Solidão dos blogs

   Garrafas nos oceanos, palavras ao vento, recados jogados , todas essas desgastadas imagens vem à mente quando imaginamos o paradoxo do mundo dos blogs, esses instrumentos que às vezes nos colocam em conexão com tanta gente que conhecemos e desconhecemos mas que são concebidos, feitos , criados e bolados (na maioria das vezes) na mais absoluta solidão. Para mim um blog às vezes é a conexão da solidão de seu autor com a solidão do seu leitor que muitas vezes solidário interage.
   Tenho blog há pouco mais de três anos. Espaço atomizado diante dessa galáxia cibernética não posso reclamar das freqüências de visitas que recebo visto que independente, fora dos grandes portais,tenho uma ótima visitação diária e fiéis seguidores. O blog, veículo de comunicação ao qual resisti, me trouxe muito mais alegrias do que dissabores e mesmo nos momentos em que não fui tão assíduo aqui sempre dava uma espiada ou tentava bater meu cartão virtual. O blog nunca foi uma obrigação , mas um prazer. Até porque , como lembra o poeta Leminski “escrevo porque preciso”.
   Nos últimos dias, por conta do blog, recebi tantas palavras carinhosas nos comentários ( do sensacional escritor Georges Bourdoukan, do chef Fernando Salles, da senhora Urtigão) e por e-mail, como o querido leitor e ex-fiel telespectador Arilo, que penso modestamente que continua a valer a pena ,apesar de minha alma pequena, manter esse blog. Livre, leve, solto como dizia minha falecida amiga Mara (blogueira entusiasta) às vezes desenvolto, às vezes travado, às vezes querendo mandar um recado, às vezes cifrado, às vezes sem recado algum, jejum absoluto de coerência.
   Para fazer um blog é preciso paciência. Até para entender que o numero de comentários que você recebe não tem a ver com o número de visitas que você recebe. A impressão que me dá é que após o facebook começar a bombar as pessoas passaram a ter preguiça de comentar nos blogs pois a resposta do “face” é mais rápida , imediata. O “face” é uma espécie de moda, e creio que o blog apesar da baixa permanece. E se por um lado o “face” desestimulou maiores comentários nos blogs
creio que devo meu grande número de seguidores justamente pela freqüência legal do blog. O blog chama para o “face” o “face” chama para o blog e esse papo todo está ficando de uma chatice exemplar.
   Por isso coloco aqui as barbas de molho e aviso que apesar da solidão de minha casa num sábado à noite diante de um computador solitário e de um blog feito solitário creio ser ele um excelente instrumento de navegação entre as mazelas desse mundo atual. A gente precisa reinventar as alegrias e ter um blog é alegria sim. Recomendo e vou em frente. Até porque “escrevo porque preciso”. E ao contrário do astronauta lilás que combina com esse blog eu não estarei fora do ar não.Quem quiser que me suporte. Quem não quiser que mude de canal pois boas opções não faltam nessa galáxia virtual.

Comentários

Fabricio Carlos disse…
é por isso que adoro esse mundo blogueiro...

abraços
O Mundofeliz disse…
E eu pensando que o problema eram minha escrita e o fato de não saber fazer um blog legal...
O Mundofeliz disse…
E eu achando que meu problema eram minha escrita e não saber fazer um blog legal...
Excelente a tradução que você fez do mundo dos blogs, concordo inteiramente. Começamos na mesma época e sempre te leio. Nem sempre comento. Mas te conto que acabei fazendo amizades deliciosas nesse universo, com alguns encontros interessantes. Um deles foi ser recebida em Miami por uma brazuca blogueira que me hospedou num findi pré-congresso e viramos amigas de sempre. E num é que tínhamos amigos comuns na época da faculdade? Verdadeiramente uma solidão paradoxal, como você bem definiu. Beijocas,
Poliana Macedo disse…
Eu, a sumida!
"... apesar da solidão de minha casa num sábado à noite diante de um computador solitário e de um blog feito solitário..."
Vi minha imagem nesse momento!
E acrescento que além de ser uma alegria, ter um blog é o mesmo que ter um 'amigo' com quem desabafar.
Gostei do texto, aliás.. Gosto de tudo por aqui!
Beijo e bom ano!
Marli Boldori disse…
Olá Ricardo,estou invadindo seu espaço após encontrar seu endereço no Jornal Rascunho,que costumo ler.Encontrei aqui um tesouro de textos maravilhosos,li uma grande parte ,porém pretendo voltar.Parabéns,pelo belo e interessante blog.Um abraço!Ah! Sigo-te!
Helô Müller disse…
Eu desconfio que deixei o coment desta postagem, no post abaixo... rs
Se acaso me enganei, mais tarde eu corrigirei! Certo? rs
Bj
Jaime Guimarães disse…
Facebook, twitter...mensagens imediatas, cada vez mais curtas ( 140 caracteres e ainda tem que reclame que é "demais" rs). Ainda acredito que os blogs são espaços fantásticos de autoria, e enquanto houver autores e gente que escreve "porque precisa", essa plataforma vai continuar.

Há períodos de baixa, em que a paciência falta, isso é normal. Passa. Sempre que precisar escrever, la estará o blog para partilhar as ideias com os fiéis seguidores e os que aparecem "ao acaso" pela blogosfera - e acabam ficando.

Não é igual o twitter, este sim, que parecido àquelas garrafinhas com mensagens atiradas ao oceano na esperança que alguém as encontre. No blog sempre há quem encontre a mensagem.

