por que ler ?

      Nessa manhã, dando uma olhadinha no livro "Como e Por Que Ler" que eu já havia lido em tempos idos me dei conta com um texto na contracapa que dizia :" Um clicar no mouse pode levar-nos , em segundos, a saber do que se passa em outro extremo do planeta. Museus do mundo todo podem chegar até nós nos monitores de nossos computadores . A cada dia recebemos a informação de forma mais veloz. Entretanto, o livro permanece com seu público cativo. Escritores, leitores, críticos, uma legião de apaixonados que não abre mão do bom e velho exercício de criar e ler histórias".
     Pois é isso aí . No "entretanto" do texto da contra capa é que mora os "finalmente". Esse texto citado acima e a edição brasileira de "Como e Por Que Ler" data de 2001 , publicado pela Objetiva. Mais de uma década se passou . A informação está cada vez mais veloz embora paradoxalmente rarefeita. E o livro  (mesmo que vendido nas versões tablets) permanece com seu público cativo mesmo que números desanimadores assegurem que no Brasil se lê menos do que há dez anos. Vai se confirmando o que alguns já antecipavam . As novas plataformas de divulgação chegam para somar e não para dividir. Não creio que o livro de papel se extingua. E vejo com bons olhos tudo aquilo que agregue o conteúdo insondável da palavra escrita .  

Comentários

Mônica L. Costa disse…
Há um modismo que se sucede, e fico a ver os compulsivos fazendo a alegria do mercado. Cada dia uma coisa nova na área da tecnologia, dos e-books, etc. Mas os velhos livros são à prova de tudo. Assisto de camarote!
Mas seu texto é sempre prazeroso de se ler.
Um abraço.
Monique
Ricardo Soares disse…
obrigado por sua generosidade Mõnica...
Arilo disse…
Cara, essa tal de internet é uma maravilha! Através dela tenho contato com uma produção cultural em vídeos e sons que livro nenhum poderia me apresentar a contento. Entrevistas com grandes artistas, grandes pensadores etc. Até mesmo nas famigeradas Redes sociais é possível ter contato com algo de bom. Dicas de pessoas decentes que só têm a acrescentar. De maneira pessoal, o meu problema com a internet é a minha incapacidade de ler por muito tempo na frente do pc. Por isso o livro ainda é meu suporte predileto. Posso adentrar numa leitura de um livro de forma muito mais densa e profunda do que na internet. Ainda que, tenho percebido, não sei se procede, que a familiaridade com os hipertextos cibernéticos tem enfraquecido um pouco o meu poder de concentração. Estou tentando reverter isto com a leitura de uns calhamaços, como foi o caso daquele bendito "As benevolentes".
Ricardo Soares disse…
Arilo...primeiro que bom que você gostou mesmo da dica de "As Benevolentes" e enfrentou com galhardia o calhamaço...quanto a suas impressões sobre leitura defronte ao PC concordo com todos os quesitos... a internet agrega ao lance da leitura. Mas não elimina de forma alguma o livro por mais que alguns insistam que uma coisa excluí a outra... aquele abraço

Postagens mais visitadas