PREDADORES- PEPETELA

Só mesmo a literatura africana é mais desconhecida entre nosotros que a latino-americana com as exceções Borges&Garcia-Marquez&Cortázar&VargasLlosa&OctávioPaz. O escritor angolano José Eduardo Agualusa, apaixonado pelo Rio e pelo Brasil, veio redimir um pouco essa situação ao fincar âncoras na cidade maravilhosa com sua editora "Língua Geral" que tem lançado entre nós autores interessantes como ele próprio e seu conterrâneo, o veterano Pepetela, que comparece com o bom "Predadores" um "tijolinho" de 545 páginas muito saboroso que narra a ascenção , glória e queda do empresário multipicareta Vladimiro Caposso, um tipo execrável que "cresceu" à sombra do período pós guerra colonial em Angola. E "cresceu" como ? A saber : ele inventa um passado, um pai e até um ideal para subir na vida. Com o asqueroso Caposso o Pepetela traça um retrato mordaz dos últimos 30 anos em Angola que tem mais semelhanças com o "jeitinho" brasileiro do que imagina nossa vã malandragem. Caposso escala rapidinho degraus políticos e financeiros através das benesses que consegue pagando propina e prestando favores a todos os escalões do governo. Muito oportunismo do protagonista com uma moqueca de esperança e desesperança ajudam o leitor a entender um pouco do que é a Angola de hoje em dia. O ritmo da escrita de Pepetela é ágil, direta, fluída , sem rebuscamentos. Atravessa-se o "tijolinho" sem maiores esforços numa narrativa cheia de aulas de geografia e escrotidão angolana. Acabei de ler e adorei. Recomendo total.

ps. voltarei a falar dos livros da editora "Lingua Geral" que está publicando inclusive brazucas como Nelson de Oliveira meu colega na antologia "Travessias Singulares" organizada pelo Rosel Soares.

Comentários

Ricardo Riso disse…
Olá, Ricardo!
Agradeço a visita ao meu blog e parabéns pelos comentários a respeito do livro de Pepetela. Trata-se de um autor que utiliza o gênero romance para reconstruir a história recente do país, sendo um contraponto à história oficial. Dele, destaco "A geração da utopia" e "Mayombe", publicados aqui, contudo, fora de catálogo.
A Língua Geral preenche uma lacuna do nosso mercado editorial ao publicar autores africanos, assim como novos nomes daqui como Ana Paula Maia, em edições caprichadas, porém com preço elevado.
Um grande abraço e foi prazeroso conhecer o seu blog.
Ricardo Riso
Marcia Barbieri disse…
Li Pepetela no meu curso de Literatura Africana e adorei,é bom vera divulgação desse autor,relativamente desconhecido para nós.

beijos

Postagens mais visitadas