TODO PROSA

Minha foto

Escritor, jornalista, roteirista, diretor de tv. Dirigi, apresentei e escrevi para a  TV Cultura, CNT/GAZETA, BANDEIRANTES, MANCHETE,  Rede SESC/Senac,TV Brasil, TV Pública de Angola, TVT-TV DOS TRABALHADORES, GNT entre outras. Editei as revistas RAIZ, TRIP e HV e fui conselheiro editorial da Rolling Stone e um dos criadores do programa METRÓPOLIS da Tv Cultura do qual fui o primeiro apresentador. Fui repórter do Caderno B do JB e tomei parte da equipe fundadora do Caderno 2 do Estadão. No mesmo jornal fui cronista de 1993 a 1998. De 98 a 2001 fui cronista do Jornal da Tarde.  De 1998 a 2005 dirigi, escrevi e apresentei "Literatura" e "Mundo da Literatura" exibido em várias emissoras abertas e fechadas. Sou co-autor das peças "Olho da Rua" e "Quatro Estações". Autor de sete livros publicados como CINEVERTIGEM (ed. Record) e os infanto-juvenis VALENTÃO, O BRASIL É FEITO POR NÓS ?, DIA DE SUBMARINO e FALTA DE AR. Co-autor de outros tantos. Dirigi mais de uma dúzia de documentários e séries documentais para várias emissoras de tv. Publiquei todos os dias durante um ano em www.revistapessoa.com o 365- Diário do Anonimato do Mundo. Uma história por dia. Cada dia um lugar do mundo. Escrevo duas vezes por semana para a revista digital  Dom Total em www.domtotal.com . Entusiasta da comunicação pública também fui gerente de produção da TV Brasil e diretor de conteúdo e programação da EBC.

segunda-feira, 30 de junho de 2008

LEI SECA

Com o perdão do trocadalho foi dose a overdose de matérias e enquetes sobre a lei seca em nossa mídia nesse fim de semana. De minha parte radicalizo : sou totalmente a favor dela. Se vai beber não dirija. E não adianta condescendência pois brasileiro não respeita a lei. Chegamos a números impressionantes de mortes por conta de bebedeira ao volante. Cana nos bebuns irresponsáveis.

UM MOTORISTA SEM MÃOS

Sábado último. Final da manhã, Leme , Rio de Janeiro. Aceno para um táxi. O trajeto será curtíssimo. Sento no banco da frente, puxo-o para trás e o motorista, simpático, não tem a mão direita. Em seguida noto que a esquerda tem apenas dois ou três dedos e não chego conclusão se tudo aquilo é uma amputação ou efeito da talidomida. Na hora de me dar o troco ele mostra habilidade impressionante com os cotocos . Diante dessa cena de Ionesco pergunto ao leitor : o que você faria num trajeto longo com esse taxista. Pularia fora do táxi ou deixaria rolar ? O Brasil realmente é um país impressionante. Nunca imaginei ser passageiro de um taxista sem mãos.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

ARACAJU, UM BALANÇO

Muito embora esse textinho seja um balanço é a imagem de uma cadeira de costas para o mar da praia de Atalaia que abre o meu "remember" de Aracaju e seu Forrocaju de onde cheguei na noite de ontem após tomar parte da equipe da Tv Brasil como roteirista, junto a Clarissa Ramalho com direção geral de Walter Silveira. Foi um esforço grande de uma equipe grande com a ajuda grande de colegas espalhados por Caruaru, Salvador, Amargosa, Senhor do Bonfim e Campina Grande e a inestimável colaboração dos colegas e dirigentes da tv Aperipê que fica em Aracaju.
Surpresas boas , muitas. Entre elas das poucas que pude ver , de pertinho , do lado do palco. O inimitável talento de Oswaldinho do Acordeon e de Anastácia. Foto acima.Outra surpresa maravilhosa, talvez a maior e melhor delas, me foi apresentada pelo Thiago Paulino simpático roteirista da tv Aperipê que me levou na noite de terça ao palco Gerson Filho do Forrocaju ( o maior palco é o Luiz Gonzaga) para assistir ao competentíssimo grupo de forró " Casaca de Couro" cujo sanfoneiro e vocalista Joaquim Antonio ( foto acima)dá banho em muito marmanjo consagrado. Thiago cobrou essa postagem e ela cá está em homenagem ao talento do "Casaca de Couro".Acima, vocês enxergam uma imagem do canastrão autor desse blog ,após mais noite virada na concepção dos roteiros que amarraram a programação em rede. A cara de pouco sono após a maratona diz tudo muito embora eu estivesse frente ao mar da orla de Atalaia.