Abs!
Ricardo,

Muito obrigado pela citação. E que os leitores entendam que o "chef" é só uma alusão ao meu blog. Minha profissão é, pelo menos nos dias atuais, bem menos nobre. Trabalho como jornalista e o blog de gastronomia é um hobby, uma forma de também reinventar a alegria, cada vez mais rara na rotina profissional. Lá no Brincando os comentários também estão rareando, apesar dos bons números de acesso. Sua hipótese sobre a influência do Facebook faz todo sentido, mas acho que a loucura imediatista também é uma das causas. Pra muita gente, parar por cinco minutos pra fazer qualquer coisa que não seja obrigação é algo inaceitável. Principalmente para quem se leva muito a sério, uma parcela cada vez mais numerosa. E perigosa também.

abs,

Fernando Salles
Luma Rosa disse…
Uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!! Que alívio!! Quando abri o reader pensei que estava desistindo!! :=))) Puxa a cadeira de novo, senta! Você não está sozinho!! Beijus,
Jacqueline disse…
Que bom que continua! Tomei um susto,
isso sim.

Beijo!
Meu velho... Vc não imagina o quão importante será este texto para nós, principalmente, que estamos a nos aventurar no mundo dos blog´s agora!!! Quando não recebemos comentários, dá a impressão de que estamos sozinhos no mundo cybernético. Pelo Brasil então é tudo mais fácil, cá entre nós, os angolanos que ainda não temos esta cultura, fica tudo mais difícil ainda!!! Mas após esta linda lição que acabei de aprender apartir do seu blog, continuarei insistentemente a postar textos. Pelas poucas pessoas que passam pelo meu nobre blog, continuarei comprometido com esta nobre missão de informar as pessoas!!! Um grande abraço Ricardones, o rey resmungão!!! rsrsrsrsrsrsrs
Quero aproveitar o seu concorridíssimo blog para deixar o endereço do meu. Não tem a mesma qualidade técnica que o seu mas é feito de coração. Tento dar o meu máximo para o tornar cada vez mais actrativo, acredite. Este é o meu blog; www.angoladez.blogspot.com
Boa sorte para os eventuais novos leitores. Abs
Helô Müller disse…
A solidão é uma companheira fiel, Ricardo!

Adorei seu texto e me identifiquei demais com ele!
Resisti a ter um Blogue, mas por insistência de minha filha, acabei cedendo. Sempre achei que poucos se interessariam pelos "nossos escritos"... E, até hoje, penso assim! - As pessoas têm preguiça de ler mais de 3 linhas, já notou? - Mas, como tb "escrevo porque preciso", sinto minhas necessidades atendidas, assim como "devidamente arquivadas"... já que através do Blog, posso manter o meu "arquivo pessoal"!
Eu não optei, como vc, em só escrever o que for de minha autoria... Incluo textos e poesias de diversos poetas - e sempre preservando a autoria - que fique bem claro! ( coisa rara no mundo Blogal! )
O processo de criação, na seleção das mais belas e adequadas imagens às poesias por mim escolhidas, me dão um imenso prazer, mesmo que solitário...
Portanto, sigamos viagem!! rs
Bj
Helô

P.S. Ler você é uma delícia!!
Fabricio Carlos disse…
concordo com a Helô Müller,
no fim acabei criando um segundo blog para as coisas q não são de mina autoria...
No fim, esse exercicio solitário de dar vazão ao que se pensa/sente é viciante e satisfaz...
Ricardo Soares disse…
uauuu... como é mesmo imprevisível o universo blogueiro... comentava aqui no post que apesar de nos últimos tempos terem diminuido os comentários
a frequência do blog manteve-se inalterada... e eis que o tema "Solidão dos Blogs" suscitou uma pequena ondinha de comentários no número que os posts recebiam antes... o povo ficou sensibilizado com o tema e alguns aqui gentis até se preocuparam com o fato de que eu poderia estar largando o mundo blogueiro, como se isso fosse fazer muita falta. Eita povo gentil.Mesmo assim fiquei grato com todos os mimos de leitores constantes e inconstantes e até o recado que chegou do meu querido Bruno Constantino lá de Luanda... Bruno siga em frente com seu blog tb... no mais meu beijo solidário a todos com um feliz ano blogueiro de 2011
Helô Müller disse…
Estou entre os inconstantes! rs
Mas, nem por isso gostaria de vê-lo longe do "mundo Blogal"! Venho pouco, é verdade, mas quando cá estou, me delicio com as suas palavras... Pessoas lúcidas, como vc, farão falta em qualquer lugar!
Felizzz 2011 tb!
Bj
Helô
Salve Ricardo.

Essa relação dos blogs com o facebook tem realmente componentes curiosos.. também acho que o facebook é uma moda passageira. Já vejo inclusive gente que entrou mas não escreve nada, só tem por ter.

O blog, nesse particular, me parece mais dinâmico, na medida em que as reflexões avançam para além do momento da publicação. O facebook parece ser mais "fugídeo", se é que me entende.

Grande abraço
Ricardones, nem queiras imaginar a explosão de alegria que dá no coração por merecer carinho num blog como o seu que é acompanhado por pessoas de todas as partes do mundo. Gestos ou palavras para expressar o sentimento residente no meu interior pela tão nobre citação não existem. Feixe apenas os olhos e tente relembrar das nossas aventuras pelo interior de Angola. Eita saudades!!!
Anônimo disse…
Olá é a 1ª vez que encontrei o teu blogue e reflecti imenso!Espectacular Trabalho!
Adeus

Postagens mais visitadas