OS DEZ DIAS QUE ABALARAM O MUNDO

"Os dez dias que abalaram o mundo", título do livro que descreveu de maneira épica os acontecimentos que precederam e se desenvolveram durante a revolução bolchevique de 1917, continua sendo obrigatório para qualquer estudante de jornalismo ainda mais nessa era triste dos "sem diploma". E por que estou falando do livro de John Reed ? Mais uma daquelas coincidências da vida. Outro dia , em curta passagem aqui pela minha casa, fuçando prateleiras, dei de cara com o exemplar desse livro em edição de bolso da LPM  e comecei a folheá-lo a esmo. Apesar do socialismo , da revolução bolchevique e a guerra fria terem virado maionese, dando lugar a esse pasteurizado mundo globalizado, considero que o livro é vital sobretudo por ser bem escrito ( apesar da militância comunista de John Reed) e por seu autor ter sido testemunha ocular da história. Aí fiquei considerando que tanto o autor quanto o livro estão bem esquecidos. Eis que agora pouco ouço pela rádio  Jovem Pan  que o filme de Warren Beatty baseado nesse livro  ( Reds) está sendo lançado em dvd... é também um épico romântico que tem no elenco o próprio Beatty ( que faz o protagonista John Reed e dirige o filme) mais craques como Gene Hackman e Jack Nicholson. Feito em 1981 pode ser uma ótima chance para os mais jovens terem conhecimento do que foi outubro de 1917 mais  a revolução bolchevique e o precocemente falecido John Reed.

Comentários

Su Parente Souza disse…
Não sou jornalista e as vezes me aborreço lendo jornal pois só quero saber do fato em si e não a opinião do jornalista que escreve a matéria. Desta forma considero "Os Dez Dias que Abalaram o Mundo" um livro excelente e um grande trabalho dele como jornalista. Não coloca rótulos ou opiniões do
Johh Reed. Na verdade é uma boa pedida ler novamente pois já faz tanto tempo..
Abraços
Su
Ricardito, pois sabe que esse é um filme que quero muito rever?
Lembro-me exatamente da noite em que fui assistir o filme, com uma amiga, nos tempos de faculdade.
Saí do cinema em transe, foi uma noite memorável.
Bela dica.
Já tá de volta ou foi só um pit stop?
Beijocas,
Ricardo Soares disse…
Su... acho sim que continua sendo uma leitura memorável , apesar dos pesares...bj

Gisele...é, tb lembro quando vi o filme...o tempo passaaaaaaaaaaaa...bjs...tô só num pit stop
Fábio disse…
Ricardo,
sou repórter da Folha de S.Paulo e estou produzindo reportagem para retratar a real influência da Globo sobre a rotina dos angolanos. Li seu post a respeito desse tema e gostaria de conversar contigo. Se puder, faça contato pelo e-mail fabio.grellet@grupofolha.com.br.
Abraço e obrigado!
Fábio
Bruno disse…
E aí Ricardones... Estou muito satisfeito por um lado e triste por outro... Satisfeito porque, mais uma vez, um jornal importantíssimo resolveu retratar sobre a vida do nosso povo (Angolano)... E triste porque ele vai saber que, infelizmente, o nosso povo só tem obtido a péssimas influências da programação da rede Globo!!!

Onde vc achar que for necessária a minha ajuda para a publicação desta matéria, conte comigo...

Um grande abraço do seu garotão... Bruno Constantino
Ricardo Soares disse…
Fábio...escrevi pra vc...

Bruno... não me comprometa moleque!!! dizendo que vc é meu garotão o que vão pensar as milhares de fãs que vagam por esse blog ??? (hehehehe)... sei que é uma coisa assim de carinho panino de Angola mas... contenha seus impulsos gays juvenis...de qualquer forma escrevi ao Fábio o que já tinha escrito aqui no blog ... que a influência da Globo em Angola não é a que ela diz ser... dá impressão que o país pára pra ver as joças deles...e tanto eu como vc sabemos que isso não é verdade... aquele abraço
E. Campos disse…
Mais esquecido ainda é 'México Rebelde', que nunca foi reeditado.
A Rússia não importa. E, no fim das contas, a Revolução Bolchevique não deu aos russos mais que alguns milhões de cadáveres, depois Brejnev, Yeltsin e a Máfia de Putin.
Já o México... bom, aí a conversa é bem outra, não ?

Postagens mais visitadas