Agora abaixo eu deixo vocês com poucas palavras mas com uma galeria de imagens desse peculiar Forrocaju 2008. Depois volto para contar um papo que tive com o prefeito de Aracaju e mais a Indira que é a diretora da tv Aperipê.

terça-feira, 24 de junho de 2008

PORCARIAS QUE SE APOSENTAM

Aqui em Aracaju, voltando para o Rio amanhã, recebo boas noticias que se confirmadas forem tornam menos poluída a vida pública brasileira. Duas porcarias de dois segmentos distintos, política e futebol, anunciaram , mesmo que em caráter de bravata, que pretendem se aposentar se suas execráveis atividades. O primeiro deles, Eurico Miranda, presidente vitalício do Vasco, vergonha da nação não só vascaína rendeu a noticia abaixo. Torçamos para que seja novidade . Leiam a nota da agência Estado :
Em entrevista para a rádio oficial do Vasco, Eurico Miranda jogou a toalha e confirmou oficialmente que não será mais candidato à presidência do clube. Ele está no cargo desde 2001, depois de trabalhar muitos anos em outras funções na diretoria vascaína e decidiu não concorrer na eleição da próxima sexta-feira.A chapa de situação indicou ainda na noite de segunda-feira o seu candidato para suceder Eurico Miranda. O escolhido foi Amadeu Pinto da Rocha, mas ele deve perder na eleição que acontecerá na sexta, quando o Conselho Deliberativo irá apontar o novo presidente do Vasco. Afinal, no último sábado, a oposição, liderada pelo ex-jogador Roberto Dinamite, conseguiu eleger 120 conselheiros contra apenas 30 da oposição.

Outra porcaria , o deputado caloteiro megalô Ciro Gomes, disse em uma entrevista ao Globo que talvez dispute (para nosso desgosto) a próxima eleição presidencial mesmo sem o aval de Lula a quem bajula desde o primeiro momento. O desqualificado politico, uma mentira igual ao Saci Pererê ( daí o Saciro da foto) aliás disse recentemente que Fortaleza "é um puteiro a céu aberto" . Mesmo com essas "delicadezas" que profere ele ainda tenta uma vez mais chegar ao cargo maior da nação mas depois garante que nos dará sossego. Que a derrota lhe seja leve mais uma vez e que cumpra sua promessa e se recolha a uma ilha deserta dialogando com seus vários egos inflados. Mas como Ciro adora mentir é dificil que cumpra mais uma de suas numerosas promessas. De minha parte continuarei sempre pegando no pé do Megalô, caloteiro de grande porte e grande envergadura boçal.

Zé Ramalho

Apesar do horrendo Calcinha Preta a sensação de ontem no Forrocaju em Aracaju foi Zé Ramalho que se apresentou antes e desfiou seu rosário de sucessos repetidos por milhares de vozes. Uma prova de que o povo forrozeiro também gosta de biscoito fino. Zé Ramalho que há anos faz um belo mix entre a tradição nordestina musical mais folk, rock e musica eletrônica arrebatou a galera que cantou seus velhos sucessos. Forrocaju é um troço muito eclético. Cabe Zé Ramalho, Alceu Valença e Calcinha Preta.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Aperipê e colunismo social em Sergipe

