Zé Dirceu na Piauí

Não resisti ao pedido de post à la carte feito pela intrépida blogueira K. e passo agora a comentar a reportagem que a revista Piauí fez com o "consultor" José Dirceu, ex- homem fortíssimo de nossa República. Comprei a revista no aeroporto de Congonhas e a leitura da matéria me acompanhou por bons momentos dos 41 minutos de vôo até o Santos Dumont, Rio de Janeiro. Em alguns trechos não sabia se minhas mãos tremiam pela média turbulência ou se pela contrariedade com algumas passagens que eu lia da boa reportagem assinada por Daniela Pinheiro , a mesma moça que em uma edição passada de Piauí desconstruiu o oligarquinha oportunista do Ciro Gomes, aliás amigo de fé, irmão e camarada de José Dirceu que o "entrevistou " para seu blog. Desnecessário dizer que os dois se merecem mas necessário dizer que Zé Dirceu censurou - no mesmo blog -comentários críticos que fiz a Ciro Megalô em passado recente. Zé Dirceu, é bom que se diga ,modera todos os seus comentários e só publica os elogios que se fazem a sua questionável pessoa.
Quanto à matéria em si revela um retrato mui curioso de Dirceu em nababescas viagens pela Europa e República Dominicana exercendo a arte que o fez famoso entre seus pares. A de fazer amigos e influenciar pessoas. Sobretudo amigos e pessoas que lhe possam trazer lucro e benefícios seja em forma de mordomias ou benesses. Zé Dirceu com o rosto bem apanhado que plásticas e cremes conservaram é imune a cupins. Sua cara de pau é maciça. Nada a corroe e ele se vê , vaidoso, diante de espelhos como a um principe maquiavélico que passará para a história por sua sabedoria e acuidade. Dirceu é inteligente, inegavelmente. Inteligente e cínico a ponto de escolher interlocutores e entrevistadores conforme queira soltar seus factoídes ou impressionar certas platéias. Agora escolheu a chic , cult e ligeiramente pedante "Piauí" . Ano passado falou a nosotros da "Rolling Stone" mas evitou temas espinhosos. Só respondeu ao que lhe interessava, fez o gênero apressado e ocupado demais e apesar de sua acuidade subestimou nossa inteligência sobretudo quando me garantiu que não falava mais com o presidente da República. Eu perguntei se ele queria que a gente acreditasse nele e ele tergiversou. Não acreditamos é lógico. Daniela Pinheiro narrou o paradisiaco roteiro de trabalhos e negócios do consultor e sem muitos adjetivos parece também não ter acreditado nele. Sorte que muitos de nós ainda não acreditamos né Zé Dirceu ? já pensou se todo mundo botasse fé nas versões que você divulga no seu nada democrático blog ? Feliz 2008 para você e seus negócios. Mas lembre-se de quem vai julgá-lo não sou eu , seus desafetos ou seus amigos. Você será ouvido no final desse mês na Segunda Vara da Justiça Federal, em São Paulo. Quem viver verá...

Comentários

Patty Diphusa disse…
Uau...esse texto deveria ser incluído em uma segunda edição da Piauí...Já fui mais PT do que sou lulista hoje, mas nunca fui do PT de José Dirceu..coisas que se aprendem no jogo da sobrevivência política podem ser muito cruéis com a mente das pessoas que tanto almejam o poder. Se o preço para sobreviver era esse, prefiro submergir..Mas ao mesmo tempo acho que nossa oposição não merece meu esforço, então preservo de tudo isso o que eu ainda posso acreditar. Ou seja, também busco a sobrevivência de alguma maneira. Se é que vc me entende. Difícil, não? Talvez porisso seja difusa. Bjs.
leve&solto disse…
A K acertou, fez o pedido de um post a la carte pra pessoa certa... Perfeito!

