SÃO BERNARDO DO CAMPO 3- FINAL

Convenhamos que apresentar uma história longa na internet,ainda mais em um blog,não é a melhor idéia do mundo.Portanto, amados leitores e leitoras, os capítulos que iam seguir por incontáveis dias terminam hoje num longo, derramado e derradeiro terceiro capítulo onde vocês irão saber que fim levou o peão que foi desprezado pelo presidente. Sendo que o presidente um dia foi peão mas dificilmente um peão será presidente de novo.São Bernardo do Campo ou anotações de um peão instruído
capítulo 3 -final

Esse livro senhor presidente estava dentro de mim há muito tempo e quando ele talvez saia o senhor nem será mais presidente. Mas como sou um caboclo muito do metido espero que ele sobreviva ao senhor e acho que ele tem o seu valor só porque creio que eu não esqueci do que o senhor faz questão de esquecer. Ou será que o senhor não quer lembrar ?
Aquilo que não me destruiu também não me tornou mais forte e eu estou aqui de pé sobre a velha laje do meu sobrado olhando essa vasta periferia e dizendo só para mim : “eu apertei a mão do presidente. Mais do que isso eu partilhei dos meus sonhos com o presidente e tomei café ralo na porta da Volks com o presidente e amanheci nas portas de fábricas com o presidente e vi o presidente partir de São Bernardo do Campo enquanto todos nós aqui ficávamos com nossas vidas untadas na graxa...
Dirão os elegantes que o meu destino não foi escarlate. Não, o meu destino não foi vermelho , nem azul , nem verde, não entrei para partido, não dividi minhas idéias , sustentei meus filhos e dois deles chegaram na faculdade. Não sabem mais do que eu mas me desafiam . E isso é o bom . Cria-se filhos para que nos desafiem não com armas ou com as mãos, mas com a sabedoria que eu pude lhes proporcionar com o suor pingando do meu rosto de peão. Isso pode ser pouco e pode ser bobo de dizer na avaliação dos seus novos amigos presidente. Mas para mim quer dizer muito porque mesmo depois de aprender muitas letras e ler muita coisa por minha própria conta eu não fiquei avariado e acredito nas coisas nas quais acreditava mesmo antes de ter alguma instrução. Acredito nas simpatias antigas e nas pragas bem rogadas, acredito em gente amaldiçoada e no São Francisco lá de Canindé que soube ter ganho outro dia uma estátua pra lá de grande e bonita. Tão bonita quanto a estátua do meu padim Ciço do Juazeiro a quem peço proteção toda noite mesmo estando ele tão longe de mim perdido na devoção do meu povo da Chapada do Araripe entre o Ceará e o Pernambuco . O Pernambuco sua terra presidente.
Eia forno, eia torno , eia cavalo de mãe preta que certa vez recebi dizendo a esmo que São Bernardo também era África, que África era o Brasil, que o Brasil era muito além do sonho de Tomé de Souza .Incorporei o pecado e a devassidão dessa mãe preta e sai por aí a anunciar navios mal ancorados e dei de pintar as unhas e fui confundido com um sodomita descalço que pagava para ser possuído . Nada disso fui além de um dia. Mas experimentei presidente, experimentei. Experimentei e contei pois de nada dessa vida me envergonho . Não me envergonho de onde nasci , de onde me criei , de onde moro e de onde morei . Sei de cor um tanto de nomes de escritores e santos mas cago para o nome de seus ministros , a maioria janotas nomeados por interesses políticos e não por competência. Nem vou me dar ao trabalho de nomear dois ou três que prestam pois os que não prestam ofuscam os demais. Tem tudo aí né presidente ? corrupto , ladrão e muito mentiroso e caloteiro. Mas não vou poluir o meu relato com desvios de rota pois tenho um norte como diziam os antigos.Hoje desci do ônibus presidente e o senhor fingiu que nem conhecia a gente. Eu e mais vários companheiros daquela boa época de lida. Não me incomodo com o que diz o seu cerimonial . Mas o senhor poderia ser mais coerente com o seu passado e tentar olhar nos olhos da gente sem desviar o olhar . Daquele jeito mesmo que sabia fazer nos idos de 78, 79 quando seu aperto de mão era forte e caludo de mãos boas e honestas.
Não presidente. Não estou dizendo que o senhor seja desonesto. Mas diria que o senhor mudou diante dos deslumbramentos do mundo moderno. Tantos tapetes estendidos, tantos vinhos caros e madames cheirosas, tantos perfumes e mesuras . Adoro a palavra mesura presidente. O senhor me perdoe presidente mas desmesuradamente adoro a palavra mesura. Mesuras e doçuras que lhe fizeram tanto . Que lhe adoçaram demais talvez azedando o caminho que ficou para trás.
