GLAUBER ROCHA É UMA MERDA ?

Nessa terra de bons moços onde nem mais cantam sabiás às vezes as polêmicas parecem ocas se comparadas com as travadas em outras décadas idas e vividas. Mas vamos lá ! Dia desses, aqui no Rio de Janeiro, o humorista Marcelo Madureira do Casseta e Planeta, bem ao estilo do programa no qual ele trabalha, disse num debate sobre humor no Cine Odeon que "Glauber Rocha é uma merda". Até aí nenhuma novidade pois conheço muita gente que acha Glauber uma merda e outro tantão que acha Glauber um gênio. A surpresa foi ver que na maravilhosa terra carioca, que tem mais senso de humor que São Paulo, meia dúzia de fãzocas do Glauber levaram a sério o que o Marcelo ( que aliás fazia ou faz um programa de merda no GNT onde ficava vendo televisão com um careca e dando risada dos outros)disse e organizaram ontem um ato de desagravo na ABI ( Associação Brasileira de Imprensa)pois acharam que o Madureira não tinha direito de dizer o que disse. Ora, pois, por que não tinha se o próprio Glauber era um boca solta que vivia dizendo o que pensava ,agradasse ou não a quem o ouvia ? Glauber seria o primeiro a deixar que Marcelo o chamasse de merda . Revidaria em grande estilo , mas deixaria o humorista dar sua opinião.
Ninguém me perguntou mas mesmo assim eu vou dizer : houve um tempo, na juventude, quando Glauber ainda vivia, que eu o achava tudo de bom e disfarçava que não tinha entendido metade de sua chatérrima filmografia. Gostava da atitude rebelde , contestadora e provocativa nele nesse país lotado de bons moços hipócritas. E por falar em bom moço ainda ontem conversava com meu amigo José Araripe Jr. ( cineasta, autor do longa "Esses Moços") sobre Glauber que ele , hoje, gosta mais do que eu . Araripe curte "Terra em Transe " que eu acho chato e datado . Mas eu adoro " Deus e o Diabo na Terra do Sol" e "Barravento", para mim uma obra genial para um garoto de 21 anos, idade de Glauber quando fez o filme.
Glauber não é e nunca será uma unanimidade . Hoje eu acho que ele teve importância maior como polemista e agitador cultural do que como cineasta. Como desafinador do coro dos contentes é um provocador que faz falta na cultura brasileira. Daí a suas viúvas insignificantes ( como alguns medíocres e obtusos cineastas e críticos desconhecidos como um tal Dejean Magno Pellegrin) fazerem ato de desagravo na ABI contra um humorista que acha Glauber uma merda é de morrer de rir. Até porque Glauber, se vivo fosse, acharia Madureira outra grande merda.

Comentários

Ric,

Vou deixar aqui um trecho do "Trópico de Câncer", do Henry Miller, que li recentemente, e me lembrei quando li o seu post. Acho as idéias se casam.


"Faça qualquer coisa, mas que cause êxtase. Luxúria, crime, santidade: a vida dos meus adorados, os fracassos dos meus adorados, as palavras que deixaram atrás de si, as palavras que deixaram inacabadas; o bem que arrastaram atrás de si e o mal, a tristeza, a discórdia, o rancor e a luta que criaram. Mas, acima de tudo o êxtase! Quando penso em meus ídolos, em suas deformidades, nos monstruosos estilos que escolheram, em seus trabalhos pretensiosos e tediosos, em todo o caos e confusão que chafurdaram, nos obstáculos que amontoaram ao seu redor, sinto uma exaltação. (...) Todo homem com a barriga cheia de clássicos é um inimigo da raça humana."


.

acho que a partir desse pensamento podemos entender a "revolta" contra a opinião de Madureira e Glauber Rocha. :)

Inimigo da raça humana! mas, sempre com êxtase!

que assim seja.

