RECADO AO ARNALDO BLOCH

Satisfeito fiquei ao ver que o próprio autor de "Os Irmãos Karamabloch" , Arnaldo Bloch, comentou meu post sobre seu livro . Diz ele : "Salve. Obrigado pelos cumprimentos. Queria ressaltar que o livro não se limita a relatar o que há de triste na família, mas também as belas coisas e as luzes e sombras de personagens como Adolpho, Jorge e Fanny". Tens toda razão em fazer o reparo Arnaldo. Talvez porque minha impressão da família Bloch não seja boa eu tenha ressaltado a sua coragem em expor apenas as vísceras desse clã , seus defeitos e misérias. E deixei de ressaltar as belas coisas que você também descreve, inclusive a maneira singularmente poética e escrachada com a qual você retrata seu próprio pai, Leonardo, que é um personagem que a gente fica com vontade de conhecer pessoalmente. O que quis dizer, enfim, é que num livro pretensamente biográfico (no que tange a descrever a trajetória de uma família de judeus russos/gráficos) você não dourou a pílula e nem transformou sua parentada num poço de virtudes mantendo à luz inclusive todos os horríveis defeitos que fizeram a mim, a nossa colega Denise do Egito e muitos outros profissionais da área deplorarem pessoas como Jaquito e Oscar Bloch. Adolpho é Adolpho. Lenda é lenda. Mas que ele existiu , existiu né Arnaldo ? Embora as vezes pareçae inverossímil... mas parabéns pelo seu trabalho. Juro que agora vou ler seu livro sobre Fernando Sabino e em breve quero procurá-lo aí no Rio para uma entrevista para a Tv Brasil. Abraço

ps. Arnaldo também tem blog.Clique aqui. Só não vou linkar porque ele está no portal do jornal "O Globo" que não linka ninguém que não for do mesmo portal.

Comentários

Cassionei Petry disse…
Estou curioso para ler o post sobre o Salomão. Sempre li só elogios sobre ele. Teu blog continua sendo uma das minhas leituras favoritas (coloquei um link no meu blog). Um abraço.
Denise do Egito disse…
Ricardo,
Fui demitida da Bloch sem receber meus direitos. Depois fiquei sabendo que o Jaquito abriu uma editora aqui mesmo no Rio e continua tranquilamente editando revistas, ganhando dinheiro, embora deva a ex-funcionários. Como ele consegue? Nesse país, se pode tudo... E eu continuo há dez anos sem receber...
Um abraço

Postagens mais visitadas