MACHADO DE ASSIS E A TELEVISÃO

Tirando a chegada da família real ao Brasil em 1808 a efeméride mais comentada desse ano é o centenário da morte de Joaquim Maria Machado de Assis que acontece exatamente hoje quando muito já se falou sobre o assunto, muitos livros ao redor do tema foram lançados e muitas reedições da obra do mestre vieram à tona para sorte nossa. Sucede que a televisão ,que pouco ainda se utilizou da obra machadiana, só homenageou o nosso maior escritor de maneira óbvia com matérias relatoriais e muito pouco elucidativas sobre a vida e obra de Machado. Agora mesmo assisti ao "Jornal da Band" que lembrou o assunto de forma tímida com uma matéria bem ruinzinha a respeito feita por uma repórter muito pouco familiarizada com o assunto como pode se perceber. Fora que ouviram como depoentes dois almofadinhas ( Gustavo Franco , aquele, ex-presidente do Banco Central e o jornalista (?) Daniel Piza) que escreveram sobre Machado como se o país não tivesse gente muito mais qualificada pra falar a respeito. Já o "Jornal Nacional" dedicou uma matéria um pouco mais extensa sobre o assunto onde Edney Silvestre ,em cenário high-tech, relembrava as ruas do Rio de Janeiro de Machado. Nada muito especial ,mas uma matéria mais redonda sobre o assunto visto que Edney é afeito aos livros. Mancada foi ouvir entre os depoentes "intelectuais" como Claudia Raia e Ivete Sangalo que como sabemos não devem ter lido mais do que cinco gibis na vida. Será porque a Globo quer provar que o Machado é popular ? não entendi o foco da matéria mas fico aqui pensando se Machado fosse francês ou americano que tipo de homenagem teria no dia do centenário de sua morte. Acho de fato muito pouco o que o maior instrumento de comunicação ( a tv) fez sobre Machado na passagem do seu centenário . E na crítica incluo inclusive o "Revista Brasil " ( na Tv Brasil, todos os domingos, 17 horas) sobre o qual tenho responsabilidade e que também não fez uma matéria a altura do personagem. Enquanto ainda estivermos na fase de lembrarmos com comoção maior a morte de mauricinhos pilotos de fórmula 1 do que o nosso maior escritor acredito que estejamos numa fase pré- cambriana de nossa formação como nação. Não se trata de uma competição entre mortos mas lanço a pergunta : o que é mais importante para um país ? as vitórias de um mauricinho paulista queimando gasolina especial nas pistas do mundo que ao levantar nossa bandeira conquistou corações e mentes ? Ou a obra de um dos maiores escritores da humanidade que vencendo tudo o que tinha contra si ( gagueira, epilepsia, pobreza e preconceito racial ) foi um dos pilares de sustentação da cultura nacional ? a propósito : não vi uma palavra a respeito proferida pelo nosso presidente Lula, pelo governador paulista Serra , pelo carioca Sérgio Cabral Filho e sequer pelo ministro da Cultura Juca Ferreira . Alguma coisa está fora de lugar não é?

Comentários

Fabricio Carlos disse…
Primeira vez que comento por aqui, mas acho o teu blog muito bom...

Não vi as reportagens que vc citou mas mesmo desanimado, não me surpreendo com fato.

No nosso país os artistas que contribuem para o nosso desenvolvimento cultural, passa por um processo estranho de reconhecimento:
- ou tem de morrer para ganhar destaque;
- ou ter de ser reconhecido (as vezes até ciltuado) lá fora, para depois chamar atenção em Terra Brasílis.

E no caso de Machado, ainda tem o revés de que na escola o aluno é ensinado a não gostar do autor - já que seus livros são "impostos" aos alunos de uma maneira nada digerível.

Abraços...
Kiara Guedes disse…
Ele encabeça meu "quinteto fantástico" de autores não está "apenas" (e aqui é ironia pura) por ser nosso grande romancista, cronista, poeta, dramaturgo, contista e crítico literário, mas antes, nosso maior filósofo! É uma pena que da ultima vez que disse isso alguns alunos na universidade riram de mim, achando que eu estava sendo um tanto quanto "demais"... Fazer o que, se a referencia que temos, ou ligaçao é Machado de Assis e Ivete Sangalo?...Difícil!!
Ric,

O Globo News dedicou uma série especial - acho que em dois ou três capítulos - que foi bem melhor e trouxe figuras mais interessntes que as que você citou (professores, historiadores, etc). Mas, estas pessoas, pelo visto, não dão ibope. Os programas também tiveram reportagem do Edney Silvestre, que gosto... (fora que ele é um charme..rs..rs..)..

Também tenho acompanhado o que a Academia Brasileira de Letras tem soltado. Ok, tem gente que tem muitas restrições à ela, mas, o material está lá, no site, acessível. É preciso ler os artigos, as notas, até para poder criticar. Pena que esse material (e outros) não é tão acessível assim para toda a população. Eu, que posso, fujo do Jornal Nacional.

A TV BRasil - com todo o respeito a você e ao Geraldo - pisou na bola em não ampliar a cobertura. Aliás, neste ponto, serei uma eterna credora em relação aos programas de literatura por lá. TEm que ter e PONTO (rs rs rs olha a mandona...rs.).

Experiência e capacidade não faltam....

estou órfã dos bons programas de literatura. :(


beijo! gostei do post.
Edna Federico disse…
Ah, meu amigo....é mais fácil vermos uma vaca voar, do que ouvir nosso presidente falar sobre Machado.
E é até bom que nem fale mesmo, pra não macular, sabe...
E viva nosso eterno Machado!
Beijo
Armando Maynard disse…
PARABÉNS Ricardo, quando você "BATE", bate realmente na hora certa. Vivemos uma época em que ser SUPERFICIAL é pouco, MAIS VALE O TER DO QUE SER.Um abraço,Armando(lygiaprudente.blogspot.com)
Ana disse…
Tava sentindo falta dessa verve!
Uma honra poder tê-lo de volta ao ninho!
rm disse…
Ô se está!

O fato é que o Machado, a despeito da excelência, foi um pouco relegado pelo modernismo, né?

Recomendo aos leitores mais jovens que comecem pelos contos antes de chegarem aos romances.


Meu caro, resolvi criar um blog. Não tenho a pretensão de atrair tantos leitores quantos são os seus, mas gostaria de convidá-los e a você para uma visita.

Ah... falo lá sobre um certo presidente do Banco Central que, suponho, também tenha alguma dificuldade com a língua pátria:

http://erreeme.blogspot.com/
Marcio Gaspar disse…
estás coberto de razão, ricardo... e sugiro uma sequencia de posts dentro da série "pra que serve...", com os personagens desprezíveis e inúteis da tv aberta, tipo raul gil, xuxa, faustão (esse já foi bom, um dia...), eliana, e tantos outros. meu deus, que merda isso tudo!
Gisele disse…
Putaqueopariu, home, tu é fera, nénão???
Amei o blog que estou lendo de cabo a rabo. Resultado: virei freguesa...
Beijocas,
MELISSA S disse…
Pior que não há nada fora da ordem Ricardo. Machado não é popular no sentido de que o povo nesse país não lê nada, que dirá Machado. Logo, já que a televisão é pautada pelo que o público quer ver, nada mais lógico que a "ausência" de Machado. Ouvi dizer que a Globo fará um minissérie sobre ele ainda esse ano. Seria uma iniciativa interessante, vamos ver...

Postagens mais visitadas