E, pra completar um comentário tão interessante quanto o do Patty.. Nada a acrescentar!

bj

Mara
Marcio Gaspar disse…
ZéDirceu é mesmo um cara inteligente, maquiavélico e cínico. Mas mesmo que de um jeito meio esquisito e personalista, acredito que ele queira, sim, o melhor para o Brasil e seu povo sofrido - pena que para isso adote a velha máxima 'dos fins justificam os meios'. Concordo com o seu texto, Ricardo, mas também acredito sinceramente na inteligência intuitiva do Lula, que demonstra saber manter, há tempos, uma distância segura do Dirceu - e ainda, desconfio, usa-lo de maneira ainda mais maquiavélica que o próprio Dirceu utiliza. Um assombro, esse Lula...
Blogildo disse…
Ele ainda fez um defesa do "pobre" Delúbio! É incrível!
Tenho como hábito não confiar em pessoas sem memória.
Lelec disse…
Puxa, depois de um texto sobre a Carolini Honório, agora vem um sobre o Zé Dirceu!

Daqui a pouco esse blog vai ser interditado a menores de 90 anos, tal a periculosidade dessas "personalidades": a primeira pela excrecência cultural que representa (retratada com sua habitual competência no post anterior) e o segundo por ser dos elementos mais nocivos à vida política do país.

Parabéns pelo blog e, já ia me esquecendo: feliz 2008.

Abração,
Lelec
K. disse…
Ricardo,

Primeiro, obrigado por atender tão prontamente à esta "intrépida" blogueira... (adorei o adjetivo!).

Seu texto foi genial.

Minha opinião:

Sobre o senhor Dirceu - não tirando o devido crédito ao bom trabalho da jornalista, que passou muito bem o clima de superciliadade, tenho minhas dúvidas em relação ao que é verídico e fluente na história.

Repito, nada a ver com o trabalho da Daniela Pinheiro e até mesmo da Piauí (que aproveitaram a chance da entrevista), mas tudo me pareceu por parte do sr. Dirceu um "jogo de cena"... "pessoas certas, na hora certa" para defenderem esse "herói da nossa história". Coincidência? acaso?

Por que ele não falar abertamente com a Rolling Stone ou outro veículo de comunicação há um ano e resolve agora soltar o verbo?

Como você bem disse, ele é inteligente e maquiavélico e sabe que será julgado pela Justiça Federal em breve e, a entrevista veio bem à calhar neste momento.

Primeiro, tentou a todo custo mostrar como é injustiçado, "que sequer pode almoçar com a família em uma churrascaria" sem ser agredido. E, ele, veja só, se comporta com a paciência dos dignos, dos lordes. Aguenta tudo quietinho. Segundo destilou uma, duas ameaças aos amigos petistas, num clima quase de, plagiando o cinema, "eu sei o que vocês fizeram no verão passado"... Terceiro, as citações de inúmeras lideranças políticas e empresariais do Brasil e do mundo que defendem nosso herói tupiniquim (olha como eu sou poderoso!). Quarto, mostrando ainda seu poder de articulação e circulação em muitas esferas políticas. Quinto (e nem menos importante), mostrando que, coitadinho, não sabe como se manterá no futuro. Quase morri de rir quando li, uma das falas dele, algo como "olha, eu tenho que trabalhar para sobreviver". Meu deus! quem não tem que trabalhar para sobreviver? O tom foi de quase ofensa! Imagina! ele ter que trabalhar para sobreviver!

Para aqueles que ainda resistem em acreditar nesses "nobres" cidadãos "comunas", que batem nas costas dos "companheiros" que ganham um salário mínimo por mês, no entanto lavam (desinfectam) a mão com cremes importados e andam de Jaguar e se hospedam no Hilton (piada!), bom... para estes que ainda têm alguma esperança de que essas pessoas querem realmente o bem do Brasil e seu povo, provavelmente, leram a entrevista com lenços na mão. É quase de chorar.

Mas, para pessoas como eu, que deixaram de acreditar, inclusive em nosso "Padre Cícero" e sua política assistencialista (pra quê educar o povo?),bom, para essas pessoas foi uma belo show de encenação.

Um jogo de apontar de dedos.

