nice TRIP

Confesso que vivi muitas outras vidas nessa vida ao redor da mídia. Não como foco da mídia mas jogando foco nos outros. Ajustando o foco,mudando o foco, desfocando e por aí afora. Numa dessas vidas ( entre 1990 e 1991) fui chefe de redação da revista TRIP numa época em que ela se transformava de uma revista de surf pra uma revista de ação,comportamento e aventura. Trabalhei e convivi com os fundadores da revista, Paulo Anis Lima , o editor, e Carlos Sarli um coringa envolvido com a área administrativa também. Eram bons tempos numa redação pequena ali na rua Cerro Corá na Lapa e depois num sobradão na avenida Juscelino Kubistcheck ainda não invadida por espigões medonhos. Em que pese Paulo Lima ser dos maiores egos de todo o sistema solar tive uma ótima convivência com ele e com Carlos Sarli ("Califa" como muitos o conhecem) e fizemos juntos números memoráveis da revista como aquele que tinha a mão de Paulo Coelho segurando uma espada na capa e uma parte da entrevista do mago nas páginas negras da revista encartada num disquinho de vinil transparente. Pô, era tempo ainda de disquinho de vinil e nós todos éramos molecões récem entrados na faixa dos trinta anos.

Mas por que rememoro tudo isso ? Simples . Porque achei muito legal a edição sobre longevidade da revista TRIP que está nas bancas esse mês inclusive com um ousado ensaio da ex- bonitona e namoradeira Vera Barreto Leite que exibe sua nudez idosa sem culpa nenhuma. Uma das marcas da TRIP que sempre me atraiu como leitor ou profissional da revista foi sua ousadia. Mesmo que uma ousadia de mercado, uma ousadia estudada , uma ousadia estrategicamente calculada para atrair a juventude dourada , a rebeldia sem causa, os valentôes, bonitões e bonitonas da Rio - Santos, de Maresias, Camburizinho ou de Garopaba, Saquarema, Trancoso ou outro "point" Brasil afora.

A TRIP encaretou em muitos pontos, fez concessões pra bem sobreviver mas se estabeleceu como marca própria , sem cópias no mercado brasileiro de revistas que , aliás, é muito ruim. O grande mérido de Califa e Paulo Lima foi sobretudo não vender a marca para grandes grupos como a ABRIL mas estabelecer uma marca própria fortalecendo sua própria grife como geradora de conteúdos diferenciados. Tanto que a editora TRIP é hoje muito , mas muito maior , do que aquela na qual trabalhei nos anos 90. Hoje eles fazem revistas pra empresas como GOL , a construtora COELHO DA FONSECA e alguns outros clientes , além de editarem a TPM, para meninas.

Parabéns a esses dois empreendedores editoriais que souberam se associar nesses anos a sócios capitalistas minimamente arejados o que lhes possibilitaram manter a marca TRIP arejada a ponto de produzir uma edição como a que está nas bancas. Fui feliz enquanto ali trabalhei. Ali fiz algumas amizades que duram pela vida afora e dali sai sem rancores em busca de outras paragens e melhor remuneração como faz qualquer profissional minimamente criativo que não é patrão.

Sei inclusive que o Paulo Lima, que tem muita dificuldade de elogiar alguém que não seja ele mesmo, teceu ao longo desses anos alguns comentários muito gentis a meu respeito pois parece reconhecer meu esforço naquele período em que a revista ainda engatinhava. Tudo o que ali aconteceu deve-se fundamentalmente a ele e ao Califa. Mas que bom que mesmo escondidinho ele tem gratidão por parceiros antigos como eu , Otávio Rodrigues, Fernando Costa Neto, Shoiti Hori e tantos outros. Que a TRIP, mesmo sendo hoje uma revista de mercado para o mercado, continue desafinando o coro dos contentes e tenha uma vida longa para nos presentear com edições tão bacanas como essa que está nas bancas e cuja capa você vê abaixo ...

Comentários

Anônimo disse…
Vai aí mais uma do teu amigo Ciro Gomes, Rei do Ceará. Pode ser que ele te pague o que te deve!

CIRO E ARIALDO PINHO, EX- AMIGOS OU AMIGOS QUE FALAM LÍNGUAS DIFERENTES
Por: Donizete Arruda


O empresário Arialdo Pinho era um amigo, amigo mesmo, do político Ciro Gomes. Não era amigo do deputado estadual, do prefeito de Fortaleza, do governador do Ceará, do ministro da Fazenda, do ministro da Integração Nacional, do deputado federal. Arialdo Pinho era amigo irmão do homem Ciro Gomes. Arialdo compunha uma pequena lista de pessoas com proximidade e liberdade para falar com Ciro a qualquer hora do dia e da noite, e dizer o que achasse conveniente, independente das reações de Ciro Gomes.

