A PELE - DIANE ARBUS

Por um lamentável erro de comunicação perdi na quarta- feira um avião que me levaria a trabalhar na Bahia , na cobertura do carnaval "off Broadway", aquele que fica fora do circuito da Barra mas é muito rico e cheio de diversidade e rola no Campo Grande, com a passagem de muitos blocos e afoxés. A TV BRASIL está cobrindo esse carnaval que fica meio relegado pela mídia , fora da Sapucaí. Assim sendo a Tv vai de carnaval de Olinda, Bahia "off Broadway", Rio fora da Sapucaí e Ouro Preto.

Well , explicado o avião perdido, me vi em São Paulo em pleno carnaval e como a ex- terra da garoa não é assim uma Brastemp nesse quesito e eu não morro de amores por aquilo que virou o carnaval me dei de presente uns dias de leitura e ócio vendo em dvd uma pá de filmes que há tempos queria assistir. Um deles é A PELE, filme de Steven Shainberg ( não confundir com Spielberg) que conta com a bela interpretação de Robert Downey Jr. e de Nicole Kidman que vive a fotógrafa Diane Arbus que se suicidou em 1971 depois de ter mexido com as convenções americanas ao retratar um outro lado da América. Quem não viu o filme não perca .E para que todos entendam um tiquinho o que representa o trabalho de Diane deixo abaixo duas perturbadoras fotos feitas pela moça.

Comentários

Sig Mundi disse…
Mas você está lento hein meu! Perdeu o avião, a comunicação... o que acontece?
Mas acho que é uma opção pra lá de ótima essa que te "restou", livros e filmes... rsrsrs
bjs, andrea
MARCOS ROCHA disse…
Olá, Ricardo:

Embora você já tenha postado comentários no meu blog, sempre pertinentes, e eu venha visitá-lo de vez em quando, só hoje estou dando uma geral e acho que seu espaço está ficando mais interessante. A mudança do nome anterior para o seu próprio também foi positiva -- o "Todo Prosa" tinha uma conotação meio pejorativa.
Esta aproximação maior de agora se deve também -- e muito -- à Mara Fortuna, ao blognauta comentarista RM e à sua filha Andréa, que tenho lido sempre sempre. Os três sempre fazem referência ao seu blog ou ao seu nome, nos próprios posts ou em comments lá no Plano Geral.
Idem, um novo blognauta chamado Roney que suponho não ser o RM, mas um xará dele.
Abraços do

MR
3/2 - 12:32
K. (Incompletudes) disse…
Quando vi esse filme, lembro de ter ficado uns dois, três dias maluca..rs.. pensativa.

Como eu não conhecia a história dela, e tenho verdadeira tara por biografias, foi marcante.

E, além da quebra de "convenções" (maridinho, filhinho, casinha), a história me chamou a atenção por um outro motivo: a mágica do bizarro. Acho que me identifiquei um pouco (rs), por que tenho verdadeiro carinho pelos "atormentados", "loucos", "malditos", "suicidas". Ou seja, só gente do bem..rs..rs..rs..

E, especialmente, pq tem gente (será o meu caso?) que simplesmente não consegue viver no comum. Para respirar, precisa do diferente e da mágica que ele proporciona.

afff.... viajei..rs.


Nossa, esse assunto me deu uma vontade imensa de escrever um post! rs (ô povo clonador de idéias alheias né..rs..). Posso? rs. Ah... nem ligo...rs.. vou fazer jus à uma frase que escutei uma vez (e não me lembro onde) que diz assim: "É mais fácil obter perdão, que permissão".

espero que me perdoe! :P
beijo!
Ricardo Soares disse…
Andrea, darling... eu perdi o avião porque não me avisaram do horário do embarque... coisas de (sem preconceito) "Sorria, vc está na Bahia". Acabei em casa , sozinho, no meio dos filmes,dos cães e das árvores que , como sabes, são tudo de bom. Beijo com calor aqui...

Marcos Rocha...bom receber sua visita e comentário aqui. Creio que deixei um comentário no seu blog uma vez e vc fez o mesmo. Só esclareço um equívoco de sua parte : jamais mudei meu blog de nome. Ele sempre teve meu próprio nome com endereço "todo prosa" pois meu nome já estava registrado no blogspot pois tenho alguns homônimos. Há um outro jornalista , que só fala de livros, que tem um blog com o nome Todo Prosa que eu não considero nem um pouco pejorativo, ao contrário . O que quero dizer com ele apenas é que aqui "toda prosa" cabe . Mara é uma blogueira querida que sempre frequentava esse espaço como "leitora assídua" e diz que se inspirou nesse espaço principalmente para dar início ao seu próprio blog , assim como minha filha...se vc as tem em alta conta ótimo !! sinal que eu as inspirei bem e que não precisam de mim para nada, se viram muito bem com textos leves , criativos, pontuais. Roney para mim é uma novidade e tanto. Gostei. Quanto ao seu espaço, sempre diversificado, confesso que não tenho visitado tanto ( ou não voltei tanto) especialmente por sua boa fé em defender um pasquim odioso no qual se transformou a revista "Veja". Por falar nisso recomendo a vc e a todos os blogonautas que visitem o blog do Luis Nassif que com muito mais competência do que eu tem mostrado no que se transformou Veja. Também acho que vc deveria dar mais vazão ao seu bom humor e parar de achar que tudo que acontece no Brasil é culpa do Lula . Evidente que tenho severas críticas ao governo dele, seus deslizes éticos,sua pouca preocupação com o meio ambiente e sua conivência com canalhas como Edison Lobão e congêneres. Mas daí a achar que tudo é culpa de Lula vai uma grande distância. Ao contrário da curta distância que separa os desacertos de Lula com a tal "herança maldita" que ele recebeu e vc parece ter se esquecido. Sempre bom conversar com pessoas como vc. Abs
Ricardo
disse…
Fiquei com vontade de assistir ao filme, não conheço a história de Diane Arbus.

Acho que esse filem eu encontro fácil na locadora.
Pablo Pamplona disse…
Já conhecia algumas fotografias da Diabe, são muito boas! Ela pega cada momento excepcional, e com cada figurão mais interessante que o outro... :D
me interessei pelo filme, vou procurar ver ele!
abraço,

Postagens mais visitadas