O PUERIL ZECA CAMARGO


  Ontem ao acessar o portal G1 em busca de notícias sobre as chuvas acabei caindo no blog do apresentador Zeca Camargo por quem não nutro nenhuma admiração profissional mas por quem também não tenho antipatia pessoal até porque foi muito gentil comigo uma vez quando se derramou em elogios a uma longa reportagem que fiz sobre a Colômbia para a revista Rolling Stone. Temos alguns colegas em comum inclusive a serelepe apresentadora Sara Oliveira minha ex- aluna que ,aliás, me lembrou uma vez em sala de aula o elogio que Zeca fez a mim.
  Pois isso são detalhes periféricos para explicar porque falo sobre  Zeca.  É que ontem o apresentador se queixava em seu blog de que existem muitos críticos de televisão no Brasil. Pelas contas dele 786. No entanto são contas erradas porque em minha modesta opinião não temos críticos de tv no Brasil , ao menos que ele conte as centenas de palpiteiros que vagam pela internet dando pitacos a esmo sobre a (péssima) qualidade da tv aberta. Assim sendo a reclamação não procede.
  Mas a discussão tem outras nuances. Zeca, percebe-se , é um sujeito que se leva a sério. Gosta de citações, aforismos e há quem conte que adora desfilar pela redação do “Fantástico” ostentando exemplares de “New York Times” e congêneres.Como se vê cultiva a imagem de moço cosmopolita e letrado, versado em vários idiomas e com cabedal suficiente para pleitear que a tv aberta que ele pratica não mereça críticas veementes.
  Eu, do alto da minha insignificância de baixa audiência, que sempre praticou tv pública e não púbica , deixaria o tema e o Zeca passar batido não fosse constatar desolado que esses sites de mexericos e de bajulação a jornalistas estrelados ( como o Comunique-se) repercutiram o mau humor do apresentador contra a crítica televisiva inexistente. Zeca protesta e ficamos calados ? Sim. Mas ao mesmo tempo o vácuo de debate faz com que o protesto de Zeca fique sem resposta ? Não! Meus dedos coçaram Zeca Camargo.
   E por que enfim me preocupo em argumentar contra os argumentos pueris de Zeca Camargo ? Justamente porque ele e sua estampa sempre falsamente risonha é um dos estandartes desse novo e deplorável jornalismo que vem sendo praticado há alguns anos na televisão brasileira. Padrão inventado pela Globo e copiado, lógico, pela pouco criativa concorrência. O padrão é a confusão, a mistura, a fusão entre show e notícia. Um padrão que contaminou inclusive o carro -chefe da casa global que é o “Jornal Nacional”. O padrão que coloca em foco e em primeiro plano o personagem jornalista e não a notícia. Assim sendo não importa onde Zeca Camargo, Glória Maria, Renata Ceribelli ou Patrícia Poeta estejam. Importa que eles apareçam. Seja ao redor das ruínas do Egito Antigo ou numa praia de Madagascar o primeiro plano da paisagem é o Zeca. Nada mais Jeca , como diria o Paulo Francis tão cultuado aliás pelo apresentador.
  Me recordo bem que na sala de aula da pós graduação em jornalismo cultural da Faap foi esse argumento que esgrimi para Sara Oliveira quando critiquei a atuação de Zeca. Não tem como esquecer dele chacoalhando os quadris num lindo ashram do Taiti ao invés de mostrar o próprio ashram ou a paisagem deslumbrante que o cercava. Zeca talvez não perceba que ele não é a paisagem , que a muitos não interessam as suas roupinhas e sorrisos mas o que ele tem a nos mostrar. Quiçá assistisse um pouco mais as reportagens de Marcos Uchoa ele entendesse meu recado.
  Mas recado de baixa audiência não basta. Sou um tiozinho veterano na profissão. Um caboclo de baixo Ibope o que para essa turma é menos que zero. Eles vivem a ilusão de estarem no centro do universo, de serem amigos dos muito famosos e de realmente acreditarem que as opiniões que professam são o auge da sabedoria. Nada tenho a ensiná-los , sequer humildade, porque mesmo ao escrever essas mal traçadas tenho meus momentos de soberba.
    No entanto não me furto a ter opinião Zeca Camargo. E não sou crítico de televisão. Sou um “fazedor” de televisão e um cada vez mais eventual telespectador. Tudo talvez por culpa da megalomania de profissionais como você e o Pedro Bial que confundem alhos com bugalhos e tentam legitimar detritos culturais que defendem com o verniz tosco de “cultura pop”. Pois cultura pop também é aprender aceitar críticas Zeca Camargo e entender que muito do que você qualifica como legal é na verdade porcaria para continuar a emburrecer a nação.

