POEMA BARATO


POEMA BARATO

O preço do poema não tem preço
porque o poema não tem valor algum
o poema diluiu-se na prosa
na pétala seca da rosa dentro do livro de Pessoa

O poema inexiste no mundo de cimento
fermento do nada é cuspido,desprezado
é “chato”, dizem os enfermos

Mas se o poema nada vale somos nós os doentes
salpicados de consumo e automóveis,
escorremos lubrificantes por nossas vidas lisas
e mais à frente na curva do caminho
veremos que foi curto o percurso
e partiremos, ocos e inócuos,
homens e mulheres sem sorte
a tentar frear as circunstâncias
acelerados de encontro à nossa morte ...
***

Ricardo Soares, Luanda, 9 de fevereiro de 2010

Comentários

Ricardo,
Dentro do livro do Pessoa eu vivi séculos inteiros e ainda respiro melhor quando volto às suas páginas.
Prazer em estar aqui.

Abraço mineiro,
Pedro Ramúcio.
Bom te ler assim tão blues, como hoje.
Beijos,
Fabricio Carlos disse…
Ricardo, muito bom conhecer esse seu lado poeta... (não me lembro de nenhum poema seu desde qdo comecei acompanhar o blog), gostei!
abraços...
Manuela disse…
Palavras intensas no poema...como as que manifesto por aqui, a saudade dos nossos papos e sua presença é grande tio....tenho acompanhado sempre seus textos, desabafos e alegrias pelo blog, mesmo que não comentando sempre...

Bijão da sua sobrinha que te admira demais!
Ricardo Soares disse…
Pedro Ramúcio...bom saber que ajudo em sua respiração...thanks, abraço

Gisele... adorei saber que estou "assim tão blues"... um beijo pra vc tão bacana quanto o sorriso que vc dá nessa foto...

Fabrício...pois é, como diram os clichês de filmes de terror eu "sou uma legião"... dentro dela cabem muitos... se esse poeta (também poeta é o que me pergunto) é aceitável fica por sua conta...abraço aliviado por não te-lo decepcionado...

Manu querida... receber manifestações públicas de afeto de vc só me enternece mais e aumenta o rastro de saudade que sinto de vc, sobrinha que tb só me orgulha com suas preocupações humanistas e sociais...se soubesses o quanto Angola precisa de boas almas como vc talvez vc viesse pra cá. Depois te explico melhor tudo isso porque duas semanas após chegar ainda me sinto estupefato... amo vc, se cuida...beijo do tio orgulhoso...
.Leonardo B. disse…
[mas não há escrita maior e mais pequena que poema; escreve-se com uma dez cem mil palavras apenas... seja em Dante ou pessoa Pessoa, é grande e vale a pena]

um imenso abraço

Leonardo B.

Postagens mais visitadas