VIVA A BOA EDUCAÇÃO !

Hoje peço licença pra falar em primeira pessoa. Passei um longo e festivo dia ao lado de muitos alunos das quintas -séries do Colégio Termomecânica na estrada dos Alvarengas em São Bernardo do Campo, Abc paulista. Dois dos meus livros , "O Brasil é feito por nós ?" e "Valentão" foram adotados nessa escola e passei parte da manhã e começo da tarde com alunos espertíssimos e curiosíssimos a discutir o enredo das histórias além de responder perguntas muito legais sobre minha vida profissional. Até aí nenhuma grande novidade não fosse justamente a qualidade das perguntas e a impressionante eficiência, limpeza, organização e nível de participação dos alunos desse Colégio que na verdade é uma ampla e bem instalada instituição educacional que oferece vagas do nível básico até superior a mais de 1000 alunos e é mantida pela fundação Salvador Arena no meio do carente bairro do Alvarenga entre as rodovias Anchieta e Imigrantes em São Bernardo do Campo.
Salvador Arena , empresário de origem italiana , nascido na Líbia em 1915 ( quando a Líbia pertencia à Itália)imigrou com os pais para o Brasil com cinco anos de idade e aqui fez fama e fortuna com a Termomecanica, uma lendária empresa do setor . Salvador mesmo tornou-se uma lenda em vida por ser um tipo reservado, avesso a badalações e (pasmem!!!) construiu a fama de bom patrão em uma região que foi sacudida por greves que mudaram o país nos fins dos anos 1970 e começo da década de 80 do século passado. Não raro pagou até 14º salário a seus funcionários e dividia bonificações e lucros o que é mais do que raro, quase impossível, em se tratando de empresários brasileiros. Um de seus sonhos era construir um enorme complexo educacional que formasse cidadãos conscientes e capacitados profissionalmente. Para isso criou a fundação Salvador Arena que gerencia o colégio Termomecânica que ele ergueu ainda em vida mas não viu a primeira turma se formar em 1998 , ano em que faleceu aos 83 anos. Não deixou herdeiros diretos mas centenas e centenas de herdeiros indiretos que ao receberem educação de primeira ajudam a transformar para melhor nosso combalido país.Por causa do "seu Salvador" e seu impressionante complexo educacional eu vivi hoje um dia mais do que feliz. Vivi o sonho de poder imaginar que a educação (tal qual acreditava Darcy Ribeiro) é um agente transformador. E fiquei honrado por tal instituição acreditar que meus livros podem contribuir para isso. O Colégio Termomecânica me deu ânimo em continuar escrevendo por no mínimo mais 10 anos. Alegrias como essa compensam muitas tristezas que a gente acumula durante anos quando vive mergulhado na feira de vaidades e pequenas traições que é o meio televisivo e literário. Obrigado a todos vocês professores, alunos e educadores do Colégio Termomecânica que é um exemplo de correção.

Comentários

Andrea disse…
Ual! Que legal! Deve ser realmente muito gratificante. Você está com o rostinho igual ao das crianças, rostinho de felicidade! Parabéns!
Beijocas e responde meus emails...hahahaha
Aline T. H. disse…
Ricardo, teu depoimento chegou a me emocionar... Ver que a educação ainda é possível, graças a pessoas como "Seu Salvador" e seus herdeiros é gratificante e nos dá a esperança de que esse país, um dia, ainda tenha jeito.

Beijo!
leitora assídua... disse…
Belo post e lindas fotos!
Apesar de eu não ser educadora, vivenciei trabalho voluntário dirigindo uma Ong e sei o quanto isso pode ser gratificante... Nos faz acreditar que se todos contribuíssem um pouquinho, certamente nossas crianças e adolescentes poderiam ter uma qualidade de vida melhor!
Uma pena que o governo disponha de recursos tão precários pra ajudar na manutenção de entidades filantrópicas... enquanto vemos o dinheiro público sendo utilizado em projetos totalmente infundados!!
Enfim, não podemos consertar a educação muito menos o mundo... mas, podemos sim fazermos a nossa parte, mesmo que com o mínimo de dedicação.
Parabéns pela iniciativa!!!
bjo

ps.: As fotos combinam totalmente com o blog!
Vivien Morgato : disse…
Poucas coisas são tão intensas quanto a relação dentro de uma sala de aula.;0)
Kiara Guedes disse…
Viva a Boa Educação! É nela que eu acredito, ela é que transforma..
Parabéns pelo tabalho, viu!
Bjs
Blogildo disse…
É um alento ler posts assim. Que bom saber de um caso verdadeiramente raro no Brasil. Sempre achei que quem faz a diferença é o indivíduo! Enquanto a maioria quer soluções coletivas, o indivíduo vai e resolve! O Salvador só corrobora isso.
Etc e tal disse…
é tão bom fazer trabalho com criaças, elas sempre nos surpreende!!

bjus
Ru Correa disse…
Sou fã incondicional de Darcy Ribeiro!

