele viveu o suficiente pra fazer um montão de coisas. fico pensando quando é que os maus atores e as más atrizes vão morrer pra dar espaço a quem tem talento... difícil, né? teriam que levar junto tanta gente picareta que lucra com isso...

ah, a pizza acabou, mas como meu aniversário está bem pertinho, vai ter mais logo logo :> adoro rodízios de pizza!!!

jesus me chicoteia! esse seu currículo aí é pra impressionar ou intimidar?! provavelmente as duas coisas, né? eitxa... e eu pensando no conforto dos concursos públicos... nunca fui suficientemente audaciosa pra sequer pensar na iniciativa privada :/
leitora assídua... disse…
Assistí a entrevista ontem a noite e também não havia visto quando foi exibida antes. Realmente a palavra bem adequada pra qualificá-lo seria "classe"... e ainda diria que sua grandeza é tão singular quanto sua simplicidade... Ou seja, quem é vem pronto!!! Não precisa fazer esdardalhaços como tantos por aí.
Alexandre Core disse…
Não assisti ao Roda Vida. Pena!!! Mas é impossível não concordar com o teu post. Paulo Autran tinha uma altivez acima dos atores medianos. E não era nem um pouco pernóstico nessa grandeza que lhe era peculiar.
Mara* disse…
O momento que eternizou Paulo Autran em minhas retinas cansadas foi ele declamando, creio que na TV Cultura, com tanta emoção e lágrimas nos olhos, 'Meus oito anos' de Casimiro de Abreu, e confesso, chorei junto. E choro agora, infelizmente mais uma perda para o maldito cigarro.
MARCOS ROCHA disse…
Olá, Ricardo:

Obrigado pela visita que fez ao meu blog e ao comentário que deixou lá. Eu já tinha vindo outras vezes, mas não havia comentado. Anteriormente, você havia deixado lá no meu uma observação qq. sobre Ciro "Caloteiro" Gomes, que eu prefiro chamar de Ciro "Boquirroto" Gomes, já que a mim ele não me deve nada; mas aos meus ouvidos e à minha inteligência, sim, com as suas freqüentes declarações infelizes, inclusive quando demonstrou sua grosseria com a própria mulher, Patrícia Pillar (que admiro como atriz e a quem respeito).
Na época, fui mal-educado, esquecendo-me de fazer o link via Luciana G. para localizar o seu blog.
Mas, desculpe-me por tratar desses assuntos chatos num post simpático como este, sobre Paulo Autran, de quem sempre fui fã de carteirinha.
É que quis fazer este "comment" no post mais recente do seu blog, já que os anteriores raramente são lidos depois da data de postagem.
Voltarei mais vezes.
Abraços do

Marcos Rocha
16/10 - 12:00
Edna Federico disse…
Que privilégio seu poder entrevistá-lo.
Sou muito fã dePaulo Autran, tanto que nem consegui fazer um post sobre sua passagem...parece que tudo que eu iria falar, seria pouco, então resolvi guardar silêncio e reverência.
Mais um grande que nos deixa nesse mundo louco...
Ver Paulo Autran atuando, num palco, era algo mágico, surreal...mestre do teatro!
Beijos
Patricia Moreira disse…
Olá, Ricardo

Tudo jóia? Espero que sim. Obrigada pela visita ao meu blog e pelo elogio ao meu textinho. Durante muito tempo resisti em me aventurar nestes mares do estranho e maravilhoso mundo da net: blogs, orkut etc. Mas agora que minha jangada foi lançada em alto mar. Fico feliz de poder entrar em contato com pessoas que tenham algo para compartilhar comigo. Inclusive, concordo com as sua colocações sobre o mestre dos palcos, Paulo Autran.

Um abraço.
Anônimo disse…
Paulo Autran realmente merece que se preste todas as homenagens a ele, e anós, só resta o lamento pela perda de tão grande talendo.
Parabéns a você meu amigo Ricardo,´pela sensibilidade que teve ao prestar essa homenagem a esse monstro artistico que foi o nosso querido "Paulo Autran"

natalia-ramoss@hotmail.com

Postagens mais visitadas