Veio a campanha eleitoral de 2006. Ciro Gomes teve que se dividir entre a sua campanha para a Câmara dos Deputados e o comando da campanha do irmão, ex-prefeito Cid Gomes ao Governo do Ceará. Quem Ciro foi buscar para coordenar a campanha e ser seu homem de total confiança na campanha. Acertou quem respondeu o empresário Arialdo Pinho. Durante o embate eleitoral contra a então reeleição de Lúcio Alcântara, Arialdo cresceu e ganhou a confiança dos irmãos Cid, o candidato a governador, e Ivo Gomes.

Eleito, Cid Gomes não teve dúvidas. O empresário Arialdo Pinho seria o todo poderoso secretário da Casa. Assim o fez. O eleito o deputado federal mais votado do Ceará, Ciro Gomes, sorriu. Confiava na competência de Arialdo Pinho para alavancar o Governo de seu irmão, e tinha uma interlocução harmônica com Arialdo. Poderia exercer influência sem se desgastar com debates intermináveis com os irmãos Cid e Ivo Gomes.

Assim foi iniciado o Governo Cid. O tempo passou, e Ciro Gomes continuou amigo de todas as horas do secretário Arialdo Pinho. Em um episódio familiar envolvendo o filho do secretário da Casa Civil, Ciro foi foi chamado às pressas por Arialdo em plena madrugada de Fortaleza. Diferente de outros políticos que não se dispõem a ajudar os amigos em horas difíceis, Ciro não se recusou a ajudar. Ao contrário, mostrou que era verdadeiramente um amigo irmão de Arialdo e ajudou. Há até uma testemunha incontestável: o superintendente da Polícia Civil, Luiz Carlos Dantas, que também mostrou-se útil no apoio dado . E o que seria isso? Problemas familiares, comuns a tantas famílias cearenses.

Passado esse episódio, como no slogan do banco que quebrou, o tempo passa, o tempo voa, e o secretário da Casa Civil, Arialdo Pinho, esqueceu ou mais prudente seria afirmar, envolveu-se em tantas questões de estado que permitiu um esfriamento na relação de amizade dele com o deputado federal Ciro Gomes.

Hoje, Ciro e Arialdo são amigos, e isso ninguém discute. Mas, o secretário Arialdo Pinho mostrou na campanha eleitoral de Fortaleza que é seguidor inconteste das vontades do governador Cid Gomes. Arialdo nem pestanejou: entre apoiar a senadora Patrícia Sabóia e a reeleição da prefeita Luizianne Lins, foi um implacável apoiador de Luizianne. Isso desagradou a Ciro.

Essa atitude de Arialdo Pinho na sucessão de Fortaleza causou um distanciamento dele com Ciro Gomes. Não seria exagero afirmar hoje, que Arialdo Pinho não é mais homem de Ciro. Verdadeiramente isso não é certo, Arialdo Pinho é hoje um homem de Cid Gomes. Quanto a amizade de Arialdo Pinho com Ciro, ah! a amizade...
angelo alfonsin disse…
Não dá para acreditar que um país maior do que um continente não tenha uma revista que preste, nem de futebol sendo o país do futebol.
"Ricardo Soares Magazine", quem sabe, uma revista para colocar as coisas em seus devidos lugares.
Já tem até slogan.
abraço
Silvana Tavano disse…
oi Ricardo!
Concordo em tudo com você. A Trip é uma das poucas revistas (das nossas bancas) que vira e mexe ainda me surpreende com sinais de vida inteligente, alguma ousadia, transgressão e humor.

beijos!
Anônimo disse…
Meu Caro Ricardo,
Estou com saudade dos seus posts que desmascaram o fraudulento Ciro Gomes! Já que o Ciro está apagado,você devia tomar conhecimento dos abusos cometidos pelo o irmão-governador Cid Gomes,que está fazendo muita "farra" com dinheiro público aqui no Ceará e nos bastdores se comenta que a CPF(comissão por fora)é toda prá campanha do "Megalô'.Alé da milionária reforma do Palácio da Abolição(mais de R$37 milhões) tem uma licitação prá lá de suspeita de uma obra no Porto do Pecem que descaradamente beneficia a poderosa construtora MARQUISE.A imprensa daqui como sempre está surda e muda.
Um abraço.
Deoclécio Feitosa Fachinne
Carol Rocha disse…
Eu achei SENSACIONAL o ensaio da Vera na Trip.
Muita coragem dela e da revista, claro.
Isso sim é mulher de verdade, com todas as marcas que a vida lhe deu, sem vergonha de assumir.
Realismo sensacional.
Taí: vou traçar como objetivo trabalhar na Trip.

beijo!
Percival disse…
Querido Ricardo,
sempre inovando no
blog roxinho.
linda imagem
e seu texto é facil
e inteligente

Postagens mais visitadas