Presidente, eu tenho uma filha que se chama Kelcilene Ela sempre gostou muito do senhor. Mora em Diadema e trabalha na vila Madalena, em São Paulo. O senhor sabe muito bem o quanto isso é longe . No mais mesmo eu só queria hoje era ter conseguido um autógrafo do senhor , um chamegão num caderno desbeiçado pra mostrar pra minha Kelcilene que nunca que acreditou que a gente dividiu a mesma mesa, os mesmos sonhos , a mesma cachacinha e a mesma cerveja morna nos copos de geléia.
Acontece que agora o mundo não é o mesmo e o senhor não reconhece mais a gente , os que foram os seus iguais e que estão escondidos atrás dos cabelos brancos e das pererecas mal ajambradas na boca quando não estamos mesmo é sem cabelo, sem dentes e sem esperança de melhora para a sempre sofrida classe trabalhadora.
Olha, o senhor me perdoa presidente, mas tanto que o senhor pronunciou o nosso santo nome em vão hein ? essa coisa de “classe trabalhadora”. E onde é que ela está agora quando o senhor percorre a China e as Europa montado em avião bacana com uma multidão de puxa –saco à sua volta ? onde é que estamos nós que gritamos o seu nome no estádio da Vila Euclides ? onde fomos parar nós todos que tomamos borrachada da polícia por sua causa e que ficamos com medo do senhor apanhar até desmaiar quando foi preso lá no DOPS ? onde é que estamos nós nessas festas juninas que o senhor dá no Palácio e onde brinca de jeca tomando quentão bacana e não deixando nem uma talagada pra gente ? Ora, francamente, presidente. Eu que não esperava o senhor montado em terno e gravata, falando que nem doutor que foge dos assuntos. Vá lá que presidente tem que usar terno e gravata . Mas não na alma né presidente ? o senhor vestiu terno e gravata na alma e agora elogia empresário safado, banqueiro ladrão , latifundiário corrupto, industrial picareta ...vale tudo pra ficar aí em riba né presidente ? Me diz uma coisinha : eu sei porque um passarinho me contou que o senhor tem uma bela imagem de São Francisco de Assis no seu gabinete de Brasília. O senhor tem essa imagem é só mesmo pra enfeite ou dá uma espiada pra cara do santo vez ou outra ? É porque se olhar de verdade nos olhos do santo eu lhe garanto que ele deve estar com ar de descompostura pra o senhor presidente. Não que o santo seja lá de briga , ao contrário. Era de muita paz, de calmaria . Mas do jeito dele deve de estar perguntando onde é que o senhor colocou toda a simplicidade que o fez estar perto dos pobres . Onde é que o senhor colocou seu senso de justiça ? ou a lição de São Francisco só serve pra frase do “dando que se recebe” ?. De meu lado presidente eu vou perdoando pra ser perdoado. Mas é que tem hora que é difícil perdoar o senhor. Principalmente quando anda de risinho e de prosório com político ladrão, sem vergonha, mascarado.Gente que não tem seu passado e de quem o senhor deveria de ter vergonha de estar do lado.Seu negócio agora, me disseram , é querer saber das histórias de vinhos ,dos charutos , dos velhos presidentes imponentes de outros países . Vai lá querer saber da história de Garanhuns, Caruaru ou da Vila Paulicéia onde morou, bem vizinho meu ? vai lá querer saber que a localidade "Paulicéia" denominava-se Sítio dos Alves, posteriormente Sítio Paulicéia, pertencente ao Coronel Francisco Rodrigues Seckler, situada no fim da "Estrada Alves" com acesso pela Estrada do sacramento e do Cavalheiro a partir do Bairro dos Meninos ?
Vai lá querer saber que por volta de 1914, a área foi dividida pelo proprietário, em quarteirões de 40.000m² que se constituía em quatro quadras de 10.000m² (chácaras), e em 1918 foram vendidas a terceiros sem qualquer plano de loteamento? Vai lá querer saber que a partir de 1930 é que começaram a se instalar na localidade as primeiras famílias: Magnani (1930), Raggiani (1934) e os Marins, das olarias e que a primeira via de acesso para a região foi a atual Av. César Magnani (antiga bifurcação de Estrada dos Alves com a Rua 1) sendo que até 1947, o meio de transporte utilizado na região era o carro de bois, através de áreas de brejos e que em 1944, a Emissora Rádio Record de São Paulo instalou seus transmissores junto ao km 15 da Via Anchieta e em 1946 a Capelinha Nossa Senhora Aparecida foi construída e ficou conhecida como Capelinha da Record em todo o Brasil porque a emissora transmitia diretamente as missas realizadas aos domingos, atraindo assim inúmeros fiéis em romarias das diversas localidades ? Vai dizer que o senhor não lembra da capelinha da Record , aquela que foi construída em 1946, como cumprimento de uma promessa pelo casal Paulo Machado de Carvalho e transformou-se, com o tempo, no Santuário mais procurado da região pelos romeiros de todo o Grande ABC ? E o senhor não lembra que ela foi destruída para dar lugar à Avenida 31 de março ? E que construíram outra capelinha nos mesmos moldes mas sem a graça da primeira bem ali pertinho de onde ficava a antiga cooperativa da Mercedes ? Vai dizer que o senhor não lembra nada disso presidente?
