encontros imaginários : Collor e Dirceu

Diante da impunidade que premia certos politicos, como esse Arruda que está na crista da onda da corrupção, fica-se pensando não apenas no superlativo abismo moral que estamos mergulhados mas na certeza de que esses meliantes do poder público voltam a agir porque mesmo que todas as provas estejam contra eles os dito-cujos se sentem com a consciência limpa quando a justiça ( seja em que instância for) os libera da cadeia, das multas e das inegibilidades. Collor que deveria ter no mínimo ter pego cana brava pelo lixo que foi seu governo e de quebra ser inelegível para sempre apresenta-se com desfaçatez até hoje como uma vítima da mídia e de muitas  forças ( terríveis como diria Janio ?) porque a justiça pegou leve com ele. Arruda , violou painel do Congresso, nunca foi uma figura politica confiável e voltou com voto popular pra desgovernar o Distrito Federal. E para minha surpresa hoje mesmo o motorista que me levou hoje do hotel até o aeroporto de Brasília disse sem culpa que se Arruda não tivesse sido pego com a boca na botija terei levado seu voto de novo. E eu, que fico tentando entender sempre os porquês . Por que Collor, Arruda e tantos outros sempre acham que vamos esquecer seus escorregões por conta de que a justiça falha os deixa soltos ? Por que tipos como Zé Dirceu sempre acreditam  que podem enganar todos ao mesmo tempo ? Por que se vitimizam quando são desmascarados ?
Fico aqui a divagar como seria um longo  forçado encontro de tipos tão dispares ( mas igualmente caras de pau) como Zé Dirceu e Collor por exemplo . Imaginaram os dois trancados, sem alternativas de não estarem diante um do outro, durante dias num túnel subterrâneo de uma mina de carvão, no porão de um navio moralizador ou na despensa de um restaurante de luxo o que , aliás, combina mais com as excelências né ? Nesse encontro forçado o que conversariam os sujeitos ? Improvável que saissem no braço visto que deveriam sobreviver, inclusive um ao outro. Assim imaginando que teriam muito tempo pra conversar o que diriam um ao outro ? Que métodos utilizariam para convencer um ao outro de suas presumiveis inocências ? revelariam os segredos de certos joguinhos de poder ? contariam alguns blefes ? ririam de nossas humanas e mortais existências ? Não custa nada imaginar né ? O que sei apenas é que o inferno continua cheio de boas intençoes e de tipos como Dirceu e Collor que não tendo alternativas  são obrigados naquele calorão a contar as peripécias que praticaram nas vidas terrenas. E vocês ? tem alguma sugestão para esses encontros imaginários ?

Comentários

Gize disse…
Eu deixaria que eles enlouquecessem trancados,acompanhados e ao som dos risinhos dos Teletubbies!!!

Gize
Marcio Gaspar disse…
zédirceu tem inúmeras flahas e desvios de personalidade, mas é sacanagem coloca-lo no mesmo nivel de collor de melo.
Arilo disse…
Tenho uma sugestão mas não posso dizer aqui não. Seria censurado... rsrsrsrsrs
J. R. Arruda disse…
Ha ha ha ha ha ha ha
Arqueu disse…
Gostei da proposta, não é propina e a gente ainda vai descobrir cenas melhores que novelas, onde todo mundo que é rico tem problemas de amor e quem é pobre tem problemas com dinheiro; o que falariam eles se se encontrassem, sobre amor, dinheiro ou pobreza? E jatinhos...

Postagens mais visitadas