Senti uma emoção muito grande ao ler o seu post, Ricardo. Sou professora! Amo (muito mesmo) o que eu faço! Brigo, choro, luto pelos meus alunos!!!!!
Mas, na maioria das vezes, me sinto de mãos atadas com o descaso que nossos governantes vêem a educação.
Se pudesse, iria pessoalmente, cumprimentar o "Seu Salvador", mas como sonhos nem sempre se realizam, fico torcendo que esse post sirva de exemplo para outras tantas pessoas que tem condições de ajudar a educação do nosso país e não o fazem, acordarem, caírem na real!
Parabéns pelo post!
Fiquei até emocionada!
Bom fim de semana!
Walter Carrilho disse…
Nunca esqueça de falar para jovens alunos: "não prestem vestibular para jornalismo. Advocacia paga mais!" Eu digo sempre...
picutta c. disse…
Legal o seu empenho de incentivar as crianças/adolescentes a ler.
Leitura atrai cultura e cultura atrai com certeza possibilidade de um futuro melhor para o nosso país.
Você é o cara.... Continue assim!!
PS: A Vitória também quer aprender com você e ter o seu incentivo.
Bjs.
disse…
Legal, Ricardo! Ótima a iniciativa da escola em divulgar autores nacionais contemporâneos também. Não é lendo Joaquim Manuel de Macedo que vamos aprender a pensar. Nada contra os clássicos, mas pra incentivar a prática da leitura precisamos de linguagem mais próxima do leitor. abraço!
Edna Federico disse…
Ricardo, que coisa boa!
eu acho muito interagir com pessoas mais novas....a gente acha que eles não tem nada a nos dizer, mas muitas vezes nos enganamos...vejo pelos meus sobrinhos e até mesmo pelo meu filho.
Parabéns!
Beijo
Fabio Catena disse…
Olá Ricardo! Confesso que não conhecia seu trabalho, e o achei fantástico! Como pedagogo, sempre estou dando umas "bisbilhotadas" pela internet!
Agora, meu contato é mais sobre o "pseudo" colégio que tu visitastes. Engraçado, permitiram entrar com uma camiseta do Led Zeppelin? Imaginos até os comentários quando o senhor foi embora... "entrou com essa camiseta porque é escritor..."

Minha revolta é que estudei lá 10 anos, e nunca fui tão mal tratado e humilhado na minha vida. O pior era nossos pais que não acreditavam naquele modelo de escola judiando de seus filhos...
Tivemos que comer vómito, ser filmado tomando, ser humilhado fisicamente e psicológicamente... Garanto que Makarenko, Russeau e tantos outros que lutaram por uma educação digna e justa na história, estão envergonhados...

COmer tudo e não usar esmalte é fácil pra quem teve que comer vómitos, ser filmado tomando, ser humilhado fisicamente e psicológicamente... Garanto que Makarenko, Russeau e tantos outros que lutaram por uma educação digna e justa na história, estão envergonhados...

Não sei como é hoje, mas o ditado diz: "seu passado te condena". Eu nunca colocaria um filho meu pra estudar lá. Nossos pais achavam que era a melhor coisa do mundo, teve muita brigas, e teve gente que foi até IMPEDIDA de sair (democracia justa) E tudo piorou com a morte do Dr. Arena.

Fazer técnico em mecância e não mexer em CNC e afins eram umas das práticas pedagógicas... E uma coisa é certa: nenhuma escola forma bons alunos, o aluno se forma bom aluno. Tem que ter vontade, dedicação e apoio dos mestres, coisa que o "pseudo" nunca teve...

Enfim, esse "realto" é só uma forma de o senhor saber que esse "colégio" esconde muitas verdades... Nunca tinha comentado isso com ninguém, e como tive a chance, quis deixá-la aqui registrada... Desculpe o infortuno, qualquer dúvidas: fabio_catena@yahoo.com

Não se deixe enganar pelas aparências!!! No mais um feliz ano, hoje e sempre!

Fábio Catena
Geane disse…
Ao contrário do Ricardo, tenho uma excelente lembrança do Colégio...

Lecionei lá na Educação de Jovens e Adultos por 3 anos e meio e saí por ter recebido promoção em outra Instituição, o que me impediu de conciliar os dois trabalhos... Havia dificuldades de comunicação sim, mas não conheço local que não as tenha...
Meu filho estuda lá desde a 5a série... Não comeu vômito, tem aulas práticas... Há problemas, mas, em recente visita à Europa, constatei o quanto meu filho sabia de História, de forma divertida, interessante...
Porém, há escolas para todo tipo de aluno... Meu outro filho não tem muito perfil para este Colégio (roqueiro, cabelo comprido, etc - coisas não permitidas lá!). Se os pais do Ricardo tivessem ficado atentos, teriam mudado ele de escola...
Anônimo disse…
Ricardo soares eu sou o aluno do canto direiro na primeira fotu estuda la até hj. estou la hj na 8ª serie novo 9 ° ano .Gostei muito de sua vinda a escola gostei mt e achei vc muito simpatico !

Postagens mais visitadas