Vai dizer que não sabe que praticamente até junho de 1947 não houve desenvolvimento do bairro, quando as famílias Iacoponi e Scatene, proprietários de áreas na localidade, efetuaram o desmembramento dessas áreas em lotes urbanos, sendo que o primeiro morador,nesta fase, foi o Sr.Pedro Fidélis da Silva ?
É acho que o senhor não lembra de nada disso e estas minhas memórias de peão esclarecido estão tentando é lhe jogar uma luz na mente para lhe lembrar que ao mesmo tempo em que começavam a desmembrar a Paulicéia a urbanização também começou e o desenvolvimento industrial da localidade também .
Assim a primeira industria a se instalar foi o Cotonifício São Bernardo S/A em 1951 e que a falta de memória da Paulicéia, de São Bernardo e do nosso Brasil deixaram demolir para a construção de um piscinão. E depois do cotonifício presidente apareceu a conhecida tecelagem Bruma - e a Ismarta S/A em 1952 e a Cerâmica Silva e a gloriosa Mercedes Benz do Brasil em 1954, a fábrica que deu tanto palanque pros seus discursos de líder operário né ? E foi com a chegada da Mercedes que o bairro cresceu de vez e que eu cheguei, que o senhor chegou, que o coletivo chegou e ajudou a mudar o Brasil para no fim o senhor se dar bem e a gente bem mal né ? Aposto presidente que o senhor não sabe de nada disso né ? nem é mesmo por ignorância mas por falta de interesse né? Agora, no bem bom, vai lá querer saber de história de bairro de gente pobre, de gente remediada e de gente trabalhadora ? Vê lá né presidente ? O senhor gosta hoje é de dizer que é amigo do Bush. Vai lá querer ser amigo de um calcanhar rachado como eu e os velhos companheiros que lhe deram até um segundo mandato ? Vai lá querer saber que a primeira escola da Paulicéia onde estudaram os meus filhos foi fundada pela professora Kate, e a primeira linha de ônibus pertencia ao Sr. Julio de Souza, cujo itinerário era Paulicéia-Sacomã com aqueles ônibus escangalhados que a gente chamava de Poeirinha.
Presidente. Entre tantas e tantas construções de casas ,de fábricas entre tantos jogos de bocha e os de futebol nos campos de várzea , entre tantas lembranças, tantas alegrias e mais ainda tantas tristezas a gente viu nosso bairro crescer , apodrecer um pouco com maus elementos e viu os filhos crescerem e os netos chegarem. Viu os militares partirem e eleições chegarem. A gente , sempre apoiando, viu o senhor perdendo , perdendo , até que ganhou.? Virou presidente e trouxe alegria ao coração da gente. Só que agora que palavra educada eu arrumo pra dizer que o senhor nos decepcionou ? o que eu digo agora pra explicar que o que a gente achava que era doce se acabou ? Só posso presidente , no mínimo, dizer que minha alegria com o senhor foi pro cemitério.
E por falar nisso presidente o cemitério da Vila Paulicéia foi inaugurado no dia 27 de junho de 1967. Lembro disso com a clareza passada dos meus olhos que hoje em dia já estão bem bichados. Lembro porque sou um velhote meio dado a anotar muita besteira nuns cadernos de capa mole, baratinhos de comprar. Tenho eles organizados por anos . Desde muitos anos. Então sei que o cemitério da Paulicéia foi inaugurado em junho de 1967. Eu era jovem, ainda tinha sotaque nordestino e nenhuma barriga. Ainda achava que esse país ia pra frente até porque a Paulicéia,ali por aqueles anos, tinha sido o primeiro bairro a ter praticamente 100% de suas ruas com iluminação à vapor de mercúrio. Uma beleza ver aqueles bichos se batendo e se torrando de encontro às lâmpadas . Uma beleza ficar vendo as crianças brincando nas ruas pouco movimentadas até tarde da noite. Uma beleza não ter medo dos vizinhos , as patroas trocando receitas e pratinhos com bolos e salgados quentes, uma beleza ver goiabeiras sorrindo em quintais descalços de muros baixos. Uma beleza olhar um cemitério novo e saber , de dentro da juventude, que a gente ia demorar a ter precisão dele. Mesmo assim, caboclo precavido, comprei meu lote lá. E faz muito tempo . Sou do tipo do homem realista que sabe onde vai ser sua última morada. Esquecida, caiada e jogada num canto perto de muro. O túmulo de um operário que construiu pouca coisa, mas toda ela com o suor do rosto. Eu sei onde será minha última morada . Não sei se o senhor sabe onde será a sua. Mas te garanto presidente que não será mais no meu coração que te abrigou tanto sem saber que um dia ao descer do ônibus, feito presidente, o senhor não reconheceria nenhum de nós, todos nós, que lhe empurramos com as mãos grossas para o alto do seu destino. A vida é breve presidente . E meu coração é mortal. Mas é valente.

