URIBE E PARAMILITARES

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, alçado a condição de super-herói após a libertação de Ingrid Betancourt , anda às turras com o presidente da Corte Suprema de Justiça, Francisco Ricaurte Gómez, por conta da troca de acusações entre ambos sobre supostos vínculos do governo colombiano e da Justiça com chefes paramilitares envolvidos com grupos de extermínio e tráfico de drogas.

O tribunal investiga laços entre cerca de 60 parlamentares , a maioria da base governista, e paramilitares no chamado escândalo da parapolítica que já derrubou muita gente importante na Colômbia inclusive ministros de estado . É bom lembrar que o próprio Uribe já foi inúmeras vezes acusado de envolvimento com grupos paramilitares que financiam suas campanhas politicas e seu primo Mário Uribe tentou fugir do país para escapar das acusações de envolvimento com os paracos.

Na grande mídia o espaço que se dá aos “feitos” de Uribe é desproporcional ao tamanho das acusações que pesam contra ele. Fica a impressão de que ele é um santo , amado por todo o povo do país e que não existe toda uma oposição organizada contra ele. Os formadores de opinião e muitos setores inteligentes da Colômbia deploram sua politica e seu alinhamento incondicional com o traste Bush mas continuam vendendo a imagem do arrogante Álvaro Uribe como uma unanimidade nacioanal.

Pior que isso é ser acusado de simpatizante das Farc quando se posiciona contra esse belicoso presidente . Isso acontece não só lá como aqui. Não foram poucos os que me disseram que eu era simpático às Farc por conta do meu documentário “Colombianos” e dos textos que já escrevi a respeito na mídia e nesse blog.

Repito, mais uma vez, que deploro os métodos das Farc que perderam toda sua legimitidade ideológica a partir do momento que matam e sequestram inocentes. Sua causa revolucionária passou a segundo plano . Mas por outro lado o que toda a mídia se esquece é que os metodos usados pelos “paracos” e por tropas do governo são tão repulsivos quanto os utilizados pelas Farc. É uma guerra interna que não acabou. E como não acabou as barbaridades continuam acontecendo. Patrocinada pelas Farc e pelas forças leais ao belicoso Álvaro Uribe.

Dias atrás conversando com o roteirista de 21 gramas, Babel e Amores Brutos ,o escritor Guillermo Arriaga ( a quem contaram que eu conhecia as FARC) trocamos impressões sobre Pancho Villa (que ele bem conhece) e os métodos dos guerrilheiros colombianos. Concordamos que a FARC perdeu toda a sua aura de combatente revolucionária ao se misturar com o negócio das drogas e patrocinar sequestros. Por outro lado concordamos na antipatia que temos a Uribe e nessa campanha orquestrada para tentar transformá-lo em estadista de estatura internacional. Como homem que deseja a paz Uribe é uma fraude.

Comentários

Papagaio Mudo disse…
Olá Ricardo,

prazer visitar o seu blog. Estive aqui procurando um pouco da história do Agrippino de Paula.
Sou poeta, escritor e jormalista recém formado. Se puder, visite meu blog, e parabéns pelas publicações.
Forte Abraço,

Gustavo Perez
nêssa Gentile disse…
Oi Ricardo!
Agradeço a visita e respondendo sua pergunta, não, não sou eu quem declama a poesia de Drummond na abertura do site, embora o timbre de voz seja igual.

Postagens mais visitadas