LEILA DINIZ, uma mulher solar

O verão está aí mas o sol não tem comparecido muito. Faz mais mormaço do que sol nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo. Se cair aquela chuvinha ou aquela chuvarada que paralisa a vida dos cariocas ( e também de parte dos paulistas)arrisque ficar em casa, arrisque deitar na sua cama, rede ou tapete grosso. Arrisque apoiar bem sua cabeça e ler com voracidade o livro que o Joaquim Ferreira dos Santos fez sobre a diva Leila Diniz . É um livro solar pra uma mulher solar. Se não leu ainda ilumine seu verão mormacento.

Comentários

Dentro da Bota disse…
Deve ser um livro maravilhoso... foi colocar na minha lista "livros para comprar quando estou no Brasil"...rsss

Abraços...
Gi!
angelo alfonsin disse…
Nunca mais haverá verões como aqueles, Leila talvez signifique em tupi-garani "alegria de viver".
Joaquim Ferreira dos Santos que parece a reencarnação do Carlinhos de Oliveira, para mim, é o melhor cronista brasileiro.
Nossa, quanta honra Ricardo! Era fã do "Munda da Literatura" na Tv Educativa. Levei até um susto quando vi seu comentário lá no "Na Contramão"!
Obrigada pela visita e volte sempre!
Ah, hoje eu ganhei o dia...
Um grande beijo,
Beatriz Levischi disse…
pois eu gostei de "mulher solar". ;)

como você descobriu o gatoca, ricardo?

quando eu crescer, quero ter um perfil assim... rs

beijos!
ELISABETE CUNHA disse…
Mulher retada!

DAS UTOPIAS
Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!

Mário Quintana
bourdoukan disse…
Ricardo

Obrigado pela informação.
Não se poderia esperar outra coisa de um sátrapa dos EUA. Não adianta o governo do Iraque retirar o que já está no coração do povo.

Grande abraço
Bourdoukan
Joice Nunes disse…
eu acho que sou,sim, um pouco Leila Diniz. A rebeldia fazendo calos nos pés de mulheres desassogedas feitos nós. Existem muitas leilas por aí. Eu mesma conheço um punhado delas.
Bom que só esse teu espaço. Bom agora ser tua vizinha. Vem sim, à Fortaleza, cidade solar, que nem diz uma amiga daqui.
Um beijo.
Armando Maynard disse…
Leila Diniz lembra: liberdade, contestação. Era uma mulher muito avançada para o tempo em que viveu, uma grande personalidade, sua entrevista ao semanário "O Pasquim", marcou época.

Postagens mais visitadas