sobre bajuladores e urubus


Ontem falei aqui das pessoas-urubus, na verdade variação das pessoas nefastas que o Gil já "homenageou" em uma de suas músicas. O post foi comentado com humor por leitores queridos que entenderam plenamente o recado. Um deles me pergunta se existe a tal pessoa- urubu em minha vida atualmente e se ela existe seria imprudente em duelar com a minha ironia. Respondo que na verdade pessoas urubus sempre existem e na verdade,mais recentemente, uma pessoa urubu tentou existir na minha vida,pousar no meu ombro para "obrar" suas titicas existenciais. Por ser urubu eu a afastei do meu convívio profissional e pessoal mas não a demiti. Apenas desejava (como desejo) que ela seja feliz bem longe de mim e livre dos anti-depressivos, calmantes, acidulantes, estimulantes e rompantes de vitimização que a caracterizam. Por um erro de avaliação dei responsabilidades grandes a essa pessoa urubu. Confiei nela profissionalmente e ela me apresentou bons resultados no começo . Fui grato a ela que sempre me retribuía com bajulação, elogios, puxa - saquismo exacerbado como jamais vi. Como se me bajular fosse comprar meu beneplácito com sua inaptidão para o novo cargo que ele ocupava e à frente do qual cometeu tantos deslizes que foi afastado não sem antes ser avisado sucessivas vezes. A pessoa urubu (que,friso,não foi demitida) ao invés de ter dignidade e auto-estima pouco se importando com minha avaliação passou a me atacar no seu obscuro e quase clandestino blog que só teve algum acesso quando ele passou a fazer futriquinha enviando links às pessoas que ele queria que lessem o que tem a dizer contra mim .


O que aprendo com a lição ? é que um bajulador pode ser um urubu ou que todo urubu na verdade é um bajulador a priori. Após ser afastado o urubu adiposo passou a se referir a mim como pavão e outras metáforas. Disse a pessoa urubu no seu sorumbático blog que eu achei " que ia me dar bem na boquinha do empreguismo por “amizade” com os poderosos do momento". Além de risível e patético o rancoroso argumento é de gargalhar não só porque passei os últimos 12 anos de minha vida profissional trabalhando como free- lancer( ou seja , à mercê das oscilações do mercado) como tenho um currículo bem longo que independe de amarras de concurso público para me manter à frente das minhas atividades. Ou seja não tenho emprego público vitalício que me impeça de ser demitido. Não estou onde trabalho hoje por compadrio ou amizade mas pela minha trajetória profissional. Disso todos sabem inclusive o supracitado urubu que cansou de me dizer o quanto eu era talentoso, competente, esperto,hehehehe...eita urubu volúvel !!!!

e ela ainda disse no arremate de um patético post :

"Pretendo colocar um ponto final nessa besteirada toda, tenho mais o que fazer (não fazer nada, por exemplo, vale mais do que essas briguinhas de comadres)"

Então faça isso urubu bajulador. Esqueça desse pavão nada misterioso que você tanto adulou.Mas não queira arrancar as minhas penas que são coloridas ao contrário das suas escuras,pesadas, tenebrosas... xô urubu !!! pela derradeira vez...

Comentários

Leandro Márcio disse…
Ricardo...foi o que eu disse horas atrás... se a tal pessoa urubu existe dançou ao duelar com a sua ironia... conheço sua trajetória de outros carnavais e sei que vc não desperta unanimidade...mas a famosa frase diz que "a unanimidade é burra" e eu aprendi a gostar de sua franqueza desde sempre quando você escrevia no Estadão... parabens pela postura. Espero que você não volte mais ao assunto. Quero ler outras coisas legais suas e bem longe dos urubus. Use o Quintana contra elas. Eles passam e ficam estáticos. Você voa. abraço
figbatera disse…
Minha primeira vez aqui; nem sei como cheguei. Mas fiquei surpreso e gostei muito.
Sempre que puder, voltarei pra ler seus textos.

ps.:reparei tb que seu relógio aqui ainda está no horário de verão.
Anônimo disse…
Ricardo eu sei do urubu do qual você está falando , aliás um corvo que em nada lembra aquele do conto do Poe.Ele é uma figura pesada ( em todos os sentidos) e você devia ter pena apenas e não perder tempo em mencionar esse coitado. Trabalhei na antiga TVE e fui prejudicado por esse infeliz que deve ter problemas com o seu talento. Aliás talento que eu questionei quando você promoveu esse infeliz para diretor de um programa que só ficou melhor com a saída dele. Siga em frente e como você diz : xô corvo gordo.

assinado, um anônimo "comentário geral"
angelo alfonsin disse…
Caro Ricardo, tua trajetória profissional não é um cartão de visitas, mas um "outdoor" para quem conhece o tamanho do seu talento.
Groo disse…
"urubu adiposo". Esse aí deve ser bem gordo, hein, Ricardo?

Mas tens um coração de ouro! O urubu peso-pesado (nem sei quem é e pelo perfil apresentado nem quero saber)não foi demitido. Ele deveria era agradecer!

Ao menos você conseguiu cortar logo as asinhas do urubu na sua vida pessoal. Carregar urubus adiposos nos ombros não é fácil. É pesado mesmo.

abs
Ricardo...

ainda bem que urubu gosta de merda, viu!! E esse que te atrapalha parece ser uma própria merda!! Ow pessoa-urubu, vai procurar sua turma!! [rs] Tem que tratar como criança esse tipo de gente...

Saudações Ricardo... Gostei do texto.
Ricardo Soares disse…
Prezados leitores...obrigado pelos que entenderam o recado embutido do texto e para o batera que aqui chegou pela primeira vez me vendo batucar contra os urubus em geral e um urubu adiposo em particular... esse em particular ao qual me refiro é no fundo uma criatura digna de pena. Sorumbática, solitária, depressiva. Por isso eu diria que não é uma pessoa nefasta e sim uma pessoa urubu, variação do mesmo tema. Fica esbravejando no seu sorumbático e abandonado blog que ninguém lê como se a humanidade estivesse dando muita importância ao que o seu rancor regurgita. Depois eu sou o pavão ? o urubu adiposo atribue a ele e a mim importância que não temos. Transformou uma questão profissional numa questão pessoal e não reconhece que foi afastado do cargo que ocupava por absoluta inaptidão em exerce-lo. É assim mesmo a vida. Não acho que ele seja uma pessoa do mal. Só alguém que precisa de compreensão e tratamento inclusive com tarja preta. Como eu não tenho vocação pra enfermeiro e nem pra babá de urubu sugiro que ele apenas trate de si e de sua inveja. Pois a inveja é uma merda e como disse aqui a sestrosa Calila urubu gosta de merda... hehehe... e vamos em frente que muitos urubus ainda atravessarão o meu caminho. Eles cagarão e eu cagalhinho ... kisses for all
Camisinha.com disse…
isso aí, dito e feito!

pessoas assim...
pro lixão!

.

Postagens mais visitadas