CLICHÊS DE CINEMA

Todo compulsivo por cinema como eu sou acaba vendo de tudo. Coisa boa, porcaria, filme cerebral, trash , humanista, romântico. Definitivamente só não gosto de musicais. O único que gostei até hoje foi "All That Jazz" de Bob Fosse cujo protagonista, Roy Scheider , morreu ontem infelizmente. Mas o assunto é outro.Como eu dizia cinéfilos vêem de tudo e acho que do alto de centenas de filmes vistos posso dar aqui um início de lista de algumas das cenas que são os maiores clichês do cinema. Nacional e gringo , of course. O que vocês acrescentariam à essa lista ?

1. Gargalo de garrafa quebrada quando vai começar uma briga no bar
2.Solo de saxofone quando vai começar uma cena de sexo
3. "porra, caralho, vai tomar no cu" nos diálogos de nove entre cada dez filmes brazucas
4. a bomba relógio sempre tem vários fios. O mocinho corta o certo sempre no último segundo
5.Os bandidos sempre são péssimos atiradores
6.Os mocinhos sempre matam três ou cinco com uma bala só
7.Toda vez que tem alguém morto é bom checar o pulso
8. Carros explodindo após capotamento
9. Caminhões e carros explodindo após levarem tiros no tanque de gasolina
10.Quando o mocinho está fugindo do bandido geralmente ele manca e cai. Mas sempre consegue se safar.
11. A policia chega no final do filme quando o terror já terminou. Isolam a área com fita amarela e as vitimas se abraçam solidárias.
12.As bibliotecas e os arquivos de jornais sempre tem o que o mocinho procura
13. Todo psicopata tem um lado terno e humano
14. Todo presidente americano tem sempre uma palavra certa na hora certa
15.Todo tapa na cara tem um baita estalo
16. Todo filme de ação destroe uma frota de carros
17. Todos os guerrilheiros falam espanhol e são maus. Os soldados americanos são bons.
18.Lama, esgoto, baratas e ratos sempre estão presentes nas fugas principalmente de presídios.

bom , a lista é imensa... a gente ainda se diverte com esses clichês ou nos acostumamos com eles ?

Comentários

Sig Mundi disse…
Em cena que tem o "bonzinho" e o "malvado" antes de atirarem um no outro, sempre começam a conversar antes!

Todas a mulheres acordam maquiadas e com o cabelo nota dez!

bjs, andrea
peri s.c. disse…
Sem os clichês, não teria a mínima graça. O maior, e insuperável, deles são as balas das armas dos mocinhos, que nunca acabam.
Helen disse…
Sabe o que eu percebi? Que quando não tem clichê, caracteriza 'alternativo'. O que é sinônimo de baixa bilheteria, né?
A maior parte das pessoas não quer correr o risco de um novo ponto de vista. Dá trabalho, aperta botões...
E, infelizmente, os alternativos assumidos são meio pretensiosos, não são?

bju.
Pinto disse…
Acrescentaria Alan Neto.
Luciana Carvalho disse…
Antes de matar o mocinho, o bandido sempre conta seus planos secretos, como o mocinho nunca morre, ele salva o mundo, baseado nas informações que o bandido forneceu.

Bjs
molin' disse…
a maioria dos filmes tem sempre os clichês mesmo, o que faz os filmes serem sempre água com açúcar..
muito obrigada pela visita!
beijos
disse…
Tem o clássico clichê de qq filme que tenha uma viagem a Itália, a cena do casal saindo do hotel ou loja, a calçada cheia de pombos...qdo o famigerado casal se aproxima, om pombos partem em revoada. Péssimo esse clichê, já deu!