A tv pública parceira da Tv Brasil em Sergipe é a Aperipê Tv , uma emissora pública ligada por uma fundação ao governo do Estado. Não sei que grau de independência eles mantem em relação ao governo de Marcelo Deda mas posso dizer que na programação da Aperipê Tv existem atrações bem interessantes e de qualidade. A Aperipê vem dando suporte à equipe da Tv Brasil na transmissão em rede do “Arraial Brasil”e estou tendo o privilégio de conhecer profissionais dedicados e competentes por aqui. Gente que passa a anos luz de um certo colunismo social eletrônico que é uma praga na tv sergipana. Gente useira e vezeira em bajular ricos e sestrosos em suas festas bregas . Tristes cópias do já triste bajulador Amaury Jr. Como nos grandes centros a tv sergipana tem sim o seu melhor e o seu pior.

domingo, 22 de junho de 2008

ARACAJU, FOREVER

Não se pode ter uma impressão definitiva de uma cidade sem estar nela várias vezes. Implico sempre quando uma pessoa diz que detesta o Rio de Janeiro ou odeia São Paulo ou qualquer outro recanto planetário sem ter estado ali várias vezes. Perdoem o clichê mas tal qual as pessoas as cidades mudam. Aracaju que conheci em 1994 e voltei outras vezes não é a mesma Aracaju de 2008. O conceito de falsa modernidade também se abateu por aqui com a construção de mausoléus ( enormes edificios para os novos ricos) nas áreas próximas ao mar, perto da praia de Atalaia. Mas com tanto rico brega e boom imobiliário Aracaju continua sendo muito aprazível e segura apesar da já citada boçalidade da polícia local. Apesar do trabalho exaustivo que aqui tenho venho sendo bem tratado pela cidade e pelas pessoas daqui. Recomendo vivamente Aracaju nas férias dos amáveis leitores. A gastronomia daqui é um capítulo a parte. Voltarei ao assunto.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

BOÇALIDADE SERGIPANA


A cultura da porrada, a cultura da truculência, intolerância, deseducação e intimidação está enraizada na policia brasileira. Não só enraizada como as vezes dá impressão de que eles se regozijam com isso, se orgulham da valentia armados de cassetetes gigantes e armas potentes. Como ter o povo como aliado e até cumplice quando disseminam tapas na cara a esmo, empurrões , caras feias, prisões e borrachadas arbitrárias ? foi exatamente o que vi na noite/madrugada de anteontem . Os "elementos" do Batalhão de Choque da Policia Militar de Sergipe circulavam entre a multidão do Forrocaju e sem o menor motivo batiam nas pessoas. Horror puro. Intimidação escrota. Eu estava vendo tudo do alto - ironia do destino -do tal camarote do prefeito para onde fui convidado para buscar melhor ângulo para as câmeras da Tv Brasil. Lá em cima as pessoas petiscavam acepipes e ouviam forró. Forró com drinks of course. Lá embaixo , bem a vista de todos, o batalhão de choque , lamentável aglomerado de gorilas despreparados , protagonizava o espetáculo do "forró com porrada". Chato isso . Tanta coisa boa para contar desde Aracaju mas as cenas que vi foram tão deprimentes que acabei por contar isso primeiro. Essa polícia e tantas outras Brasil afora precisam mesmo revisar seus conceitos. Ou vamos cada vez mais fabricar cidadãos que odeiem a policia ao invés de respeitá-la.

quinta-feira, 19 de junho de 2008

FORROCAJU

Desde ontem estou em Aracaju, capital sergipana com uma enorme equipe da Tv Brasil para trabalhar na cobertura das festas de São João que acontecem aqui e em boa parte do Nordeste brasileiro. Estaremos transmitindo ao vivo, do dia 20 ao 25 das 22 horas até as 3 da manhã. Um esforço inédito na tv brasileira para mostrar uma gigantesca festa popular fora do eixo Rio -São Paulo.

terça-feira, 17 de junho de 2008

A FAVORITA FURA FILA

Saiu na coluna "Gente Boa" do GLOBO do último domingo , dia 15 :

A coluna cumpre o triste dever de informar que Patrícia Pillar furou a fila do restaurante Ten Kai na noite do Dia dos Namorados.