Comentários

Eduardo Ameruso disse…
Tomô, Zeca???
Belo puxão de orelha.
Giovani Iemini disse…
tb nunca entendi a necessidade dele em esconder seu homossexualismo.
será um preconceito ao inverso, algo como medo de não ser mais aceito na telinha do "fanático"?
Provavelmente haverá poucos comentários aqui, Ricardo, de profissionais envolvidos com a comunicação. A hegemonia da Globo criou uma distorção perigosa, qual seja, o que eles fazem é ótimo, o que os outros fzem é uma merda. Esse negócio do repórter ser mais importante que a informação, que você denuncia, já vem de algum tempo. Te digo que vem de uma convivência nefasta, nos corredores da Vênus Platinada, de jornalismo e novela. Houve uma contaminação na Lopes Quintas da qual o Projac não conseguiu se safar. O repórter virou atração, ele próprio, a notícia se fodeu. Conversando um dia com uma aspirante a repórter numa lanchoente na Lopes Quintas, ouvi da deslumbrada, que ganhava uma merreca e dependia de outra colega para pagar o apartamento em que vivia, que a glória dela era sair de manhã e ser saudada pelo porteiro como se celebridade fosse. De ser reconhecida na rua. Quanta mediocriadade. A Globo fez do jornalismo essa bosta. E, agora, a notícia não é mais importante, mas quem lida com a notícia e ficou grávida de um ator que não lida com a notícia, mas fareja sensualidades nos corredores do jornalismo. Zeca Camargo é apenas um bailarino que se frustrou, fala duas línguas e teve o patrocínio de algúem com quem tem consaguinidade nos corredores (para falar o mínimo)
E aí Ricardones... Botou para "foder"!!! Antes gostava mesmo de lhe desejar muita saúde e ano novo cheio de novas aventuras por África!!! Quem sabe não volta a viajar pelas lindas terras do Huambo e Benguela (Angola)!!! Estamos em época (fase) de eleições e a campanha promete!!! Faça aí algumas pesquisas para saber se podes voltar a pisar o solo angolano na condição de profissional de comunicação.
Quanto ao seu desabafo, lembrei-me do dia em que vc me falou sobre a péssima postura do Zeca como profissional de comunicação na redacção do extinto Angola em Movimento. Você lembra??? Lamento muito pelo facto de os nossos ampredizes de jornalismo em Angola estarem a trilhar exactamente o mesmo caminho que o Zeca.
Tentei encontrá-lo no Facebook mas não consegui porque a sua lista de amigos já está cheia (uma pena). Mande notícias (e-mail;brunoconstantino2011@hotmail.com). Forte abraço para voce, Ricardones o rey do Boque... Rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs.
luiz chagas disse…
Concordo, discordando...
Poliana Macedo disse…
Gostei do texto! Compartilhado já.. =)
Anônimo disse…
Você nāo antendeu nada do texto dele? Ele cobra que as críticas deveriam ser melhores e nāo buscar apenas " cliques".
Seu texto é pretencioso e rancoroso, e você mesmo fala sobre a diferença de audiencia entre o que ele faz e o que você faz. Quanta transparencia!
Se ele le jornais internacionais, fala outras linguas, tudo vira contra ele nesse seu texto de desafeto.
Se Zeca Camargo nāo fosse bom, nāo teria se estabelecido há tanto tempo, e você e seus amiguinhos nāo deveriam esar falando dele.
Lendo seu texto, vejo que Zeca em razāo.
O que temos sāo colunistas sociais, com ares de criticos.
Anônimo disse…
Faz sentido. Assisto cada vez menos a Globo. O Zeca certamente tem seu mérito, mas, a forma como se comporta no fantástico é inquietante. Notam como ele não sabe onde meter as mãos? Cheio de trejeitos e afetação, sei não! é um agonia só. Danado é isso...

Postagens mais visitadas