PITBOYS NA JAULA- O QUE FAZER COM ISSO ? (parte 2)

O título acima é copiado do jornal "O Dia" do Rio de Janeiro e refere-se à sentença do juiz Jorge Luiz Le Cocq D'Oliveira, da 38ª Vara Criminal do Rio, que condenou nesta quinta-feira, os cinco acusados de roubar e agredir a doméstica Sirlei Dias de Carvalho Pinto em junho de 2007.
Felippe de Macedo Nery Netto e Rubens Pereira Arruda Bruno foram condenados a seis anos de reclusão em regime inicial semi-aberto e ao pagamento de quarenta-dias multa. Leonardo Pereira de Andrade e Julio Junqueira Ferreira foram condenados a seis anos e oito meses de reclusão em regime inicial semi-aberto e ao pagamento de sessenta-dias multa. Já Rodrigo dos Santos Bassalo da Silva, que já tinha antecedente criminal (roubo com emprego de arma de fogo) foi condenado a sete anos e quatro meses de reclusão em regime inicial fechado e ao pagamento de oitenta dias-multa. O valor da multa diária é de dois salários mínimos.
Como sempre cabem recursos tanto da promotoria como da defesa. Mas já é senso comum que as penas são leves e que alguns desses desqualificados que adoravam "zoar" prostitutas na Barra ( na palavra deles mesmos)podem cumprir a peninha em liberdade. Evidente que a punição nesse caso deveria ser exemplar pois os elementos ainda justificaram a agressão à doméstica achando que ela era uma prostituta.

Comentários

leve&solto disse…
Ric, o que vejo de positivo no caso dos "pitboys": a justiça está um pouco menos lenta visto que o caso aconteceu em 2007 e ainda é lembrado pela população. E por mais que ainda venham as apelações, sabemos que não ficaram totalmente impunes.
O duro são processos que demoram tanto pra serem julgados que acabamos nem sabendo o resultado.

Mara

PS.: deixei uma respostinha pra vc lá no "joãzinho" rs
Cadinho RoCo disse…
É revoltante depararmos com notícias assim. Desse jeito, como inibir a violência?
Cadinho RoCo
Sig Mundi disse…
Eu não sei, mas penso que sou a favor do: Olho por olho, dente por dente! Lembra?
A situação no Brasil chegou a um ponto que é pra lá de triste!
bjs, andrea
mara* disse…
infelizmente é Brasil, nos EUA as penas são duras, duríssimas, para que sirvam de lição. quanto mais famoso, maior é a pena, para que sirva de exemplo...aqui o famosinho, é brindado com o papel principal na próxima novela das oito...até quando, aqui, as leis serão duras apenas para os ppp?
mara* disse…
com isso lembrei...de uma postagem sua, cobrando medidas punitivas urgentes e eficazes contra os responsáveis daquela meleca toda sobre o leite nosso de cada dia maquiado com soda cáustica e o escambau...como ficou aquilo?
Roseane disse…
Vim retribuir a visita e dizer que gostei de cara com o nome do blog. Dei uma olhada geral, li um pouco de quase tudo e gostei da tua definição de que Paulino da VIola é um príncipe. Sem dúvida é mesmo. Assisti um especial sobre a vida dele no meu vôo Lisboa-Brasília, ano passado. Adorei também. Bom findi!!!
Amélie disse…
Impressionante!

Eu fico bestificada com as tentativas estúpidas de se justificar o injustificável. Isso é agravante, ninguém vai avisar os babaquaras não, hã?


E aí? Revisão do código penal?
Sem reforma política? Rá!

E por falar em revisão do código penal, quem disse que não tem havido avanços? Já teve há alguns aninhos até projeto aprovado retirando do código o termo a “mulher honesta”. Risos. Vamos manter a esperança!!!

Enquanto isso, do lado de fora da sala da "justiça", continuamos a bordo da nau dos insensatos.
Celia disse…
Oi Ricardo, vim lhe agradecer a visita. Eu mora em Estocolmo-Suecia. Gostei daqui e virei mais vezes. Um abraco.
Dentro da Bota disse…
Hun... realmente um assunto serio e absurdo... mas infelizmente a juventude italiana tambem esta preocupando muitooo...
Abraços,

Gi - Roma
rm disse…
Resisti a comentar aqui, tentando evitar novos "embates", mas vamos lá:

Quanto à sua pergunta? O que a lei prevê e o processo judicial permitir.

O que eu gostaria de fazer, se pudesse? Enchê-los de porrada.

Não posso concordar com a xará da minha amiguíssima Mara. Princípio básico do direito, seja ele da "especialidade" que for e tenha a origem que tiver (romano ou germânico), é que a lei é igual para todos.

Fecho com Amélie (i'm closed to you), se a legislação é inadequada, há que se mudá-la. (Claro que se advogados e juízes não mudarem seu comportamento ético, adiantará pouco. Nesse caso, deve-se buscar uma solução para a falta de ética profissional dessa turma. Uma coisa de cada vez e da forma correta, respeitando o estado de direito.)
Pablo Pamplona disse…
Ah, sim, claro! A justificativa deles é completamente aceitável, afinal eles pensaram que era uma prostituta, então aí sim. Estas, mendigos, índios... não são gente de verdade. Nem mesmo animais, são ainda mais rebaixados, como bem lembra o Ilha das Flores.
rock disse…
pau no cu dos playba
Anônimo disse…
o mané que já tinha antecedentes criminais deve estar chorando até agora ..esse se ferrou bonito 7 anos regime fechado e vai ter que cumprir 2/5 = 2 anos e 8 meses na tranca

Postagens mais visitadas