:)


bjo.
Ju disse…
inevitável lembrança dessa citação: "Posso não concordar com uma só palavra sua, mas defenderei até a morte seu direito de dizê-la." (Voltaire)
e a clásica rodrigueada de que a unanimidade é burra.
beijos!
Ricardo Lombardi disse…
oi ricardo, valeu pelo link, cara! pode deixar com o nome do blog que tá ótimo!
e vamos nos falando, trocando idéias e coisa e tal
grande abraço!
ricardo
Ricardo, eu gosto do "Terra em Transe", porque denuncia o papel "duas caras" do jornalismo (que não me parece ter mudado muito de lá pra cá...)..
Concordo que o Madureira tenha o direito de dizer o que pensa, mesmo que seja pela via latrinal de sua boca.. mas acho que o problema é justamente o fato de que, como ele tem renome (como um sem-número de babaquices, hoje em dia), isso ganha proporção de verdade. O Glauber pode ser o que for, mas é muito melhor que todos esses cineastas "padrão globo", que dividem a Idiotolândia da emissora com os cassetas e planetas...
Acho que o Glauber criticava em grande medida a postura subserviente da classe média; a diferença é que o tal casseta não faz mais que um humor pastelão sem nenhuma complexidade, nada que qualquer engraçadinho de final de semana não possa fazer - e bem melhor, diga-se de passagem..
E é difícil alçar um crítico ao rol da fama... Neste, invariavelmente, o que veremos é um bando de cassetas... sem nada pra dizer, mas dizendo bastante... um bolo de merda, como você coloca.

Abraço
rm disse…
Bom, nunca gostei muito do cinema do Glauber, embora reconheça sua importância, até mesmo internacional. Algumas sequências de seus filmes são antológicas, mas apreciar sequências é coisa pra cinéfilos, que nunca fui.

Já como intelectual e personagem política do país, acho que os cassetas todos juntos não lhe fazem a menor sombra.

No entanto me agrada muito o post, na medida em que põe em prática a nossa tão desprezada liberdade de expressão e imprensa.

PS: tá difícil escolher o melhor comentário (sem falar na beleza) entre a K e a Ju.

PS2: já que estamos com a terra em transe, você acha que a Dilma estava em transe quando mandou a assessora vazar o dossiê?
Pablo Pamplona disse…
Sou grande fã de Glauber, apesar de até hoje só ter assistido Terra em Transe, Deus e o Diabo, um programa do Abertura que está no Youtube e algo pouco mais... admiro ele como cineasta e como agitador. Mas daí a fazer um ato porque disseram que ele é uma merda? Quantas vezes eu já não ouvi gente dizer que meus maiores ídolos são uma merda, e nem liguei pra isso? Tenho certeza que os próprios sabem que não se agrada a todos, e tenho certeza que estão pouco se lixando. Virou religião, é? O contra-hegemônico (pois não é isso que ele é?) virou hegemonia?
G disse…
Ora... Tá todo mundo idiotizado. Quem fala mal e quem fala bem. Glauber é Gláuber, como eu sou eu e você é você. Como vivenciamos uma época de mídia globalizada e imediatista fazemos coisas boas e péssimas e não somos alvo de discussões. É verdade que Gláuber teve mais chance de se glamourizar pela época em que viveu e pelos seus talentos e defeitos. Hoje existem milhões de talentos adorados e odiados, mas que têm fama por quinze minutos no máximo. É a vida.
Geraldo
Marcio Gaspar disse…
o fato do madureira ter dito que o glauber é uma merda, perde totalmente a importancia (se é que havia alguma) diante do ridiculo da realização da tal manifestação. em tempo: gosto do madureira e gostava do tal programa da gnt, que era uma merda, mas era bom... e o careca ao lado dele no tal programa era o arthur dapieve, jornalista de talento.
Vivien Morgato : disse…
Eu comentava ontem com amigos que havia dito no meu blog que não gostava de um determinado autor.Nem disse que era uma bosta ou coisa parecida,não gostava e pronto.Entrou um fulano por lá me explicar "porquê" eu deveria (!!!) gostar do tal autor.
Então tá.
Carol Rocha disse…
Honestamente, não tenho paciência para assistir Glauber Rocha. Mas não ignoro a importância dos discursos dele, buscando interpretar - e explicar - a pobreza e a mediocridade que sempre assolaram o Brasil. O que fica é a idéia; o importante é suscitar discussões. Sejam a favor ou contra.