Comentários

Anônimo disse…
Caro Ricardo,

Agradeço a gentileza

Se tu quiseres fazer alguma consideração fica à vontade!

abraço

Izzy
Ai vai!

- Na última década a mídia impressa vem utilizando cada vez mais os recursos digitais. Como os blogs por exemplo, tu acreditas que essa seja uma forma de renovação? de aproximação com público?

- As transformações causadas pelo aumento do uso da Internet contribuem para a participação do público do jornalismo do século XXI? O que muda para os profissionais de comunicação?

- Fala da tua relação com a internet, com os blogs:

- Dá pra se dizer que o blog tornou-se um dos meios de comunicação mais democrático, até hoje. Como os demais veículos devem se posicionar em relação a esta nova realidade?

- Quais as perspectivas do webjornalismo com a utilização dos blogs?

- Quais fatores podem ser atribuidos ao sucesso dos blogs? principalmente aos dedicação ao jornalismo?

- Quais blogs de webjornalismo você indica?
Ricardo Soares disse…
izzy... já que a entrevista é publica as respostas tb o são... no meu e no seu blog... grato pela deferência, bj,ricardo

Entrevista Izzy ...


- Na última década a mídia impressa vem utilizando cada vez mais os recursos digitais. Como os blogs por exemplo, tu acreditas que essa seja uma forma de renovação? de aproximação com público?

R- Acredito sim que seja uma forma de renovação e aproximação com o público e acho que estamos no meio de uma grande revolução na comunicação e , como sempre acontece quando estamos no meio de uma revolução, não a percebemos de imediato. Será preciso um certo distanciamento histórico até percebermos que na primeira década desse século 21 os recursos digitais provocaram uma mudança radical entre o emissor e o emissário da notícia.

