UM TIRO, DOIS MORTOS

Quando a gente pensa que já viu tudo em forma de horror surge uma "novidade". Na sempre "acolhedora" Israel (especialmente "acolhedora" com os palestinos) surge agora uma nova moda. Jovens israelenses desfilam pelas ruas com camisetas como essas acima onde exortam a que todos atirem em palestinas grávidas pois um único tiro acertaria dois alvos. Em matéria de propaganda de horror nem os nazistas foram tão ousados como bem lembra o jornalista Georges Bourdoukan em cujo blog eu fui buscar essa informação. Ali se tem inclusive o link para a matéria do jornal israelense que publicou a história das camisetas assassinas. Clique aqui

Comentários

Eu NÃO perguntaria (de imediato) "- Onde estão as mães desses rapazes?"...
Eu perguntaria "- Onde estão os PAIS deles?"

Essa obscena demonstração de perversão (per-versão) patriarcalista-patrimonialista, como o nome já diz, vem sendo perpetuada há séculos e séculos pelos desavisados, imaturos, omissos, ausentes, pais-homens anteriores, que - por sua vez - foram igualmente imersos, deseducados e abandonados à perversão infantilóde patriarcal-patrimonialista deeeeeesde láááááááá de trás...

Perguntaria pelas mães DEPOIS, pois CLARO que existem mulheres MEGA patriarcais-patrimonialistas, TAMBÈM, infelizmente...

Mas, a MULHER (coletivo) já conseguiu, ao menos se tornar ator social!... MULHER (coletivo ou singular) FALA (e como fala...).

Enquanto o HOMEM não se tocar do "poder" autofágico que ele recita no discurso e vomita na prática irresponsavelmente (infantilmente), enquanto ele não refletir o suficiente, entre seus iguais sobre SUAS próprias questões de masculinidades, e se der a oportunidade de se tornar um ator social, essas aberrações irão de mal a pior.

HORROR! HORROR, O FILICÍDIO QUE CONTINUA NOS ASSOLANDO!...

BJS!
Júlio Bernardo disse…
Que horror.
Incrível como NÃO aprenderam com o passado.
• Bibian • disse…
É normal que, 98% da população mundial fique chocada com isso. Acho que faço parte dos outros 1% que encara tudo como uma questão acima de tudo cultural. Por que o restante seriam os que apóiam!

Enfim, dizer que é um absurdo castrar as virgens, tomar banho de lama, usar acessórios exóticos, e até mesmo exaltar a morte do "inimigo" é realmente muito fácil quando se está do outro lado da questão.

Violência também fazemos nós, brasileiros, com nossas crianças analfabetas, famintas e sem nenhuma esperança de melhoria.

É só uma questão de ótica.

Grande abraço e, parabéns pela colocação - ainda que em aspas - para acolhedores. Ótima!
Groo disse…
Bom, eu fico chocado com essas bobagens que vem de Israel. Se os jovens e crianças já são incentivadas a agirem desta maneira, o que esperar do futuro?

Eu acho que toda forma de violência é condenável. E ainda mais quando o incentivo para assassinar mulheres palestinas grávidas ganha adeptos em forma de camisetas ditas "irreverentes" como é o que parece demonstrar a estampa e a frase no vestuário.

Absurdo, isso. Sei lá se Deus ainda está ligando pra esse planetinha, mas se estivesse provavelmente planejaria outro dilúvio...

abs, Ricardo!
Poli Macedo disse…
o pior de tudo é ter gente capaz de considerar isso normal e cultural.. como postado acima..
Udi disse…
Normal não é... mas ainda estou aqui me perguntando como é que puderam ter chegado a esse extremo. Fui até a matéria original e, pelo que entendi, são encomendas de soldados... aliás, essa não é a única estampa encomendada... é chocante!
Ricardo, como jornalista, você não teria como saber as proporções e alcance dessa "moda"? Porque se for mesmo algo abrangente, algum tipo de reação deveria ser articulado, concorda?
Júlio Bernardo disse…
Pois é, Poli.
Sem dúvidas é menos horrível que tenha gente que não perdeu a capacidade de se chocar com isso.
Assim o mundo fica menos cínico.
Amplexos pacifistas.
Diniz Sena disse…
NOJENTO. Não dá pra taxar de outa coisa isso.

Estou "surrupiando" esta postagem pro meu blog. ok?

Postagens mais visitadas