diário da sordidez humana

Continua a sordidez implacável. Sai na hora do almoço do Rio. Pela manhã liguei a tv enquanto dava uma arrumadinha no cafofo e o assunto assassinato da menina Isabella continuava bombando. Solertes repórteres semi-imbecilizados repetiam clichês e achismos e um programa da Record que já execrei aqui ( Hoje em Dia) passou toda a manhã fazendo sensacionalismo em torno da saída da cadeia do pai e da madrasta da menina Isabella. No estúdio os telespectadores eram "premiados" com a sapiência do repórter Brito Jr. ( mais raso que um pires de leite) que "debatia" o assunto com um delegado que fazia simulações da queda da menina com uma tosca boneca ladeado por um conselheiro almofadinha da OAB que era mais prepotente e arrogante que Ciro Gomes e José Serra juntos. Espetáculo patético que se prolongou. Chego a Sp e o rádio do carro só falava no assunto . Todas as emissoras "procurando novidades". São sete horas da noite e a rádio "Jovem Pânico" de São Paulo não dá folga no caso. Não é então o caso de perguntar até à querida repórter Carol Rocha ( do portal Terra) que frequenta esse blog se existe limite para a sordidez humana ? até quando vamos espetacularizar a desgraça ?

Comentários

Aarão disse…
Cheguei ao seu blog pelo da Geórgia, de Blumenau. Sou comentador num blog de amigo paulistano. Ele escreveu uma opinião jurídica sobre o tema:
http://assombradasombra.blogspot.com/2008/04/isabella-o-exagero-e-consecuo-da-justia.html
Parabéns pelo seu blog, muito rico.
Cora disse…
O "caso Isabella" todas as suas milhares de reportagens (desconfio que isso nem seja mais uma hipérbole) e especulações eu me abstenho de comentar pra não ficar revisitando a minha indignação.
Mas sobre o circo eu falo, vou morrer falando... vc acredita que a maioria dos sites de notícias/buxixos tem uma extensão "/casoisabella.htm", virou franquia agora? Honestamente...
no fim... uma discordância! é humanamente impossível ser mais arrogante q o José Serra sozinho, juntando o Ciro Gomes então... coitado do desavisado da OAB... ele provavelmente foi pago para estar lá, perdoa vai... é a crise econômica!
Cora disse…
ahh sim... rs
beijinhos
Anônimo disse…
Oi Ricardo!

um prazer estar em seu blog pela 1a. vez! blog excelente!

E deixo meu coment. sobre o caso da menina Isabella, feito por um renomado professor brasileiro. Veja se não é interessante:

Doutor em Antropologia pela Universidade de Paris VII e professor da Universidade Federal da Bahia, Albergaria critica os exageros da cobertura midiática e aponta uma abordagem "classista" e "racialista" do crime. "Porque é uma menina de classe média, bonitinha, e aí vem a estética", afirma.

- Há um lado doentio, e quem alimenta essa doença, que se tornou uma epidemia como a dengue, é a própria mídia. Porque há um viés "comunicacionista" ao se alimentar de forma mórbida uma história trágica. E transformar essa história trágica numa novela, no mesmo estilo das novelas das grandes televisões: mexicana.

O surgimento de reviravoltas, vídeos da menina, sangue nas camisas

Entrevista de Albergaria: Albergaria: "Caso Isabella virou novela doentia
http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI2738145-EI6584,00.html

Um abraço

Silvana
Carol Rocha disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Carol Rocha disse…
Olá Ricardo, acabei de chegar em casa vinda da porta do prédio onde mora o pai da Anna Carolina. E estava justamente discutindo sobre isso com uma equipe da Globo.

Não acho que o papel da imprensa seja fazer campana na casa de todos os parentes do casal. Nosso trabalho seria divulgar o acidente com a menina, conversar com os advogados/promotores/delegados do caso, aguardar os laudos e noticiar o desfecho. O que sai na imprensa além disso é para "encher linguiça" e dizer ao leitor: "olha, nós estamos em cima, hein! Estamos acompanhando o caso de perto."

Mas tem um outro problema aí: não é a mídia que impõe o que o telespectador quer ver. É o contrário: a gente dá o que o povo pede. Deixa de falar da Isabella e o cidadão vai trocar de canal para assistir quem está falando sobre isso. É foda, mas é assim que funciona.

Se vc visse o tanto de curiosos que passam todos os dias nas portas das casas dos parentes, é incrível! A pessoa sai de casa, num belo sábado e/ou domingo de sol, apenas para passar nas ruas onde a imprensa está acampada. Quando perguntamos o que essas pessoas foram fazer lá, a resposta é sempre a mesma: viemos ver o lugar, tentar ver o Alexandre ou a Anna Carolina. Só isso.

E, para finalizar, nós, a imprensa, ainda somos obrigados a ouvir gritos de gente que passam nos carros nos mandando "ir trabalhar". Até de vagabundos já fomos xingados.

Enfim... é isso aí. Vamos ver como vai acabar isso tudo.
Pablo Pamplona disse…
Espetacularizar até aparecer a próxima desgraça...
Uma resposta possível, Ricardo: enquanto o ego for o alvo das manifestações (mercadológicas) da mídia.
As pessoas querem sexo e violência. Se não se catalisa isso, a coisa vicia que nem droga..
Mas vai explicar isso a essa gente que não tem merda nenhuma na cabeça..
Abraço

Postagens mais visitadas