pobre menino rico

O derradeiro post sobre mauricinhos em 2007 vai falar do mauricinho mais comentado de 2008 no Brasil salvo engano. Nelsinho Piquet ao ser guindado a piloto da fórmula 1 conquistou o direito definitivo de subir ao panteão das celebridades. Afinal basta ser piloto do circo milionário da F1 que toda uma mídia vendida e descerebrada estará falando dos carros, motores e amores dos pilotinhos.Como se diz no interior do Ceará "tenho cá pra mim na minha mente" que automobilismo é uma atividade das mais idiotas , uma porção de marmanjos brincando de carrinhos e afinação de motores, queimando gasolina cara e elegendo valores pífios para celebrar o culto à vitória , à bandeira quadriculada , à miríade de mauricinhos vencedores de todo o planeta que viraram corredores ,e na visão da mídia descerebrada ,heróis e vencedores. Com todo o respeito ao defunto, triste do país que precisa de um herói como Ayrton Senna. Triste do país que tem como referências os Piquets, Fittipaldis, Barrichellos e Massas. Lógico que sou um acorde dissonante na ópera bufa que elege automobilismo como esporte e sinônimo de garra , vontade e perseverança quando na verdade é competição, grana, vaidade , consumismo,alienação e estupidez. E por que falo disso agora ? simples ... é que me "comoveu" a recente declaração de Nelsinho Mauricinho Piquet, filho de Nelsão Maurição Piquet. Disse o mauricinho que o momento mais difícil que enfrentou até agora "foi quando sai do Brasil com 17 anos e fui morar na Inglaterra. Não tinha empregada nem nada". Puxa rapaz , que maçada !!! que coisa desoladora! Com 17 aninhos na Inglaterra e sem uma mucama. Que dificil provação a sua. Mais terrível que a nossa provação de 2008 que é ser obrigado a aturar a rede Globo querendo transformá-lo em novo herói nacional da alienação.

Comentários

Anônimo disse…
É, nada fácil a vida dos mauricinhos!
EduKY disse…
Todo ídolo é, bem no fundo, uma fraude. Ainda assim, cada cultura elege os seus, deixando para trás a realidade da pessoa adorada para guardar apenas os valores representados.
Infelizmente, a cultura brasileira sempre foi dominada por uma elite imbecil e vendida, que atualmente se acha representada em seus valores pelos ridículos ídolos que a Globo (que escolheu o Bonner como âncora...) e a Abril (que tem o Serra como presidente eleito) querem que tenhamos.
Adoramos a futilidade da F-1, esporte (esporte???) para os riquinhos mimados, que queima combustível e pneus (e o aquecimento global que se dane) para dar voltas em círculos... Temos bons pilotos (mauricinho mimado e que desrespeita as regras básicas do trânsito não faltam aqui), mas nada de carro (que, convenhamos, é o que ganha a corrida). Ah, para não cometer injustiças, vale lembrar que também somos bons no iatismo e equitação ...
Pessoalmente, acho que o F-1 seria legal se o percurso tivesse obstáculos (trecho com óleo na pista, muros movediços, manada de bois, algo assim romano) e que quem morresse tivesse a fortuna confiscada para algum programa de alfabetização popular. Ah, mas não vale deixar viúva mala apresentando programa na tv...
Marcio Gaspar disse…
Quiáquiáquiá!!! Excelente post e também excelente o comentário do Eduky. Concordo em gênero, n... aquele chavão, né? Mas o importante é saber que ainda existem pessoas como vocês (nós, na verdade). O mundo não está perdido, 'after all'...
Ricardo Soares disse…
anônimo, marcinho e eduky... esse post provou que não estou sozinho pregando no deserto... muitos de nós pensamos o mesmo e não acreditamos que esses ridículos ídolos da Globo que queimam boa gasolina e desfilam grifes representam nossos ideais de nação... jamais me sentiria representado por um diniz corredor de carro ou um piquezinho mimado...e eduky, quem és tu companheiro ? bela prosa cr´tica a sua hein ? tens blog ?
eduky disse…
Ricardo, olá!
Respondendo suas perguntas, meu nome é Eduardo K. Yoshikai (daí eduky, que tem a vantagem de soar como um saudável imperativo).
Sou historiador recém-formado e artista plástico, embora atualmente esteja preso em um corpo de procurador municipal...
Não tenho blog. Estou tão na contramão do nosso momento histórico (odeio a idéia de Estado mínimo, repudio quase tudo que sai na mídia brasileira e só ouço música clássica, entre outros gostos e apetites minoritários) que tenho a impressão de que se eu escrevesse um blog ninguém leria e ainda perderia alguns dos meus já poucos amigos. Fico feliz de comentar blogs legais como o seu!
Abraços!
Ricardo Soares disse…
legal seu perfil eduky! bem vindo ao coro dos descontentes...acho que seu blog seria legal sim! por que vc não arrisca ? fico feliz de ter audiência seleta como a sua... abs
Anônimo disse…
Olha e pensar que cultura inteligente no Brasil está em falta. Finalmente encontro, por acaso, alguém com cérebro na internet e vejo que não estou sozinho nessa questão. Pois bem, o post de Ricardo Soares disse tudo! O Brasil deveria se envergonhar de ter lixos e futilidades de gente rica como heróis nacionais. Ninguém fala de coisas boasque temos como Nise da Silveira (psiquiatra e filósofa, instituiu a psicologia jungniana no Brasil humanizando os manincômios ecriando a Casa da Cultura do Inconsciente), Antônio Francisco Lisboa - vulgo Aleijadinho (artista plástico mestre da arte barroca brasileira), Machado de Assis (escritor, firmou-se como marco essencial na língua portuguesa), enfim. Coisas mais úteis mas preferem dar alardes pra um playboyzinho mimado e cheio de frescuras enquanto que a maioria da população brasileira mal sabe o que é andar de avião essa playboyzada fica se gabando de morar fora do país e de se sentir incomodado pq não tem empregada. Depois quando tem um caso de playboys queimando índios, surrando empregadas e fazendo baderna em boates ninguém se lembra de tanto que alardearam a "vida boa" desses vagabundos.
Marcelo disse…
Nelsinho é um Mauricinho, logo todos os pilotos são. E afinal de contas, automobilismo, se fosse esporte, seria o único que trata de competição, grana, vaidade , consumismo, alienação e estupidez.
É interessane como uma premissa verdadeira pode sustentar argumentos falsos...
Interessante também que alguém que se descreve como "historiador, artista plástico (embora atualmente preso em um corpo de procurador municipal...), só ouve música clássica, entre outros gostos e apetites minoritários" considere a elite brasileira imbecil e vendida. O que isso quer dizer? Que existem 2 elites Brasileiras, uma que domina e é imbecil, e outra que não domina, mas é brilhante, correta e os seus nomes soam como "um saudável imperativo"? Ou simplesmente quer dizer que vaidade não é exclusividade da F1... E como vcs provaram, também não são exclusivos do automobilismo a alienação e a estúpidez.
Eu lembro do Galvão gritando histérico o nome do Rrrrrrrrrrrrrrubinhooooooo
tentando fazer dele um ayrton senna mas não rolou
apesar dos errrrrrrrrrrrrrrrrrrrrreeessssss.

Como dizia o jornalista H. L. Mencken, "Todos os homens são uma fraude. A diferença é que uns admitem isso. Eu, por exemplo, nego".

Postagens mais visitadas