ps: excelente trecho copiado por K. (incompletudes). "Faça qualquer coisa, mas que cause êxtase." É isso aí.
Marrie disse…
Puxa.......... olhei os comentários e fiquei me perguntando......
SEria nova demais?
Ou alienada demais?
rs
Pois não havia entendido nada do q vc falou no post... até entendi o contexto mas não dos referidos autores! Não lembrava de nenhum!
bjs
Ah.......... já sabe como estou não é??? rsrs
Pssssssssssssssiu
É "segredo"!
rs


PS: deu liberdade......... agora vai ter q me aturar..... como o nosso "amigo" DAgô! rs
bjs de novo
Anônimo disse…
Até gosto de Deus e o Diabo na Terra do Sol mas acho esse filme muito superestimado, quanto ao restante da filmografia dele minha opinião é a mesma do Marcelo Madureira. Acho um saco essa adoração cega das viúvas dele e tenho horror a essa coisa de "cinema com papel social" que é um discurso babaca de hippie filósofo de botequim da esquerda festiva. Fui tachado de idiota e alienado pelos meus "colegas da PUC" quando critiquei o Gláuber e falei bem do Mojica. E olha que esse mesmo povo que faz esse carnaval em cima dessa declaração são aqueles que defendem a democracia e liberdade de expressão!!!
rm disse…
Prezado Anônimo e prezado Ricardo, dono do blog,

gostar ou não de um filme ou de um diretor de cinema, não creio que mereça tantas linhas gastas. Me parece estar no plano do gosto individual e não creio que tenha sido esta a questão proposta pelo post.

Também duvido que esses dois diretores, ambos com méritos, possam ser comparados; tamanha a distância formal, técnica e de proposta.

Mas há algo na sua declaração ( infelizmente anônima, ao contrário das "viúvas") que me chamou a atenção: se é "esse mesmo povo" que defende "a democracia e liberdade de expressão" quero crer que temos aqui um paradoxo insuperável.

Ou os tais são sectários e radicais "chics", como você sugere; ou não sabem bem o que significa "democracia e liberdade de expressão", que você afirma que defendem.

Aliás, eu diria que seu comentário sucita em mim a mesma dúvida.
Anônimo disse…
Caro Rm ,
gostaria de deixar claro que escrevi meu post quase as gargalhadas e que a ironia expressa nas minhas palavras não eram de nenhuma forma raivosas, mas sim carregadas de fanfarronice e bom humor. O que realmente me incomodou foi o ato de desagravo ma ABI, uma atitude ridícula e que vai contra (pelo menos na minha visão) o conceito de liberdade de expressão. A impressão que fica é que se essas pessoas tivessem o poder de censurar esse tipo de declaração elas não hesitariam em usar esse artifício tão repugnante. Eu gostaria de frisar que o que eu disse sobre as "viúvas" foi apenas uma sacaneada, já que o estereótipo da maioria dos fanáticos pelo Gláuber é o do politicamente engajado e saudosista dos anos sessenta e setenta, aonde a grande luta era justamente pelo direito dos artistas de expressar suas opiniões sem sofrer qualquer tipo de retaliação. Esse ato de desagravo na ABI tem um simbolismo pavoroso que me lembrou coisas pavorosas como o AI-5 e outras formas oficiais de se coibir qualquer opinião livre. Por ter falado mal do Gláuber já ouvi coisas bizarras (e engraçadíssimas) como a minha opinião ser contra o patrimônio cultural brasileiro e outras coisas desse tipo. Tudo bem se me acham babaca e anti-patriota numa sala de aula ou numa mesa de bar, mas quando levam isso adiante frente a um orgão tão teoricamente importante como a ABI a coisa muda de figura, já que o Marcelo Madureira nada mais fez do que um comentário pessoal.

