DESTRUIDOR DE BIBLIOTECAS 2

Biblioteca Monteiro Lobato em São Paulo

A luta continua... minha colega Silvana Tavano, jornalista, escritora infanto-juvenil e titular do blog Diarios da Bicicleta me atualiza em relação à lamentável determinação do prefeito de São Paulo ,o almofadinha Gilberto Kassab, em fechar bibliotecas públicas. Abaixo transcrevo o que o escritor e professor Edmir Perrotti mandou para a Silvana acerca do abaixo -assinado por ele organizado que foi entregue a quem de direito. Apesar de entusiastica discussão nesse blog sobre a utilidade das bibliotecas continuo defendendo o que já disse : sou contra o fechamento e acho sim que é dever do poder público incentivar o hábito da leitura e aproximar os mortais comuns dos livros. Bibliotecas não devem ser santuários mantidos por velhinhas caretas e obtusas que tratam livros como objetos de decoração que não devem ser quebrados.Na minha vida se não tivesse acontecido a biblioteca infantil Monteiro Lobato ( rua General JARDIM, Vila Buarque, São Paulo)muita coisa teria sido diferente. Para pior. Mas vamos ao relato do Edmir :

O abaixo-assinado foi enviado ao CRB-8 (Conselho Regional de
Biblioteconomia) que deve entregar ao Prefeito, junto com outros dois, de iniciativa, ao que parece, dos moradores das imediações de uma das bibliotecas. Hoje, recebi por e-mail o documento abaixo.É um passo importante, mas ainda pequeno.Acho que o CRB e todos nós devemos ter como bandeira a revogação do decreto. Enquanto isso não ocorrer, a pressão não deve parar. O tal Conselho Municipal de Bibliotecas que vai "rever" apenas uma biblioteca,é composto por bibliotecárias de carreira, diretamente subordinadas ao Secretário, além da representante da FEBAB (Federação Brasileira das Associações de Bibliotecários e Cientistas da Informação),bibliotecária Marta Rosseto, e de Bárbara Júlia (bibliotecária funcionária administrativa da ECA/USP, convidada e designada diretamente pelo Sr. Secretário de Cultura, como representante da comunidade acadêmica (?!!).

Comentários

Ju disse…
fechar bibliotecas é uma das notícias mais estúpidas que posso ler. sem palavras.
G disse…
Sem livros e sem tesão não há solução!
Alemão disse…
Onde estão vivendo os moradores do Ed. Prestes Maia (era esse????) que criaram uma grande biblioteca dentro do edifício. Que tal se eles fossem morar nessas bibliotecas e, de quebra, respondessem pela administração no lugar das "tiazinhas"?
Bob disse…
Sou mais um ex freqüentador da Monteiro Lobato. Alguns conhecidos meus estão organizando mensalmente encontros de RPG lá ultimamente. E repito novamente que acho que essa biblioteca será fechada para daqui a dois meses a população local pedir para a reabrir.
Até gostaria de fazer aqui um discurso inflamado contra o fechamento das bibliotecas. Queria dizer que é um absurdo, que atitudes como essa aumentam o déficit educacional no Brasil e etc. Mas não vou fazer isso. Não vou fazer por que não me sinto nesse direito: há tempos compro livros nos sebos, nas livrarias físicas ou virtuais e levo pra ler em casa, no metrô, no ônibus ou em qualquer lugar por aí. Acho que a última vez em que entrei numa biblioteca pública foi há uns 5 anos. Não posso reclamar, assumo minha responsabilidade.

Fernando
meu deus, é o que nos faltava; espero que não chegue aqui em porto alegre uma idéia absurda igual a essa.
um abraço
Ricardo: Participei de um debate, ontem, na rádio bandeirantes, do qual participaram também um vereador, um deputado estadual, outro professor e duas secretárias de educação de cidades do interior do estado. O tema era justamente a educação, e, lá pelas tantas, surgiu a questão da internet. A gente que dá aula, sabe que o processo educacional é uma luta pra inserir o aluno num contexto de aplicação e de entrega que não seria a dele se ele pudesse escolher. Não conheço um aluno que não tente dar pelo menos uma enrolada durante o ano, pra fazer trabalho. Isso faz parte.
Entretanto, cabe às instituições fazer o papel que seu nome lhe designa: instituir. Instituir o quê? Instituir o saber e a história do país, do estado, da cidade, do mundo, dos contextos. E a escola e a biblioteca são meios fundamentais pra isso, por que a televisão se transformou num meio comercial demais para conseguir voltar atrás, e a internet, apesar de muito rica em alguns aspectos, possui problemas que a leitura selecionada não tem. É muito difícil para o aluno se orientar pela internet numa pesquisa, por exemplo, por que há uma quantidade muito grande de besteira. O livro bem escolhido gera uma qualidade de informação muito maior.
Além disso, existe a possibilidade - tentadora - do "copiar e colar", que, nesse mundo desafeito ao trabalho intelectual, aparece como uma tentação quase que inescapável para os alunos.
Então, o que coloquei no debate é que não se trata de fazer apologia ao fim da internet, porque isso não existe. Mas se trata, sim, de cobrar das instituições que avaliem e selecionem os meios de obtenção do conhecimento que nossos jovens estão usando. Por que esperar que eles-jovens venham nos dizer que o livro é melhor que a internet é uma piada.
Abraço, e tô contigo na luta pelas bibliotecas.
May Shuravel disse…
Caro chef

Além de consumidores de livros, somos cidadãos.Como tal, você tem todo o direito de se manifestar a respeito de tudo que esteja acontecendo com bens públicos. A favor ou contra, colega leitor.

Ricardo,conheci seu blog por indicação da Silvana Tavano. Parabéns pela qualidade, virei freguesa.Como sou do tempo do lampião e do Biotônico Fontoura, tenho enorme dificuldade em lidar com computadores e que tais, mas acho que finalmente aprendi a entrar com meu nome...
abraços
Roberto Sena disse…
a situação das bibliotecas não só na cidade, como no restante do país é lamentável! Parabéns pelo blog!
www.blogdosirmaos.com

Postagens mais visitadas