- As transformações causadas pelo aumento do uso da Internet contribuem para a participação do público do jornalismo do século XXI? O que muda para os profissionais de comunicação?

R-Esse é um dos grandes dados. A participação do público no jornalismo do século xxi . agora ficou mais fácil aos profissionais de comunicação saberem o que pensa o seu público leitor seja através dos comentários dos blogs seja através de pesquisas on line. Todo dia você percebe claramente que assuntos dão “ibope “ e que assuntos não dão .



- Fala da tua relação com a internet, com os blogs:

R- Minha relação com os blogs é bem recente. Não tem três meses e está sendo muito gratificante, surpreendente até. Eu me dou conta que devia ter entrado nessa há mais tempo. Se bem que desde abril de 2007 já havia montado um outro blog, mais tosquinho e radical que visava unicamente, através de um alter-ego , cobrar uma dívida de Ciro Gomes, deputado caloteiro que me deve 50 mil reais desde o ano 2000 por serviços que prestei para a campanha de sua ex-mulher , patrícia Gomes. Como ali o resultado havia sido bom demais eu resolvi não queimar boas velas com mau defunto e inaugurei meu próprio blog, com vários temas em fins de agosto desse ano de 2007. ou seja, Ciro Gomes, serviu pelo menos para que eu descobrisse como é bom o mundo dos blogs. E justamente porque ainda é uma grande novidade pra mim eu me deslumbro com a qualidade de alguns blogs que estão por aí embora, paradoxalmente, a grande maioria dos blogs seja bem fraquinha e desprovida de conteúdo. Navegar entre blogs e seus inúmeros links tem sido uma descoberta e tanto e isso me fez ficar mais tempo dentro da Internet do que antes.

Dá pra se dizer que o blog tornou-se um dos meios de comunicação mais democrático, até hoje. Como os demais veículos devem se posicionar em relação a esta nova realidade?

r- Os veículos devem se posicionar com realismo e se adequar com respeito às novas realidades e não aprovando campanhas preconceituosas contra blogueiros como fez o estadão recentemente argumentando que os blogs carecem de credibilidade. Como se os jornalões , apesar da tradição, tivessem credibiilidade o tempo todo. Eu, sinceramente, as vezes acho que tem mais credibilidade alguns blogs do que alguns jornais. E quanto à acusação de que os blogs são parciais , é isso mesmo. Daí o seu encanto . primeiro porque não acredito em imparcialidade em jornalismo de nenhuma espécie, isso é uma falácia criada por teóricos. E , segundo, porque é justamente na diversidade de opiniões dos blogs que reside o seu maior encanto.

quais as perspectivas do webjornalismo com a utilização dos blogs?

r- INFINITAS PERSPECTIVAS. A COMEÇAR PORQUE SUBVERTE UMA PREMISSA LANÇADA HÁ DÉCADAS POR ASSIS CHATEAUBRIAND QUE DIZIA QUE SE JORNALISTA QUERIA TER OPINIÃO QUE COMPRASSE UM JORNAL SÓ PARA SI. OS BLOGS PÕE ABAIXO ISSO. CADA JORNALISTA PODE TER SEU PRÓPRIO JORNAL , TER SUA OPINIÃO BEM DELINEADA. EVIDENTEMENTE SE O SEU BLOG É INDEPENDENTE E NÃO ESTÁ AGREGADO A PORTAIS. AÍ O JORNALISTA TEM QUE SE CONTER E SE ADEQUAR ÀS LIMITAÇÕES DE ESTAR TRABALHANDO PARA UMA GRANDE EMPRESA EMBORA EVIDENTEMENTE GANHE PARA ISSO. OU SEJA , É A SUA NÃO OPINIÃO QUE TEM PREÇO. EU PARTICULARMENTE NÃO CURTO MUITO BLOGS SÓ DE NOTINHAS POLITICAS OU SE COMPORTAMENTO . ISSO TIRA A ALMA DO BLOG QUE É TER TEMPERO, TER PIMENTA. O SEGREDO DO BLOG BOM É ELE TER A CARA DO SEU AUTOR. DIANTE DISSO ACREDITO QUE O WEBJORNALISMO AINDA PROCURA OS MELHORES CAMINHOS PARA CONVIVER COM O IMPASSE DE TER OU NÃO OPINIÃO.

