valores culturais relativos...

           É sempre bom lembrar.Pelos insondáveis mistérios dos caminhos internéticos chegou hoje apenas ao meu conhecimento uma experiência curiosa acerca dos valores culturais. Em 2007 o consagrado violinista Joshua Bell anonimamente sacou de um valioso Stradivarius e se apresentou numa estação do  metrô de Washington. Ficou transparante aos olhos da multidão como quase todo músico que se apresenta na rua ou nos metrôs do mundo. Poucos o notaram.(clique aqui) 
   Alguns elegantes que olhavam seus celulares e tomavam seus cafés poderiam ser os mesmos que pagariam sem chiar 1000 doletas para ver Bell em qualquer sala importante . Ou seja : valemos pela nossa  embalagem. Não só pelo contexto mas pelo texto que criam ao redor da gente. Essa experiência foi uma iniciativa bem sucedida do jornal "Washington Post". A idéia do jornal era descobrir se a beleza seria capaz de chamar a atenção num contexto banal e num momento inadequado. Não é a resposta. Dá o que pensar numa época em que Ivetes Sangalos se apresentam em gaiolas de luxo e muito se paga por isso enquanto vagam por aí artistas talentosos sem o devido reconhecimento. E isso em qualquer esfera da produção cultural. Óbvio dizer que são as malditas engrenagens da indústria cultural ávida todos os dias para transformar joio em trigo.

Comentários

Jaime Guimarães disse…
Quando vejo um monte de "artistas" por aí moldados puramente pelo marketing e truques de estúdio ganhando rios de dinheiro e saboreando uma fama que beira à histeria, lembro justamente desta varinha de condão da indústria cultural deixando de lado verdadeiros talentos... :(
angelo alfonsin disse…
Ivete Sangalo nem no metrô, no caso do violinista é a prova de que arte para os boçais endinheirados é uma mera questão de desenfado, não de cultura.

abraço

Postagens mais visitadas