ONDE OS FRACOS NÃO TEM VEZ

Acabo de assistir "Onde os Fracos não tem vez" , filme dos Irmãos Coen ( Joel e Ethan) que está cotado naquelas baboseiras de bolsas de apostas hollywoodianas como um dos favoritos para o Oscar. Marketing à parte o filme é pauleira, é paulada , é aquele cinema instigante ( com o perdão do adjetivo gastíssimo)que caracteriza a produção dos brothers Coen desde "Barton Fink" , passando pelo incrível "Fargo" ," The Big Lebowski" , "Na roda da fortuna " e outros como o já remoto "Arizona Nunca Mais", dirigido apenas por Joel. Quando a gente fica um pouco enjoado daquela estética video-clipe & montanha russa do cinema americano, com finais previsíveis e moraizinhas da história é sempre bom lembrar que entre eles temos os Coen que com suas interrupções bruscas da narrativa linear, sua zero concessão a finais felizes e sua atenção à vida como ela é fazem com que cada filme deles seja uma surpresa das mais agradáveis. Não farei aqui sinopse do filme nem ficarei expondo bolodórios e colocando penduricalhos no texto pra dizer que achei o filme muito bom. Deixo isso para aqueles canastras que se levam a sério como o "critico" Zé Wilker um ator que mesmo em sessenta encarnações não terá a competência de Javier Bardem fazendo o psicopata de "Onde os Fracos não tem vez". Fora que no elenco tem craques maravilhosos como Tomie Lee Jones e Woody Harrelson. Se o filme estiver passando na sua cidade corra pra assistir. Se não tiver espere pelo dvd, fuçe na internet , batalhe. É poesia feita de pedra e areia do deserto. Um troço que entra pelo nariz e incomoda. Você espirra dentro de si todo o mau cinema nacional que lhe habita...

Comentários

Ricardo, vi o filme essa semana e assino embaixo. É um grande filme, pauleira mesmo. Ele surpreende na forma como relaciona os personagens e o final é um corte bem interessante de narrativa. Fora a interpretação do Javier Barden, que eu não conhecia, e que me impressionou muito, positivamente.
Vale a pena com certeza.
Abraço.
Marcio Gaspar disse…
e o javier disse que ficou incomodadíssimo com o personagem, já que ele (javier) detesta armas, abomina a violência e, principalmente, teve que conviver meses com aquele corte de cabelo ridículo, hehe...
disse…
Assiti. Gostei. Recomendo.
K. Incompletudes disse…
Ahhh, nem me fala desse filme! fui assistir na segunda feira, lá naqueles cinemas da Floriano Peixoto, no Itaim, onde tem a Saraiva. Não fui no shopping pq achei que estaria cheio. Dancei, nesse outro também lotado. Desisti... :(

mas ainda vou ver!!!!

beijo procê.
Helen disse…
Eu queria ter escrito, pelo menos, a última frase desse post...
rsrs
bjm!
Serjones disse…
caro ricardo, é o segundo blog que visito hoje que fala sobre este filme. o primeiro foi de nossa amiga e blogueira lê, que também está aí nos comentários.
detesto o cinema americanóide e fico feliz em encontrar dicas como as de vocês. aqui em minha cidade (campinas) faltam boas locadoras para este tipo de público. é fueda!
:: denise abramo disse…
os filmes que incomodam são os melhores.
Eliana Mara disse…
Ricardo,
eu vi este filme antes de ontem, sozinha, querendo consolo para o fato de uma pessoa super amada ter ido embora pra um país distante.
E eu imaginava que não seria fácil.
E foi mais difícil do que eu imaginava. Depois, sem saber o que pensar do filme, tive uma visão de outro filme que eu vi há vinte e poucos anos atrás, o Sétimo Selo de Bergman. Não sei o que um tem a ver com outro mas o personagem que é o "mistério" evoca tanto a atmosfera da Morte no filme do Bergman. As pessoas saíram reclamando (percebi que elas queriam estrutura, trama, final revelador ou consolador) e esta sensação de que não tem fim porque o filme não tá a serviço do expectador roedor de pipocas já faz do filme um grande filme.
Teorias à parte, que não tenho, fiquei pensando se o filme, afinal, não é feito apenas de alegorias... E o cara que seria o mais mau entre os maus, não seria ele mesmo a Morte com sua lógica de síntese: antes de morrer, que tal manter uma postura mais digna???
Olha, escrevi sem edições.
Raciocínio confuso.
Bjs
Eliana Mara disse…
E o Javier se descolar da imagem do personagem de Mar Adentro, este também foi um choque!!!!
Peter disse…
Ow assisti esse fim de semana, filmaço. Fotografia fantástica, paisagens show de bola. O filme é pesado, gostei muito do final nada convencional. Não é filme p galera do mocinho e bandido não.
Ju disse…
o filme é ótimo e teu texto um tesão!!!
beijos

Postagens mais visitadas