- Quais fatores podem ser atribuidos ao sucesso dos blogs? principalmente aos dedicação ao jornalismo?

SEREM CURTOS E GROSSOS NO SENTIDO DA INFORMAÇÃO RAPIDA E LIGEIRA. E SAIREM NA FRENTE DAS OUTRAS . A GRANDE MAIORIA DO PÚBLICO LEITOR NÃO ESTÁ INTERESSADO EM GRANDES TESES NOS BLOGS OU EM TEXTOS ENORMES O QUE REFORÇA MINHA IMPRESSÃO DE QUE A MELHOR MÍDIA PARA A LITERATURA NÃO É A Internet E NEM OS blogs A NÃO SER QUE VOCÊ VÁ IMPRIMIR SEU TEXTO.

- Quais blogs de webjornalismo você indica?

Por incrível que pareça não indico nenhum justamente pelo que disse na outra resposta. Embora alguns sejam muito eficientes por terem informações rápidas , ligeiras e até exclusivas, eles carecem de humor , criatividade e tempero. O do ricardo noblat por exemplo, em que pese ser um pioneiro que enxergou bem antes as possibilidades de um blog, não inova no conteúdo. O que ele escreve ali poderia estar sendo escrito em qualquer grande jornalão. Falta tempero. Diria que é um arroz –feijão bem feitinho mas sem tempero. No geral acho que os jornalistas ainda não descobriram as múltiplas possibilidades de um blog , a interação entre texto e imagem, a interação do seu blog com seus links , a interação de sua opinião com a opinião do seu leitor comentarista que na maioria das vezes é um blogueiro. O jornalista de blog ainda faz blogagem olhando pra o próprio umbigo e para suas fontes. Por isso o que de melhor vejo nos blogs são justamente os não Jornalistas que tem ousado mais, criado mais e se comportado mais como incendiários e não como bombeiros.
Luciana G. disse…
Ricardo,

Muito boas suas respostas ao "questionário". Informações úteis para qualquer que queira se aventurar no mundo blogueiro.
Abraço,

Luciana
Cafeína disse…
Ricardo, já que este post é um pouco antigo, nem sei se vai ler este comentário, mas enfim, tenho que são quase 5hs da manhã e me rendi a esse texto. Sou de SBC, recém chegada a São Paulo tentando conquistar alguma coisa. Ler estas citações de SBC, sobre a história e a relação com o atual governante, vizinho de meus pais hoje no ABC, quase me fez chegar às lágrimas...deve ser essa ardência que o povo de lá, assim como eu, sente ao ve-lo no poder...
Enfim, obrigada pela leitura e meus parabéns

bjo
Bom Dia
Ricardo velho amigo!!!
passeando pelas pgs deste mundo virtual encontrei seu relato que narra bem a historia de nosso outro velho amigo. Parabens se fosse um retrato nao descreveria com tantos detalhes a pessoa de nosso presidente, mas deixemos isto de lado estou aqui por que vi que tem um rico material sobre a historia da Paulicéia, e como fundamos uma escola de samba aqui em nosso bairro Pauliceia gostária de pedir sua autorização para utilizar seu texto e gostária ainda de convida-lo a vir conhecer nossa Sede Social desde já agradeço

ps: se por ventura tiver mais arquivos do bairro da Paulicéia que possa compartilhar sera de grande ajuda
abraços do amigo
Roberto
grecesunidosdapauliceia@hotmail.com
Suely F. Mello disse…
O Lula, para mim como eleitora, morreu quando ele entregou o Complexo Ouro Verde da Cidade de Campinas a SPDM. Isso depois de todas as denúncias na imprensa e no Ministério Público Federal do que tinha acontecido em São José dos Campos. Só com cara de pau ele ainda pode pegar uma criança no colo depois de todas as denúncias. Mesmo com Polícia Federal caindo em cima deles dita organização ainda perdura nos hospitais prejudicando funcionários concursados e infinitamente mais os pacientes.

Postagens mais visitadas