Quanto a esse blog tem o triste dever de comentar que salvo um súbito ataque de bom gosto que a tenha feito trocar de namorado a atriz Patrícia Pillar continua sendo par do execrável Ciro Megalô Gomes, o deputado mais presunçoso do país cujo ego não cabe em dez Maracanãs. Assim sendo não é de se espantar que a moça tenha furado fila pois deve estar achando tal qual o namoradão que tem uma importância que não tem , ainda mais agora que está na novela das oito. É bom lembrar também que Ciro não se furta a curtir privilégios furando filas de embarque em aeroportos, como já vi, e solicitar fórum privilegiado até para tratar das travessuras juvenis nas quais seu filho mais velho já se envolveu. Típico coronézinho nordestino que aliás me deve 50 mil reais desde a campanha à prefeitura de sua ex, a insípida senadora Patrícia Saboya. Um calote que fará oito anos em breve e que eu jamais perdoarei.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

JAMELÃO

E já que falei em garoto no post abaixo vale aqui lembrar que foi-se embora Jamelão, garoto de noventa e tantos anos. O Rio e o Brasil envelheceram com a perda e sua partida é assunto em rodas e conversas de calçada nessa manhã friorenta de vento sudoeste no Leme.

vovôlei

Sábado, fim de manhã. Solzão a pino. Encosto num quiosque de coco na avenida Atlântica. Enquanto bebo observo uma turma animada jogando volei. Muitos cabelos brancos e calvas luzindo. Na barraca que dá suporte à turma está escrito : Vovôlei. Um time que está sendo derrotado vai sair e outro está ávido pra entrar. Todos tem mais de sessenta. Viva Copacabana ! aqui muitas vezes me sinto um garoto!

quinta-feira, 12 de junho de 2008

NÃO SABEMOS TOMAR CONTA

Dois Picassos, um Segall e um Di Cavalcanti (abaixo) foram roubados da Estação Pinacoteca em São Paulo. O roubo me faz pensar que :

1. Não sabemos tomar conta dos nossos museus
2.não sabemos tomar conta da Amazônia
3.não sabemos tomar conta dos nossos narizes
4.não sabemos valorizar o que é devido
5.não sabemos ter educação
6.não sabemos onde está a ética
7.não sabemos distinguir notícias falsas das verdadeiras
8.não sabemos ter memória
9.não sabemos separar joio do trigo
10.não sabemos respeitar filas
11.não sabemos respeitar o direito dos outros
12.não sabemos dividir espaço
13.não sabemos ler
14.não sabemos escrever
15.não sabemos crer
16.não sabemos dar passos do tamanho de nossas pernas
17.não sabemos ter organização
18. não sabemos jogar lixo no lugar certo

soubessemos nós jogar lixo no lugar certo os nossos nobres deputados deveriam estar depositados no lixão de Gramacho, no Rio, onde o Marcos Prado fez o lindo documentário Estamira. Estamira que aliás é mais exemplo de boa brasileira do que os ocupantes legislativos de Brasília da turma do "não sabemos".

quarta-feira, 11 de junho de 2008

SERÁ QUE A DILMA MENTIU ?

PRESIDENTE NEGRO

Barack Obama incensado candidato democrata em plena campanha pela Casa Branca nos remete a uma profecia contida no livro O Presidente Negro, escrito por Monteiro Lobato em 1926. O livro veio a tona como um folhetim, no jornal carioca A Manhã.
A história de Lobato - que é muito mais conhecido por seus livros infanto-juvenis- pode ser chamada de ficção científica e foi escrita num período em que os negros nem votavam nos Estados Unidos. Monteiro Lobato previu que, no futuro - no remoto 2228 - haveria uma disputa presidencial onde a feminista, Evelyn Astor, disputaria a presidência com um homem negro, Jim Roy.
Mais uma prova de que muitas vezes a literatura se antecipa em tempo e espaço a fatos vividos. Se formos levar em conta então o que previu Nostradamus quando um presidente negro ocupasse o cargo mais importante do planeta é melhor nem pensarmos em futuro. Por sorte Nostradamus não era ficcionista . Ou era ?