Para finalizar eu só acho que não tem a menor diferença postar anônimo ou colocar o meu nome já que você não iria me conhecer mesmo. Rm para mim tem o mesmo efeito de não colocar nome nenhum!

Um abraço do anônimo.
rm disse…
Prezado Anônimo,

fico feliz por ter me explicado tratar-se de uma piada non-sense. Encerra-se aqui a minha dúvida.

A propósito de anonimato, meu nome é Roney Maurício, cujas iniciais denunciam. Sou economista, moro em Belo Horizonte e já fui, pelo que entendi, seu colega professor da PUC, durante muitos anos. Prazer em conhecê-lo...

(Só me dispus a esse diálogo porque penso que o tema da liberdade de expressão e da democracia em nosso país ainda deve ser tratado com muito cuidado, plantinha tenra que é, contra "pézões" sem nemhuma cerimônia...)
Romerito disse…
Prazer em conhece-lo Roney, meu nome é Romero.

Esses que se manifestaram junto a ABI contra uma opinião livre são os mesmos que ontem protestavam contra a falta de liberdade de pensamento e expressão. Devemos estar sempre atentos a qualquer manobra que possa ameaçar a nossa jovem democracia.
Marrie disse…
Volto agora, sã (rs), p/deixar minha opinião!

Realmente, não menti qdo disse q não sabia de quem se tratava o post em questão mas entendi perfeitamente q ainda hoje existem pessoas suficientemente fanáticas p/protestar contra a liberdade de expressão seja lá de quem for!
Pessoas q se defendem atacando, q se escondem através da "personalidade" de outras pessoas, q não têm opinião própria e por isso vivem aquilo q rege a opinião alheia!
Enfim......... se existe algo q eu prezo e luto constantemente por isso, chama-se liberdade! O ser humano não se reconhecerá como ser livre enqto não descobrir q ela é algo interno e jamais a encontrará fora de si.
bjs e mais uma vez........... desculpinhas por aqui vir fora de órbita! rs
Ricardo Soares disse…
ééé... como sempre, quando o assunto é glauber rocha a coisa ferve ! aqui não foi diferente! da bem lembrada belíssima citação do trecho de henry miller selecionado pela intrépida k. até o pilequinho da marrie escrevendo sobre o assunto tudo foi muito divertido de ler. Sem demagogia eu acho que as vezes meus comentaristas são melhores do que meus posts... as polêmicas as vezes são tão bem humoradas e acaloradas que fazem até que anônimos resolvam se identificar como fez o romerito com o roney ! será um possível flerte virtual ? um flerte intelectual ou pode ser real ??? hehehe... não resisti à provocação rapazes. Pelo sim , pelo não acho que ao menos concordamos num ponto. O que está em questão não é se Glauber é ou não uma merda e sim o direito dos mortais dizerem que ele é uma merda assim como muitos dizem que ele é um gênio.

ahhh marcinho, brother... eu sabia que o careca que apresentava ao lado do madureira aquele programa chato era o dapieve... fingi ignorar só por charminho pois acho sim que ele é competente na mesma medida que é um mala...e na televisão um pé nos ovos, diga-se de passagem... beijos e abraços a todos!
Emerson Simão disse…
Mas esse Glauber foi e é uma merda mesmo. Não é preciso fundamentar esta opinião, nem tampouco revidá-la. O que quer que digam é inútil. Não há mensagens e críticas sociais ocultas nas imagens e sons de merda dos seus filmes de merda. Só merda oculta. Desfaçam essa cortina de paranoia que os pseudointelectualóides lançaram sobre essa merda. Uma vez que se abram vossos olhos e ouvidos, serão livres para ver e ouvir a merda que estava oculta. Libertem-se dessa opressão, rogo-lhes irmãos.

Postagens mais visitadas