11 de maio World Trade da democracia

    

    Não vejo motivo para tanto riso, oh quanta alegria , nas rádios essa manhã independente delas serem  golpistas ou não . Afinal esse 11 de maio ficará para a história como o nosso 11 de setembro tropical onde o World Trade Center de nossa democracia, que eu imaginava sólida, desabou . A constituição promulgada em  5 de outubro de 1988 foi rasgada ,54 milhões de votos não foram respeitados e tomam posse justamente aqueles que foram derrotados com a suprema provocação de vermos nomeados nomes como os de José Serra e Alexandre de Moraes, premiado com a pasta da Justiça por seus “métodos democráticos” de espancamento de estudantes menores de idade.
   O que se inicia é um período de incertezas políticas, jurídicas e institucionais onde até o direito de livre expressão já começa a ser solapado como vimos ontem quanto agentes da PF entraram em um avião cheio de mulheres  para impedir que elas seguissem gritando “ não vai ter golpe”. Teve golpe e começa um regime  em beneficio exclusivo dos tais donos do poder com seus patos amarelos e sua publicidade hedionda que nos nivela a uma Miami tosca. Movimentos populares às favas.

   Se Dilma foi um governo difícil de defender mais difícil ainda é justificar esse conluio de mídia, poderes legislativo e judiciário para apear do poder uma presidente eleita.  O que fica agora é um governo ilegítimo ,um ministério zumbi, espúrio, de traidores e oportunistas que repelem a palavra golpe.  Golpe há, golpe foi, golpe será para a história. Golpe é para a mídia independente lá fora. “Lá fora” para onde não posso mais fugir. Paris ficou distante porque o meu dinheiro foi corroído pela crise.  Não posso nem mais ir embora para Pasárgada porque não sou amigo do rei que foi se encontrar com Manuel Bandeira num Brasil mais bonito . Aquele que poderia ter sido e não foi. Uma república das bananas sim porque ao menos elas são doces. O que nos resta agora é uma República amarga, estupefata, que tão cedo não terá o respeito internacional devido. Como eu infelizmente passarei a não respeitar até o fim dos meus dias aqueles que com alarde ou sem ele, na omissão de suas covardias , apoiaram um golpe absolutamente asqueroso, ilegítimo que dá posse a um desgoverno inominável .

Comentários

Ricardo Soares, o PT, de Lula, foi o maior responsável, o grande general da banda, mas sem a graciosidade, de estar no poder mas sem poder. Cadê o fortalecimento e profusão das emissoras de rádio e TV, jornais, revistas, todas independentes, comunitárias? Optou por querer ser amiguinho de quem já goza há "milênios" de um bem público, com fins comerciais e de emissor da ideologia da classe dominante! E que não titubeou de assumir com virulência a voz do golpe! Dias tristes estamos vivendo!

Marcos R. Pereira
Santo André - S.P.

Postagens mais visitadas