Esse post é um remake de outro escrito pelo jornalista Lira Neto cujo blog está linkado aqui em minha lista. Me lembrei do livro de Lobato porque li no blog dele e porque o livro aqui referido vivia numa modesta estante no sobrado de minha infância. Como lia então os livros infantis de Lobato tentei ler "O Presidente Negro" e não entendi nada. Haviam dois Lobatos mas disso eu não sabia ainda.

terça-feira, 10 de junho de 2008

CQC NO CONGRESSO

O programa CQC - exibido nas noites de segunda na Bandeirantes com reprise aos sábados- foi proibido de entrar no Congresso Nacional . Ao que se sabe vivemos no estado de Direito e a livre expressão é garantida em Constituição. Assim sendo não existe justificativa plausível para impedir os repórteres do CQC de entrarem no Congresso a não ser o medo que os senhores deputados tem de serem expostos ao ridículo. Rir e fazer chacota com o poder, não levá-lo a sério, é uma manifestação saudável de democracia como não devem saber muitos deputados sem o menor senso de humor como José Genoíno ( que tranca a cara e diz estar trabalhando toda vez que o CQC o aborda ) ou Ciro Megalô Gomes que se leva a sério até quando está no vaso sanitário produzindo no privado o que faz na vida pública. Como acreditamos na liberdade de expressão, como achamos saudável rir de alguns desses patetas congressistas que nos enganbelam apoio e ponho link para que vocês acessem o site do Cqc no Congresso.Visitem aqui e ,se for o caso, assinem a petição eletrônica que pede a livre entrada do CQC no Congresso Nacional .

domingo, 8 de junho de 2008

ANIVERSÁRIO, ZERO A MENOS NO SALÁRIO

Em minhas priscas eras televisivas, quando eu ainda apresentava o Metrópolis da Tv Cultura, lembro de em uma noite do meu aniversário eu ter encerrado o programa assim : "Fazer aniversário é como ter um zero a menos no salário, boa noite ". Naqueles tempos de inflação galopante ter um zero a menos no salário era algo trágico mas minha frasezinha reflete bem o que sinto em relação a natalícios, o meu em particular. Mas devo dizer que hoje tive um dia muito feliz com feijão e farofa juntos dos meus e que prefiro lembrar o 8 de junho como a data de aniversário de alguém muito mais famosa e mais suculenta do que eu . Hoje Sonia Braga, também de 8 de junho, completou seus 58 aninhos. Abaixo vê-se a diva em foto passada clicada por Bob Wolfenson. Sonia pra mim é um alento além de ter sido musa de minha adolescência. Se aos 58 se tem em alta conta eu com meros 49 devo ser menos pessimista né não ? embora não tenha esse "corpinho" todo que a moça sempre teve. Bom, o aniversário é meu mas quem leva o presente são vocês mesmo o dia 8 estando quase no fim.Além da foto da suculenta Sonia deixo vocês na companhia do divino Paolo Conte que interpreta "Max" uma de minhas canções favoritas. Uma forma de homenagear todos aqueles que , amáveis, me deixaram mensagens tão legais no post abaixo desse. Boa semana a todos.

sábado, 7 de junho de 2008

ÚLTIMA NOS 48

Tenho quase certeza que é desde os 16 anos que escrevo as minhas "últimas". Me explico : horas ou até minutos antes de fazer aniversário, o que não curto , eu escrevo as minhas "últimas" impressões com aquela idade que vai deixar de existir. São , pois, mais de três décadas de "últimas" inúteis, algumas perdidas nos meus amontoados desorganizados de escritos. As "últimas" ( parodiando Arthur Bispo do Rosário)são os registros de minha passagem sobre a terra e não tem a menor importância a não ser para mim mesmo pelo fato de serem apontamentos muito intimos e pessoais e eu ser um escritor menor num país menor, numa época em que escrever não tem a mesma importância. As minhas "últimas" me dão a impressão de que , pretensiosamente, de alguma forma, eu possa estar fazendo um diário anual , resumindo, momentos anos de fazer aniversário, as sensações que vivi no ano anterior. Ou pelo menos o que estava condensando no último dia de certa idade.As sensações e impressões vividas no ano que passou. Chega de explicar senão vou complicar. Como esse é o primeiro ano de minha vida em que possuo um blog vou dividar minha "última dos 48" com os amáveis prováveis leitores. Deixo , para ilustrar, a imagem de uma retroescavadeira que se não é poética ao menos define meu estado de espírito atual. Essa "última" , nesse ano, está mais genérica e menos intima e pessoal. Por isso tá valendo. Espero não te-los decepcionado até porque isso aqui ficou mais com cara de "querido diário" do que outra coisa. Mas um blog também não é uma espécie de diário de bordo , registros de nossa passagem sobre a terra ? ÚLTIMA NOS 48


