AUTONOMIA PALESTINA

A bela foto acima me dá mote para tocar "an passant" num assunto delicado porém fundamental . A autonomia do povo palestino na terra que lhes é de direito. Oprimidos pelas truculentas forças de Israel eles tentam há décadas ao menos compartilhar territórios com os judeus. É lógico que não simpatizo aqui com excessos e brutalidades de nenhuma das partes mas tenho imensa simpatia pela causa palestina.

Comentários

Gisele disse…
Dois posts num mesmo dia?
E numa sexta???
Tu tá cheio de gás, amore!!!
Quanto à causa palestina, me comove sim, e muito.
Mas, confesso que também me afeta a imensa aflição em que sempre viveu o povo israelense, sempre de mala nas costas. Tudo isso poderia ser minimizado com dirigentes mais competentes, em ambos os lados.
De toda forma, a foto é belíssima.
elisabete cunha disse…
Ricardo

Muitos são os mitos em torno da cultura palestina, ressalto que a Palestina é um país que investe na educação do povo e não em armas e a educação é a única forma de passar o amor pela terra aos filhos e fazer com que continuem a viver na região.SEM PUXAR BRASA PRA MINHA SARDINHA,POIS SOU descedente de palestinos , a Palestina possui o melhor nível de escolaridade do mundo. E a mulher, ao contrário da crença ocidental de que seriam discriminadas, exerce grande poder na política local. "Até hoje, o palestino carrega a cruz que Jesus carregava."

BEIJO!

MEU BLOG ESTÁ JOGADO AS MOSCAS...
hahahah!
rm disse…
Ricardo,
põe delicado, polêmico e passional nisto...

Não me furto:

1) Também me simpatizo à causa, mas não aos métodos, à barbárie e aos crimes de lesa-humanidade.

2) Tenho uma visão muito pessoal a respeito do papel do povo judeu na questão palestina. E enfatizo: povo judeu e não povo israelense. Este deve ter todo o direito de defender-se. Mas o povo judeu, espalhado pelo mundo - não-habitante do estado de Israel - mas ainda assim responsável por parcela importante do poder político daquele Estado; cumpre, na minha opinião, lamentável papel.

3) Nenhum povo, na história da humanidade, foi mais perseguido que o povo judeu. Assim não tem o direito, MORAL, de perseguir outro povo qualquer.

4) Quem deve ceder é o povo judeu, mas não posso admitir o terrorismo como método de luta. A desumanidade lhe tira a legitimidade.

5) Afora judeus e palestinos há muitos outros aspectos relevantes envolvidos na questão palestina. De geopolítica até os mais explicitamente econômicos. O resto do mundo não é inocente.
Larissa disse…
concordo com gisele, os isralenses não param nuunca de peregrinarr...
pra mim, é um conflito sobrenatural!
Anônimo disse…
Ficamos todos aborrecidos com o último episódio na Faixa de Gaza.
Não defendo terrorismo, e menos ainda o Sionazismo. Desculpe o trocadilho. Mas não confundir Judaísmo com Sionismo,estes são distintos.
Há judeus que não apoiam esta política truculenta movida a chumbo que as forças Armadas Israelenses tem exercido na região pelo menos nos últimos 60 anos.
Não esquecer que em fevereiro acontecerão eleições em Israel, nada como dar alguns pipocos para angariar votos.

Postagens mais visitadas