CHICO E CAETANO NA BRAVO!

QUANTA ALEGRIA E PREGUIÇA NA ARTE DE ENCHER LINGUIÇAChico Caetano poderia ser o nome de um bodegueiro de Juquitiba, interior de São Paulo, ou de um centro-avante de um time de terceira divisão ou mesmo o nome de um piloto do rally dos sertões. Sucede que esse quase nome próprio jamais será associado a um piloto, a um bodegueiro ou a um centro-avante visto que separado esse quase nome próprio converte-se em dois nomes mais que próprios a quem cultua o que há de melhor na música popular brasileira. Chico e Caetano com o decorrer dos muitos anos de estrelato e exagero consciente da mídia passaram a ser uma espécie de Fla-Flu, Gre-Nal ou Corinthians e Palmeiras no imaginário brasileiro.Quem torcia por um virava os olhos para o outro e vice- versa até que a grande maioria passou a torcer pelos dois e o tempo passou na janela sendo que Caetano viu mais do que Chico a modernidade contornar a sua cama na medida em que se aferrou a tudo aquilo que era novidade( independente de ser boa ou não) enquanto Chico , às vezes extemporâneo, cometia equívocos do tipo apoiar vôos de solidariedade a Cuba. Ahhhhh, mas não pensem que vim aqui espinafrar os ícones ou desafinar o coro dos contentes dessas colunas jonicas de nossa cultura popular. Ou seria erudita visto que posto nos panteões dos deuses passaram a ser metamorfoses ambulantes, com opiniões formadas sobre quase tudo ? Chico que um dia foi unanimidade nacional perdeu o posto e muitos das novas gerações ( o que é até saudável) lhe levantam o dedinho dizendo em altos brados que não gostam dele. Caetano também divide corações e mentes mas sempre é considerado mais modernete que o Chico.
E onde quero chegar com o bolodório ? em lugar algum senhoras e senhores. Apenas fazer o registro que os dois veneráveis artistas estão na capa desse mês da revista Bravo! e eu , iludido, como se não conhecesse macetes do jornalismo dito cultural, prometi que não iria comprar a revista visto que achava improvável ela conter alguma novidade sobre os dois que eu desconhecesse. Ah, mas como eles estavam tão bem fotografados e sorridentes na capa ( "o sol nas bancas de revista, me enche de alegria e preguiça", né Caetano ? )como a chamada de capa prometia "o som e a palavra" e "as trajetórias paralelas dos dois grandes artistas brasileiros" lá fui eu cair na esparrela e gastei 14,00 para comprar a revista.Mercadoria por mercadoria melhor teria sido se tivesse gasto o dinheiro numas esfihas e kibes do Habib's visto que em caça de novidade não li novidade alguma a não ser saber ( pela enésima vez) que Caetano lança um Cd e Chico está com romance novo na praça chamado "Leite Derramado" . E eu não choro o leite que derramei pela compra da revista apenas porque sou o culpado mesmo pois deveria saber que a afinação e arte de encher linguiça estaria ali disposta para tentar vender a "nosotros" novidades inexistentes sobre esses nossos ícones pátrios. O que diz Chico na revista ? é inócuo . O que diz Caetano ? é protocolar. Nada contra as coisas no seu devido lugar nem contra os editores da BRAVO! que fazem direitinho a lição de casa. Apenas é uma tristezinha que me dá em ver mais uma vez Chico Caetano, o piloto, o centro avante, o bodegueiro de Juquitiba desconhecidos da massa ignara enquanto sabemos mais sobre o menos do Chico e do Caetano. Quanto às obras : ainda não li a do Chico e nem sei se a lerei. Do Caetano alguma coisa eu escutei. Mas não por culpa deles , mas pelo engessamento dessa cultura de massa que transforma tudo em produto, me pareceu estar diante do "museu de grandes novidades" como diria o falecido Cazuza que sabia que o tempo não parava. Nem pra vocês ouvirem e lerem que eu gosto do Chico e do Caetano. Mas cantando e compondo e seguindo a canção. Apenas. Me fiz entender ?