Olho para trás e não vejo. E tenho aqui para mim que se não vejo é muito mais pela miopia do que pela incapacidade de enxergar. Não me vejo entre fraldas brincando no jardim da casa do meu avô nem me vejo destruindo um urso sujo de pelúcia . Também não me vejo arrancando a casquinha de uma ferida após um tombo de bicicleta e nem me vejo mais sonhando ser poeta, atleta, o moço da motocicleta.
Olho para trás e não vejo meu avô a preparar rabanadas e nem vejo minha avó a me forçar a tomar sopa de ervilhas. Não vejo a areia que joguei nos olhos de outro menino e meu coração miudinho rejeitado num salão de baile. Não vejo pois minha falta de traquejo, não vejo a serra que contornei na neblina, não vejo o cavalo que não domei e do qual cai , não vejo a represa turva de tilápias , não vejo a temperatura do meu corpo subindo, subindo, subindo.
Olho para trás e não vejo poesia, nem vejo apólogo brasileiro sem véu de alegoria . Estou mais próximo da lira dos cinqüenta anos da qual falava Manuel Bandeira e minha saudade é uma enorme retroescavadeira a aparar os barrancos da vida .
Olho para trás e não vejo a touceira de mato junto à qual meus pais estão sepultados e nem vejo a claridade do dia em que meu filho nasceu me jogando em outras luzes do mundo. Não vejo os dias que quebrei meu dedo jogando basquete, nem o dia que me escondi dentro de uma manilha gigante ou o dia que, sabotador, mijei dentro de uma bateria de caminhão que destruía nosso campinho de futebol.
Olho para trás e não vejo minha infância, nem a mesa de fórmica vermelha, nem o sagu de sobremesa , nem a porta de tela que separava a cozinha das moscas do quintal. Não vejo a parreira de uvas , os canarinhos despenados, meus calçados furados nos dias de muito frio.
Não, por favor, não me vejo um senhor prestes a completar 49 anos. Na verdade acho que não cresci se crescer significar representar, tripudiar, enganar, desconsolar. Confesso que não ando lá muito otimista mas é que apesar de sufocar uma certa aspiração de artista eu ainda acho que a criação, seja ela qual for, ainda é a mais divina das manifestações humanas.
Olho para trás e não vejo o menino que aprendeu. Vejo o tiozinho que perdeu o fio da meada, aquele tipo que procura uma jóia que perdeu no meio fio. Assim , sem outra opção além de mirar a calçada, fico imaginando que a enxurrada que desce lava todas as impurezas e leva para o mais fundo dos fundos esgotos as minhas certezas.

Ricardo Soares
7 de junho de 2008 - 18 e 20

sexta-feira, 6 de junho de 2008

CHINA , PAZ E AMOR

Essa figura de um China paz e amor é o contraponto perfeito para a China que combina o pior da economia de mercado com o pior do stalinismo. Um regime hediondo, poluidor, centralizador, autoritário, daninho para toda a humanidade e que se arvora em ser bom anfitrião numa Olímpiada empanada por sangue e não só dos tibetanos. Se a hegemonia do império americano está com os dias contados como muitos dizem mas o que vem em seu lugar é a hegemonia chinesa não sei o que poderá ser pior. Quiçá todos os mandantes chineses fossem um China paz e amor como o da foto acima. Aliás como seria um mundo governado por hippies ?

