Reflexões tropicais (1)

Faz tempo que o tema deixou de ter relevância para mim e , na verdade, ele jamais tirou meu sono.No entanto por motivos profissionais (que na ocasião adequada eu revelarei) me encontro imerso no universo criativo dos tropicalistas (ou ex-tropicalistas) Caetano Veloso, Tom Zé, Gilberto Gil, Gal Costa, Torquato Neto, Capinam, Os Mutantes,Rogério Duprat,Rogério Duarte, Hélio Oiticica,Zé Celso Martinez Correa, etc, etc, etc
No momento em que digito estas mal traçadas estou a ouvir o pouco conhecido disco Barra 69 que Gil e Caetano gravaram em priscas eras tropicalistas lá no teatro Castro Alves em Salvador. E por mais que eu volte ao tema, mergulhe no tema, veja o tema sob a perspectiva do tempo que passou desde o período de 1967 a 1972 ( que é onde situam o Tropicalismo) volta à mente a questão central : o Tropicalismo foi uma conjunção astral e de época que reuniu uma malta de artistas multitalentosos que promoveram uma revolução estética, um movimento, ou o Tropicalismo foi apenas e tão somente uma bem engendrada jogada de marketing do habilidoso empresário Guilherme Araújo que encontro caixa de ressonância na audiência sensacional dos Festivais da Canção (sobretudo os da Record ) daquele período ? Tropicalismo foi um movimento ou um momento único ?
Me incomoda desde sempre a importância capital que dão a Caetano e Gil no debate cultural brasileiro, papel que a mídia lhes atribuiu e que mesmo fingindo que não curtem eles curtem a beça. Me incomoda que Caetano escreva ( com a presunção abissal que seu talento abissal permite) um livro que ele chama de "Verdade Tropical". Esse incômodo fez o finado Paulo Francis desancar Caetano &Cia mais de uma vez o que é bastante saudável diante do conivente beneplácito da maioria absoluta que incensa até o ar que Caetano respira como o "caetanólogo" e chato primordial José Miguel Wisnik. Mas todo esse debate é pontual, defasado ou atual ? Pelo sim pelo não estarei mergulhado nos próximos tempos nessas "reflexões tropicais" e não tenho a menor pretensão de encontrar respostas para essas minhas perguntas além do fato de que produtos culturais ou não  Caetano ,Gil e a trupe tropicalista é e sempre foi dotada de um talento muito além das polêmicas em que se envolvem ou das bobagens e pseudo-verdades que pronunciam... 

Comentários

e eu espero para assistir o documentário/ programa que vai surgir daí. Ou será um livro?
Marcio Gaspar disse…
todo 'movimento' artístico tem o seu componente de marketing e autopromoção; é parte intrínseca deles, até mesmo para que cheguem ao conhecimento público. mas não há guilherme araujo capaz de tornar relevante um movimento que não tenha talento(s) incontestável(is) a sustenta-lo. e é verdade: caetano fala um monte de bobagem - mas isso é irrelevante diante do tamanho incomensurável de sua contribuição à música brasileira.
Marcio GAspar falou o que penso.
O que sinto em relação a musica de Caetano....: não gosto. Não curto seria melhor dizer.
Se tem gente que incensa Lula, porque não ele?

Vc não perguntou nada, nem respondeu. Apenas, escreveu.
O que, considero, é sempre bom.
E. Campos disse…
Deus o livre !!

Postagens mais visitadas