Paolo Conte em Paris


     Dia desses conversando com uma amiga blogueira descobrimos o gosto em comum pelo compositor e cantor italiano Paolo Conte, lamentavelmente ainda pouco conhecido entre "nosotros" brasileiros. Tem gente que a grosso modo diz que Conte é uma mistura de Vinicius de Moraes, Chico Buarque com um certo charme existencialista à la Camus e uma voz rouca que deixa as moças mui assanhadas. Fato é que Paolo Conte é uma explosão de talento lírico e tem um viés de velho blueseiro ao piano que encanta há muitos anos platéias européias, japonesas e norte - americanas. Italiano na certidão de nascimento e nas palavras que canta há muito ele transcendeu fronteiras mas jamais emplacou no Brasil. Ouvir "Blue Tango" , "Hemingway" e outras tantas canções dele são uma experiência única. Lembro até hoje do dia que tomei contato com Paolo Conte pela primeira vez. Eu e meu amigo Tadeu Nogueira ( já citado nesse blog) entramos num antiquário em Paris. O ano é 1989 e nessa época o Tadeu morava por lá. Dentro de uma cristaleira antiga desse antiquário ( em Montparnasse ou Montmartre ?) havia uma fita de Paolo Conte. Tadeu, enfático, disse que eu deveria levar a fita pois Conte era sensacional. Não lembro se ganhei a fita de presente ou a comprei . Mas lembro que ela foi uma agradável e muito presente companhia na longa viagem de carro que fizemos de Paris a Berlim naquele já distante 1989. A cristaleira onde ela estava deve estar até hoje em Paris. Mas o som de Paolo Conte permanece comigo nesse país tropical por vezes esquecido por Deus.

Comentários

picutta c. disse…
Ri,
Os brasileiros desconhecem Paolo, mas se diz que é talentoso, realmente deve ser, pois sei que vc. gosta de uma boa música e é um conhecedor do assunto.

Aproveitando o espaço:
um 2008 musical para você c/ muitos acordes de sorte, saúde e amor.
Bjs.
K. disse…
Reunir Paris e Paolo Conte num mesmo post é para ter múltiplos orgasmos culturais. Eu estou na primeira fila das moças assanhadas por esse delicioso e rouco italiano. A voz dele é tão envolvente e sedutora para mim, como Paris. Duas grandes paixões.

Minhas preferidas: Via Con Me, Alla Prese Con La Verde Milonga, Parigi e Sotto le Stelle del Jazz...


Sem contar sua menção ao charme existencialista à la Camus! Demais! rs... Só faltou colocar minhas duas outras paixões (existencialistas) Sartre e Beauvoir. ;)

Adorei.
beijo.

K.
www.incompletudes.wordpress.com


Ps: obrigado pelo link!! ;)
Walter Carrilho disse…
Teve música do Paolo Conte em comercial, recentemente, juro por Deus. O publicitário que a escolheu deve ter achado o "insight" genial. Mas eu achei que já estava demorando para alguém usar a boa e velha voz rouca para dar um tom inusitado. abs.
Alex Senna disse…
fala poeta. pô, paolo conte é foda, eu tinha um disco dele, que tinha umas três músicas fodásticas. mas eu só ouvi porque uma vez eu vi na tv o keith jarret falando que curtia.
tava certo.

abrax

Postagens mais visitadas