quinta-feira, 5 de junho de 2008

BLAIRO BATATINHA MAGGI

O governador de Mato Grosso Blairo Batatinha Maggi orgulha-se nessa semana - em entrevista à Carta Capital - de ser um agricultor e não um ecologista. Cinicamente defende seu raciocínio desenvolvimentista pelas vias do bairrismo dizendo que o povo de Mato Grosso tem o direito de querer o melhor para si como os povos de todos os outros estados. Maggi, o maior plantador de soja do mundo , é paranaense. Filho, neto e bisneto de agricultores ele diz : "não temos floresta no DNA, temos agricultura". Talvez isso justifique para esse infeliz que vem devastando Mato Grosso que da lista completa dos 150 maiores desmatadores da Amazônia os 11 primeiros sejam produtores rurais do estado que ele desgoverna permitindo queimadas que asfixiam a população de Cuiabá e transformam a paisagem num monótono cenário de milhares de quilometros plantados de soja transgênica. Sei do que estou falando. Ano passado viajei horas e horas a fio pelas estradas do Mato Grosso e só vi soja e bois. Tá na cara que esse é um modelo suicida de desenvolvimento , falido eticamente mas muito lucrativo para essa malta que adora usar chapéu de texano e ouvir breganojo como se isso fosse a quintessência da civilidade. Basta dizer que gera emprego e todo mundo sai aplaudindo. E parece que o modelo está triunfando visto o prestígio que Batatinha Maggi tem com nosso presidente. Enquanto as Marinas ladram os Maggis passam incólumes e ainda são festejados. Triste Brasil que vive dando pretexto para os gringos meterem a mão no que é nosso. Ou deveria ser se tivessemos um mínimo de vergonha na cara.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

BERNARDINHO, MALA ORIENTAL

Ano passado dediquei um post a um dos meus tipos inesquecíveis. Bernardinho, essa mala. Leia aqui. Agora volto ao tema porque quando eu estava ausente aqui de casa ( Granja Viana, entre São Paulo e Cotia) soube que essa mala gigante esteve nesse fim de semana aqui nas vizinhanças gravando um comercial da Olimpikus no templo budista Zu Lai como prova essa ridícula foto. Ainda bem que não estava na área e nem visitando o templo onde vou bastante. Agora, se esse comercial for do mesmo nível daquele onde o mala Bernardinho atirava objetos do alto de um edifício para o jogador ( dã dã dã) Giba escorar no solo podemos desde já nos regozijar com nova obra-prima da boçalidade publicitária. Poderá perguntar o amável leitor porque Bernardinho me incomoda tanto. É simples : além de ser a antítese do carioca que seu sotaque não nega Bernardinho é tudo aquilo que eu jamais quis ser. Competitivo, estressado, criador de clichês e frases feitas, metido a bom moço, histérico, sem senso de ridículo e consultor de auto- ajuda e "sucesso pessoal". Enfim , um entojo completo vendido como bem sucedido. Bernardinho , o bobalhão em busca de resultados, é um perfeito garoto -propaganda da cultura de mercado. Pior e mais insosso e patético do que ele só mesmo Roberto Justus essa bolha de vento com cara de incontinência urinária. Como é que a gente foge desses tipos se eles invadem a mídia toda hora ? respostas pra essa redação.

ESSE HENDRIX COMBINA COM O BLOG ?

Há dias que são mais rock and roll. Outros são samba de roda, marchinha, balada romântica, mela- cueca , chorinho.Cheguei ontem em São Paulo depois de quase um mês entre Rio e São José do Rio Preto. O dia estava lindo e hoje esfriou. Diante do computador, janela fechada para o jardim de casa, desanimo diante de tanto que tenho a fazer. Lembro que Bo Didley morreu mas acho esse Hendrix roxo de talento. Não sei que música colocar na trilha desse meu dia. Penso que é muito chato sair de casa e enfrentar esse trânsito infernal. Ontem peguei um carro reserva do lado do aeroporto de Congonhas, benefício que oferece o seguro até que me reembolsem da grana pelo roubo do Troller. É um Celta dentro do qual me senti minusculo no trânsito caótico. Pego a avenida Água Espraiada ( que me recuso a chamar de Roberto Marinho por preferir o nome anterior, é mais bonito)subo e estreio a ponte Otávio Frias de Oliveira , aquela que é das mais caras do mundo , recem -inaugurado cartão postal da cidade e que não desafoga trânsito algum , parece sem serventia. Subo e caio na marginal Pinheiros, pego a rodovia Raposo Tavares e chegando à Granja Viana vou buscar Zyon meu cão labrador chocolate recém castrado para que deixe de guerrear com o boxer Lorde. Cães, um certo friozinho e Jimi Hendrix fazem a vida valer a pena mesmo quando a alma se apequena. Por isso mesmo pergunto . Esse Hendrix que ilustra o post combina com esse papo e combina com o blog ?

terça-feira, 3 de junho de 2008

EXÉRCITO OCIOSO ?