PS: O meu ano começou bem, adorei o curso de cinema e a faculdade. Agora só falta arrumar um emprego interessante. Se souber de alguma vaga pode avisar, hehe.

beijo
Bob disse…
O interessante não se inova ou se usa o clichê e sim como isto é feito. O primeiro Shrek era uma galreia de clichês, mas todos bem usados, o mesmo vale para o primeiro Piratas do Caribe, e assim vai. Usando um outro clichê, nada se cria, tudo se copia, assim, a criatividade muitas vezes esta em dar novas roupas a velhas ferramentas. Mas para aumentar a lista ai vai mais alguns exemplos:
*uso de bullet time
*portas que caem só com um chute
*comedias romaticas são em si só um clichê ambulate, 99,9% delas usam a receita: casal se conhece, se apaixona, brigam por motivo besta, conseguem se reatar.
*uso de espadas em filmes nos tempos atuais ou ficções científicas
*a defesa da liberdade, principalmente pelos americanos, não importa contra quem, pois até os aliens querem destruir o american way of life
*o mundo acaba na borda dos Estados Unidos
Edna Battaglini disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
K. (incompletudes) disse…
Ahhh tem o básico dos básicos. E, cometido exaustivamente, até em "Os fracos não têm vez", que você comentou aqui. (aliás, temos que discutir esse filme..rs.. pq eu não gostei..rs.)

O bandido sempre toma um tiro, assalta uma farmácia, pega uma injeção qualquer (como se fosse médico organicamente), se aplica e na cena seguinte aparece andando normalmente.

Tá louco! eles não têm como mudar isso não! rs.
K. disse…
ops, faltou o "onde" no nome do filme..rs.
Edna Battaglini disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
leve&solto disse…
Mocinhas que desdenham e odeiam os mocinhos no início do filme, sempre terminam com um beijo ardente (a princípio forçado por eles rs) que depois de alguma "luta" há total entrega e perninhas bambas!!!! rs
Mary West disse…
HAHAHAHAHA!! Tens toda razão, talvez eu acrescentasse que em todo filme de terror as mocinhas tem q morrer pelo menos com os seios de fora e q os assassinos mesmo não correndo p/ buscar a vítima(q está em velocidade desesperada) sempre a alcança com facilidade.

Ahhh e q americano demora muito p/ achar um interrupitor.

PS: Detesto cinema nacional ó. ;)
Ricardo Lombardi disse…
é, xará, o tempo passa. Outro dia troquei uns emails com o Zé Onofre e com a Sonia Nolasco, que voltou do Haiti e está novamente em Nova York. Resvalamos no tema do teu post lá de baixo: as redações de ontem e de hoje. No fundo, acho que naquela briga antiga (não sei se uma briga ou desconfiança) entre o "marketing" e o "jornalismo", o primeiro venceu..mas isso é papo para horas...To be continued
abraço!
Leila Saads disse…
E no final dos filmes de terror/suspense o bandido sempre explica o motivo da matança e conta - com pormenores - como realizou seus planos mirabolantes.

Bom, o nome do blog (Pulando a Janela do Contexto) eu tirei de uma música do Zeca Baleiro chamada "Cachorro Doido" então, ele deve explicar melhor do que eu o que significa a expressão. Pra mim ela significa ir além da organização, da coêrencia das idéias... É, é mais ou menos isso.

Até!=]
Eu tava com a minha contribuição na ponta do teclado, quando me deparei com o nº 17 da sua lista, o caso dos vilões que falam espanhol. Mas dá pra dizer que muitos deles vêm, também, com feições árabes. Muito comum também.
Gostei do que disse o Ricardo Lombardi. E concordo plenamente. Inclusive, acho que o marketing já venceu quase todos os outros discursos, até mesmo o da Constituição, com esses bolsas-família e um sem-número de estatutos segmentados (idosos, crianças, etc), que no fundo são cata-votos...
Abração
Pan disse…
O mundo se acabando na porta dos Eua, como Bob disse, é algo que irrita (por que a gente não tem essa sorte de a vida imitar o vídeo??).

Já o clichê dos pombos de que fala Lê poderia ser substituído por um desses animaizinhos cag* na cabeça da mocinha.

Mas o que realmente me assola a cada filme é que por maior que seja o arsenal bélico do bandido e do mocinho, a luta final é sempre no braço, ou como se diz na minha terra, no tabefe.

=P
Pablo Pamplona disse…
Minhas proposta é não tentar fugir desses clichês, mas começar a ver o lado bom da coisa: é muito engraçado!
Depois de um tempo, esses filmes consagrados de drama, suspense, terror, ação etc... sempre viram filmes de comédia tosca :)
JG disse…
É, eu sempre percebo e me divirto muito com os clichês não só do cinema mas como da televisão, da literatura, dos videogames e etc.

Aliás, filme da Disney é puro clichê, hehe.

Postagens mais visitadas