APOCALIPSE MOTORIZADO, O LIVRO


      Algumas vezes usei nesse blog o termo "Apocalipse Motorizado" mas nunca me ative com mais detalhes sobre o livro que,de passagem,citei. Aí está a capa dele. A edição brazuca publicada pela Conrad saiu em 2004 mas nunca é demais falar sobre ele ainda mais num país onde o que só ganha espaço na mídia é o livro que acabou de sair. Somos reféns totais do mercado. Mas isso é outra prosa.
   "Apocalipse Motorizado" faz parte da coleção "Baderna" da Conrad e tem como subtítulo " A Tirania do Carro em um Planeta Poluído". Um livro redondinho,de linguagem acessível, que analisa a insuportável organização de nosso sistema de transportes (onde o carro manda,desmanda,reina)condenado a nos matar todos os dias. Ou literal e rapidamente ou aos poucos ,de stress e raiva com o caos a que chegamos. E como nos opomos a essa ditadura do automóvel ? o livro , organizado por Ned Ludd (um pseudônimo) apresenta soluções que só podem parecer utópicas aos idiotas que insistem em ver o carro como nossa única opção de transporte. É, enfim, uma beleza de livrinho, uma apologia aos ciclistas de todo o planeta e parece ter inspirado esse belo site brazuca que você pode conhecer a seguir. http://apocalipsemotorizado.net/

Comentários

Gisele disse…
Adorei a dica e vou ler o livro, assim que puder.
Bjks,
Sentimental ♥ disse…
eu juro q queria ser menos refém do meu carro... mas não dá, só q eu, diferente de muita gente q trombo por aí no trânsito, não uso o meu como arma... mas ainda sim queria não depender tanto dele.
enfim, um dia chego lá.
beijos
Filó disse…
Valeu pela dica, ainda mais com esse avalista...
MELISSA S disse…
Livros datados... é verdade... A cultura dos lançamentos é realmente complicada. Conheci teu blog pelo "Garotas de Segunda" e achei muito interessante. Não tenho carro e, se algum dia, comprar um, juro que só usarei aos finais de semana para viajar. Moro perto do trabalho então pego ônibus na boa e ainda me deleito com as paisagens e pessoas que vejo no caminho. Prefiro investir em outros luxos. Como pencas e pencas de livros, por exemplo. Bjs
MELISSA S disse…
Posso linkar teu blog?
Luma disse…
Interessante se olharmos também pelo lado da economia que atualmente o foco é essa quebradeira iniciada nos EUA, o pais "motorizado" onde tudo gira em torno de "sustentar" um veículo em movimento. Quem casa quer casa, quem cresce quer carro e por conta disso, estamos escravos do sistema. Beijus
Ju disse…
mais que a dica do livro vc tocou na meu ensaio mental (que oxalá vire práxis) de largar o carro!
beijos
:)
rm disse…
Pra desafinar o coro:
o autor do livro sugere bicicleta como alternativa? É? Manda ele fazer uma ciclovia pra moutain bike aqui em BH... rssss
Com todo o respeito, meu caro Ricardo, nem na China esse negócio dá certo mais... só era viável debaixo do porrete da ditadura comunista.

E inviáveis mesmo são cidades com vários milhões de habitantes, de carro, metrô ou jegue.
Oi Ricardo. Sobre seu comentário lá no meu post, bem que eu gostaria de dar nome aos bois, mas como não tenho gravação, é um risco né.... Mas claro que, aqui em minha cidade, estou espalhando o texto e a informação para as pessoas certas.
abraço
Ju Dacoregio (heresia loira)
Ricardo Soares disse…
gisele... espero que vc leia mesmo...vale a pena...é um apanhado de artigos que sugerem meios alternativos ao automóvel...bjs

sentimental... o problema é que todos acabamos reféns dos nossos carros... preguiça nossa ou falta de alternativa mesmo? cada qual tem seu drama... bj

filó... o avalista desconsidere... o livro , considere...bj

melissa... sorte sua que não precisa do carro... te invejo... quanto a comprar livros, temos o mesmo vício...bj/pode linkar e eu linko o seu...

luma... quanto tempo!!!tua frase resume tudo . Ficamos escravos do sistema e o alimentamos todos os dias... kiss

ju... tenho o mesmo dilema... todos os dias penso em abandonar carro... no rio já deu pé... em sp ainda não...kiss

ô rm... deixa de ser apressadinho cabra ! o livro não é só sobre bicicleta como alternativa viável...é uma reunião de artigos/propostas que servem como sugestão para que abandonemos os automóveis... e deixa de ser pessimista... acho que por bem ou por mal a bicicleta será das poucas soluções viáveis para o futuro... ou bicicletamos ou surtamos... vc não sabe pedalar ?? abs

ju... entendo suas cautelas com o politico safado... e olha que de político safado eu entendo... mas espalhe a escrotidão pela sua cidade mesmo...quem sabe se por dedução as pessoas não descubram quem é a triste figura... bj
rm disse…
Sei sim e gosto muito de pedalar...
Só notei que era uma coletânea de artigos, provavelmente de especialistas, depois que comentei. Mas muda pouco minha opinião: as necessidades de transporte urbano, sejam individuais ou coletivas, são função direta dos tamanhos das populações urbanas. Assim, meu caro, não há sequer solução técnica para o problema em megacidades de vários milhões de habitantes.
Lembro-me de assistir uma palestra do urbanista e ex-prefeito da Ju, Jaime Lerner, na qual ele era ainda mais rigoroso e afirmava que cidades com mais de um milhão de habitantes eram inviáveis...
Conseguiu no Rio porque provavelmente hospedou-se próximo ao trabalho. Assim em Sampa também é possível. Mas e o sujeito da baixada? E o de Jaçanã?
Sentimental ♥ disse…
olha, eu acho q junta um pouco de tudo, por causa dele fiquei extretamente preguiçosa, em contra partida o transporte público aqui não é dos melhores e pra completar tenho um pai completamente dependente, então é, cada qual com seus dramas... rs
beijos
Anônimo disse…
Ricardão,
Apenas acrescentar ao seu post que Ned Ludd é o pseudônimo do tradutor Leo Vinícius, conforme
http://www.gardenal.org/trabalhosujo/2006/07/ned_ludd.html
O Ned Ludd original é o líder dos têxteis ngleses no século XVIII, o primeiro a quebrar máquina como forma de protesto. Mais detalhes em
http://en.wikipedia.org/wiki/Ned_Ludd
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ned_Ludd
Abração,
Gabriel P.

Postagens mais visitadas