Comentários

Caro Ricardo Soares, já virou rotina acompanhar a sua coluna neste seu blog. Vejo na sua figura um bom polemista. Alegro-me por ter uma alternativa aos colunistas da Folha de S. Paulo (salvo a "acidez sadia" do Clóvis Rossi), a expressão destacada (entenda-se disfarçada) da "oficialidade" tucano-petista. Enfim, não que me alongar. Quero apenas louvar os seus contornos de polemista. Arrisco-me ainda em afirmar/sugerir: quanto mais polemista, niilista ou crítico das tradições culturais você se apresentar, mais vai ter a minha solidariedade, inclusive se por acaso vier a discordar de mim. Abraço, e parabéns pelo fôlego de sua escrita.
Ricardo, talvez você conheça tudo do Chico e do Caetano. Mas tem uma galera que sabe só sabe que eles são cantores.
Talvez, você tenha esperdiçado seus 14 reais. Mas minha irmã, por exemplo, que faz parte da geração Ipod, deveria ler sim sobre os moços. Afinal, eles contribuíram, não?
Entendo o que você quis dizer, algo pessoal, uma opinião sua. Tudo bem!

Irei comprar a revista para minha irmã ler.


Saudações
Não tenho como ter nada "contra" esses rapazes (como também não é o seu caso); mas dá um cansaço, não?...
Eles são umas graças, aliás; mega simpáticos com os reles mortais e tudo o mais; história? Fizeram também; quem o negaria?
Mas, talvez por velhice, na hora de ouvir alguma coisa, eu ando prefirindo Paulo Moura, Itacir Bocato, João Donato, Ná Ozzetti, Nora Nei, Isaurinha Garcia...
Mas, talvez (já) por precariedade cerebral, prefiro reler Machado, conhecer melhor o Saramago, manter o Nelson Rodrigues, desbravar o Robert Arlt, "viajar" com a Emily Dickinson, pensar no Weber enquanto espio o Tolstoi...
Nossa...tem tanta gente; eles também, mas o relógio só dá 24 horas por dia...DROGA!
BJS!
Frô disse…
Gosto das músicas do chico,gosto da história dele,gosto dos olhos dele kkkkkkkkk..a verdade é que a minha vida seria bem mais ordinária se eu não tivesse escutado as músicas do chico..mas prefiro o Chico cantor..o escritor não rola,li Estorvo e o nome diz tudo.Chico torce pro fluminense e isso também não me agrada.Aliás muita coisa não me agrada.Deu pra perceber né? Obrigada pela visita no meu blog.Enquanto ao Caetano,não vou com a cara dele.Abraços.
Groo disse…
Claríssimo, Ricardo. Mas me diga uma coisa: a revista abordou "mais uma vez" sobre o Chico "peladeiro de fim de semana" e de sua admiração ao Pagão? Quando falam do Chico Buarque quase sempre trazem referências como essas.

abs!

PS: deixo o convite, se tiver um tempinho, para visitar o tosco grooeland e ler a atualização sobre a feira de caxixis.
Udi disse…
Me alinho com a Christina! Até porque Paulo Moura tem sido o meu primeiro da lista, seguido do João Donato (e os 2 juntos então? ..."Dois panos prá manga").
Então tá, Ricardo, vou economizar na Bravo, que tantas vezes já comprei pela capa, e gastar com a RS, que será pelo conteúdo.
;)
c.k. disse…
Estes dois viraram Mais do mesmo. Quando eu ouvi o Caetano numa gravação de 1960 e bolinha num festival da Record desafiando o público, olha, meu cabelo arrepiou. Quando o vi no Oscar há uns anos atrás cantando a trilha sonora de 'Frida' com outra cantora, o microfone tremendo na mão, senti orgulho. Os dois não crescem mais, não trazem novidade alguma, se aboletaram em suas caras e em suas famas.
Nem vou escrever mais que isso me torra. Ah, e vá em temperomusical.blogspot.com que é meu blog musical prá ouvir novidades, tá ? Acho que cê ainda não passou lá. Melhor relevar a novidade do que reler sobre a mesmice.
Abs.
c.k.

Postagens mais visitadas