ENQUANTO EU DORMIA...

Enquanto eu dormia
A chuva caía
Os barrancos despencavam
E as luzes dos morros indicavam
Que nessa estranha geografia
Dormir é morrer aos pouquinhos

Enquanto eu dormia
Um tempo arrevesado se extraiu
Do tempo de sono que perdi
E esse tempo inexato desbarrancava
Dentro do conceito de tempo que eu reinventava

Ricardo Soares

Comentários

Cafeína disse…
seu corpo dormia, sua alma assistia... adoro te ler.
bjo
c.k. disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
c.k. disse…
Ô, Ricardo... Cê tem linkado umas fotos lindas, ein ? Que beleza a da Neblina Predial de uma das postagens recentes e dos Morros Marítimos Totenzísticos do cabeçalho de teu blog.
Ó, tou divulgando procê mais um blog musical da net, o meu. Se chama 'Tempero Auditivo' e tem algumas das coisas que garimpo na net. Não segue lógica de estilos, só o meu gosto. Dá uma passada, ó. Nem sei ainda se todos os links tão funcionando, acabei de dar forma a ele ontem.
www.temperoauditivo.blogspot.com
:D
Fique bem, plíz.
c.k.

Postagens mais visitadas