     Pode até ser simplismo mas me parece muito grande o número de soldados e oficiais do exército no Rio de Janeiro que tem uma saudável vida matinal , sempre correndo pelo calçadão e pelas areias da praia do Leme,em animados exercícios físicos, enquanto a cidade partida padece dos hediondos males que aparecem com a ausência do aparelho do estado. Onde o estado não chega a bandidalha se instala seja através da presença dos traficantes seja através dessa nova praga que são os paramilitares , aqui auto-intitulados "milicianos". Foram eles que inclusive torturaram uma jornalista, um fotógrafo e um motorista do jornal " O DIA" numa favela da zona oeste carioca no mais novo escândalo que costura as rodinhas de papo aqui no Rio. Enquanto isso é a cena mais comum do mundo vermos os bem nutridos rapazes do exército darem gritos de guerra imaginários nas areias do Leme e adjacências o que solidifica aquela impressão ( errônea ?) de que o contribuinte paga o exército para ficar fazendo educação física. Pelo menos em boa parte do Rio de Janeiro , cidade cheia de quartéis e de milicos como a Urca não nos deixa mentir. Isso me parece escandaloso e urge uma mudança na legislação visto que uma das atribuições de nosso exército seria  (teoricamente) garantir a integridade de nossos cidadãos quando nos vemos ameaçados. Ou será que o Rio não está em guerra e os tiros que ouço vindos dos morros Babilônia e Chapéu Mangueira são de mentirinha ? Por coincidência nessa manhã eu liguei o noticiário matinal da Tv Brasil e vi o Rubem César Fernandes (do movimento Viva Rio) dizer exatamente a mesma coisa : que o nosso exército devia trabalhar em conjunto com a policia carioca e com a comunidade para garantir que as coisas não piorassem. Rubem diz inclusive que tem feito trabalhos no Haiti e que lá tem se contido a criminalidade com a junção de forças entre polícia, exército e comunidade. Se o Haiti é aqui e já faz tempo por que será que nosso exército continua fazendo apenas educação física e se divertindo em quadras bem instaladas como as que vemos acima  (essa no forte Duque de Caxias,no Leme) enquanto os cidadãos ficam à mercê de uma polícia bandida ?

domingo, 1 de junho de 2008

DOMINGO DE CHUVA NO RIO

Descobri hoje, depois de muitos anos indo e vindo ao Rio de Janeiro, como o cariocas procriam. Eles procriam nos dias de chuva, quando a garoa vem de viés e um vento nordeste bate nas partes baixas do corpo esfriando os arroubos tropicais e a libido. Aí eles se recolhem , confundem chuva com frio, se agasalham, escondem-se sob edredons e fazem crianças e pipocas. Descobri, enquanto caminhava perto do meio dia bem próximo ao caminho dos pescadores no Leme, que os cariocas se recolhem nos seus conjugados, apartamentos e sobrados e ficam viúvos de sol fazendo crianças e planos para o futuro. O calçadão da Atlântica estava espantosamente deserto (como nunca vi), as bicicletas e as pessoas não circulavam , a praia estava vazia e meu coração paulistano aflorou no meio da garoa achando que nessa manhã o deserto Rio de Janeiro era só meu.

Meus livros

Meus livros
CINEVERTIGEM

O BRASIL É FEITO POR NÓS ?

VALENTÃO

FRANGUINHO SEBASTIÃO

DIA DE SUBMARINO

DIA DE SUBMARINO
DIA DE SUBMARINO

FALTA DE AR

FALTA DE AR
FALTA DE AR
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Arquivo do blog

Seguidores