Eu tenho memória. Se eu encontrar o Dirceu na Churrascaria, terei o maior prazer de dizer o que penso.


beijocas! obrigado novamente pelo post.

(desculpe a carta!..rs)
Discordo da "inteligência intuitiva" colocada pelo Marcio em relação ao Lula.
Acho que ele pode até ter "intuição", mas a hipótese da inteligência esbarra em um problema: o fato é que a maturidade política do brasileiro é uma coisa na qual só acredita o próprio Lula (nem o FHC, que pra mim é um cínico de marca maior, acredita nisso). Então, na medida em que percebeu que as pessoas da classe média acreditavam nessa balela de juros e risco brasil, superávit primário e logros semelhantes, na intuição ele sustentou a coisa. Mas inteligência, ao menos no meu humilde entender, é algo para além do oportunismo. E o Lula não passa de um oportunistazinho de araque.
Até porque, de esquerda ele nunca foi: se ele lesse o Marx mesmo, saberia que não se combate a lógica capitalista ficando do lado dos trabalhadores, mas do lado oposto ao do próprio trabalho enquanto mecanismo de sustentação das desigualdades econômicas.
O fato é que a Globo curtiu o cara... então, coisa boa não ia sair...
Quanto ao Dirceu... é como dizia minha vó Helena: "farinha do mesmo saco".
A Outra disse…
bem dito: maquiavélico.
usar a mídia, o momento e a oportunidade...
coisas para poucos. mas, sorte é que tem gente como vc e a K. que não acreditam e criticam muito bem.

bjs
Patty Diphusa disse…
Oportunista de araque? Não tem algo de errado nesse raciocínio, falando de um presidente que não conta com apoio da mídia, pelo contrário, mas que mantém índices econômicos positivos e a popularidade em alta? Eu acredito sim na inteligência intuitiva dele e no seu poder de articulação. Não acredito no Zé Dirceu, mas não considero que são farinhas do mesmo saco. Tem diferenças grandes de perfil e caráter. Bjs
Patty, eu acredito na tese do oportunismo porque o que o Lula fez foi se aproveitar do fato de que as mentiras do FHC colaram, para a classe média, pra se sustentar no poder. Eu acho que a pressão de parte da grande mídia se dá pelo fato de que existem pessoas e instituições que são próximas do presidente que podem ser consideradas, digamos, "más influências". Tipo a Heloísa Helena, que não resistiu e foi escorraçada do partido porque defendia exatamente o que se prometia na campanha (é bom lembrar que a Globo se diverte caricaturando a mulher como uma cadela raivosa...).
O meu problema com o Lula é que ele não altera em nada a discussão política do país. Além de tudo, sobretaxou os livros e está incentivando uma lógica de terceirização dos setores estratégicos - postura típica de quem joga o joguinho do grande capital (reminiscências do ABC) - que vai ser mortal para a lógica pública nacional.
Você falou dos índices econômicos, mas são justamente eles o grande problema. Quem julga o risco-Brasil é uma empresa de consultoria da Europa. Se eles estão gostando, é aí que mora o perigo. As grandes somas que o governo arrecada não retornam pra onde deveriam. Basta ver a situação da educação. Foram "investidos" menos de 4% do PIB em educação em 2007, quando, pela lei, deveria ser mais de 9%. Fora a maneira como é empregado o pouco que ainda vai pra lá. Pra transformar as instituições educacionais em cursos politécnicos. Educação não é mercado, mas os programas do presidentes mostram que ele pensa o oposto.
Este país está vendido, e nada se faz. É iniciativa privada pra lá, iniciativa privada pra cá... as pessoas estão fazendo concurso público pra ganhar salário, estabilidade. E dizem isso porque sabem que tá tudo vendido. Querem só uma merreca nesse quinhão.
Que país é esse?
Eu continuo achando que o Hegel é que tava certo... o que o escravo quer mesmo é um dia ser senhor.
Mas, posso estar redondamente enganado...

Postagens mais visitadas