Templo Odsal Ling

Às vezes a belezura está do nosso lado e somos um pouco negligente com ela. Em rápido pit stop aqui no Brasil passei em casa (moro na Granja Viana, o paraíso possível entre São Paulo e Cotia que está sendo destroçado pela especulação imobiliária) e fui conhecer o templo budista Odsal Ling aqui perto, inaugurado há pouco mais de um ano. Sob todos os pontos de vista adorei o lugar. Plácido , tranquilo,reconfortante. Fui muito bem recebido ali e troquei idéias com a Magda, assessora de imprensa deles, que simpaticamente me acolheu não apenas por ter me reconhecido de remotos trabalhos televisivos que fiz mas porque é atenciosa mesmo. Ela e a outra praticante do budismo tibetano que me recebeu (infelizmente não lembro o nome dela) me conduziram a um belo passeio pelo local e mandaram avisar :  Nesse fim de semana tem feira de arte e cultura no templo.Excelente pedida pra quem mora e não mora na Granja e se aproxima dos ideais humanitários e de paz do budismo tibetano. Coloco o flyer (abaixo) em anexo para que vcs se orientem sobre endereço e telefones. E boa visita. Tem gente muito atenciosa ali para sanar muitas dúvidas que vcs possam ter em relação ao budismo. É um passeio de paz sobretudo... bom proveito.

Comentários

Bruno disse…
Pena é que não existem lugares como esse cá em Angola!!! Sua postagem me transportou, por alguns instantes, até este templo, que só de ver pela imagem, já dá para imaginar o quão lindo é...

Estou a me morder de nervosismo por eu não estar no Brasil para poder acompanhar esta exposição que vai decorrer no dia 8!!!

Ricardones o rey daquilo que eu não preciso mencionar, faça algumas fotografias para me mostrar quando vc regressar em Angola por favor.

Esperero que estejas a curtir muito estes seus 15 dias de férias.

Um abraço do seu disciplo... Bruno Constantino.
Francy´s Oliva disse…
Lindo...Muito lindo, concordo com vc muitas vezes ou a maioria das vezes somos negligentes com as coisa a nossa volta.
Bjs. Bom final de semana.
E. Campos disse…
Me perdoe a correção e a rabujice, Ricardo, mas a especulação imobiliária começou com as Capitanias Hereditárias. E a Granja Viana já é parte bem avançada dela. No interior de SP, as fazendas vão desaparecendo e dando lugar aos condomínios. Mais um capítulo na divisão da terra. Muito verde na visão dos que chegam da cidade, mas do ponto de vista dos recursos hídricos e da vida silvestre, a coisa é bem menos promissora. Difícil imaginar o que poderia nos deter nesse massacre de todo dia.
Quanto ao templo, fico me perguntando se uma pequena adaptação às características da nossa arquitetura não seria mais apropriada e simpática a um ideal de integração com o ambiente em todos os seus aspectos. Não é por nada, mas um pavilhão oriental em plena Cotia me faz pensar no Playcenter.
Perdoe a franqueza. É só uma birra velha. Templo no Brasil, pra mim, é a floresta. Com cada um de seus mosquitos. E as religiões da floresta estão desaparecendo com os índios, bem na nossa frente, os autênticos e simples profetas deste chão incompreendido.
Abraço.
Edu
E. Campos disse…
E se alguém me chamar de radical, eu bem que agradeço.
Eu adoraria ser radical. Radical como Belo Monte.

Postagens mais visitadas